Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
2 em 1
Rafael da Silva Claro

Servir bem para servir sempre

O Supremo Tribunal Federal (STF), achando que presta bons e difíceis serviços, irá expandir a boquinha. Usando o eufemismo fantástico e inventivo de “serviços continuados de apoio operacional na área de copeiragem”, o STF irá contratar 41 garçons e copeiros para os 11 ministros.

A Corte, já dispõe de um nababesco cardápio composto de lagostas selecionadas, vinhos premiados - para se fartarem, como um D. João VI caricato - e um habilidoso “capinha” (profissional cuja responsabilidade é ajeitar a capa nos magistrados).

O STF virou a cara e, como seres superiores ou cidadãos de primeira classe, servem-se do povo e não ao povo. A sugestão é que, também com dinheiro público, eles contratem um quarteto de cordas ou um pianista. Eu tenho certeza que será imperdível assistir ao assassinato da Constituição ouvindo a musica do filme Psicose tocada num dramático violino ou, em qualquer decisão do Supremo, a Marcha Fúnebre de Frédéric Chopin no piano.


Rodrigo Maia, Vossa Excelência, Botafogo ou Nhonho

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, não quer ser chamado de Nhonho. Ele já foi comparado ao personagem do seriado mexicano Chaves pelo programa de rádio Pânico, por youtubers e, agora, pelo ministro do meio ambiente, Ricardo Salles.

Nhonho..., digo, Rodrigo Maia, lembra o gorducho, não só na aparência, mas no jeito de ser. Gordinho, mimado, filhinho de papai e relativamente rico, em comparação a um monte de pé-rapados da Vila - em terra de cego quem tem um olho é rei.

Rodrigo “Nhonho” Maia tumultua o País e põe a culpa nos outros - sempre aponta alguém como um mal para o País, sendo que ele é um dos principais males que atrasaram o Brasil; nosso imortalizado Nhonho empurra com a barriga ou senta em cima de pautas importantes, dependendo do seu humor - que quase nunca é bom. Metaforicamente, o Botafogo se comporta como o dono da bola que não deixa ninguém jogar quando o jogo não lhe é favorável.

Para a Odebrecht e a Polícia, ele é o Botafogo; para a Câmara, Vossa Excelência; para seu pai, Rodrigo Maia; e para nós, ele foi eternizado como Nhonho. Logo depois do “xingamento”, Rodrigo Maia teria respondido: olha ele, olha ele, olha ele.


Biografia:
Ensino secundário completo. Trabalhei em várias empresas, fora da literatura. Tenho um blog, onde publico meus textos: “Gazeta Explosiva” Blogger
Número de vezes que este texto foi lido: 33816


Outros títulos do mesmo autor

Ensaios Guia Politicamente Incorreto da Pandemia Rafael da Silva Claro
Ensaios Na pressão Rafael da Silva Claro
Ensaios Nadando de braçada Rafael da Silva Claro
Ensaios Dois Papas Rafael da Silva Claro
Ensaios O Clarividente Rafael da Silva Claro
Ensaios Polícia e ladrão Rafael da Silva Claro
Crônicas Retrospectiva 2020 Rafael da Silva Claro
Ensaios Espiral do silêncio Rafael da Silva Claro
Ensaios Rodrigo Maia nunca mais Rafael da Silva Claro
Crônicas Ócio criativo Rafael da Silva Claro

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 83.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2021
 
  Textos mais lidos
viramundo vai a frança - 48533 Visitas
IHVH (IAHUAH) e ISV (IASHUA) - Gileno Correia dos Santos 42870 Visitas
Sem - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 41915 Visitas
NÃO ERA NADA - Alexsandre Soares de Lima 40795 Visitas
Pensamento 21 - Luca Schneersohn 40438 Visitas
Os Morcegos - Nato Matos 40155 Visitas
Guerra suja - Roberto Queiroz 40029 Visitas
O Trenzinho - Carlos Vagner de Camargo 39985 Visitas
A PRAIA DO PROGRESSO - Rosângela Barbosa de Souza 39790 Visitas
MILA, A MENINA QUE MORAVA DENTRO DE UM COGUMELO - Saulo Piva Romero 39741 Visitas

Páginas: Próxima Última