Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
O galo e a cidade
Gladyston costa


Desde há muito tempo, quando as metrópoles eram cidades tímidas, onde sítios e fazendas desafiavam os limites urbanos, era comum ter galinheiro no quintal em meio a hortas e pomares. As cidades cresceram em ritmo acelerado reclamando para si o espaço dos campos verdes ao redor.

Extemporaneamente é inusitado constatar que, vez em quando, galinheiros podem ser vistos resistindo ao tempo e à “modernidade” urbana. Assim, surpreende os transeuntes que passam pela Avenida central, um galo anunciando o dia que começa, por traz dos muros de certa casa por ali.

Dia como sempre, como tantos outros de rotina estática, dia que impõem o desejo de novidades no já bem crescido galo...Ah sim ! dia em São Paulo.

Esquecido pelo tempo, num espaço de pouco horizonte, naquele dia, com as cristas imponentes apontadas para o céu claro, o galo cacarejou e mais uma vez anunciou a alvorada. Ao longe ouvia o ruído de boeings e DC4’s em rota de aproximação com a pista do aeroporto. Contido em um quintal cercado de quaresmeiras, amoreiras e unhas de gato, o muro alto limitava ao penoso a visão do mundo lá fora. Confinado entre prédios, o quintal resistiu ao tempo e desprezou o avassalador progresso lá fora. A cidade cresceu como a massa de pão que descansa e viu suas entranhas expandir em asfalto e concreto.

Que dia !! Despertou com elegância espichando as plumas e se exibindo a uma platéia composta por meia dúzia de galinhas, ciscou o chão enquanto mirava o muro ao redor. Além do muro, alheio a este universo tímido, lá fora a cidade acontecia, a correria do dia a dia já ia longe quando o sol mal atingira seu primeiro quadrante. A cidade em seu ritmo frenético transforma o tempo presente em pretérito, tão rápido quanto à propagação da luz, e segue apressada em direção ao tempo a ser criado. Um “admirável mundo novo” como aquele de Aldous Huxley se impõe, sedento por novidades o novo se torna arcaico por imposição do futuro.

Do poleiro improvisado em meio a caixotes velhos, sob o pé de amora no quintal, cercado por torres modernas e envidraçadas que inundam a cidade, a cena de um galinheiro em meio à metrópole contraria a ditadura do tempo.

Quanto ao espaço, uma grandeza sem medida, parece não ter lógica limitar o mundo a míseros metros quadrados quando o universo se revela infinito. O muro, invadido por unhas de gato, impõe ao penoso à exata dimensão do horizonte determinado pela rotina. Alem de ciscar em busca de petiscos e se exibir para as parceiras de pena, cacareja com a precisão de um relógio suíço, sempre na mesma hora e volta ao mesmo poleiro no fim do dia, a vida é limitada nesse pequeno quintal.

Imponente, com penas brilhantes ao sol da manhã, o galo mirou o muro e sem pestanejar ensaiou bater asas, que lhe sirva de inspiração os pássaros de prata rasgando o céu, indo e vindo de tão distante quanto é possível, em uma linha côncava que avança por sobre o horizonte. Sem aptidão para o voo, pois assim é a sua natureza, o galo pulou de galho em galho até alcançar o alto do muro, de lá se espantou com a ácida paisagem que se revelara lá fora. Ir em diante ou retroceder, eis a questão!


Gladyston Costa


Biografia:
-
Número de vezes que este texto foi lido: 28804


Outros títulos do mesmo autor

Crônicas Pão de Ló Gladyston costa
Contos Esporádica companhia Gladyston costa
Poesias Indolente sedutor Gladyston costa
Poesias Asas sobre sampa Gladyston costa
Poesias Abraço Gladyston costa
Poesias Água doce Gladyston costa
Crônicas Na borda da banheira Gladyston costa
Poesias Ladeira da misericórdia Gladyston costa
Crônicas Principia a primavera Gladyston costa
Crônicas Divagações sobre um poema Gladyston costa

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 48.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 65592 Visitas
A Arte De Se Apaixonar - André Henrique Silva 54775 Visitas
Minha namorada - Jose Andrade de Souza 43449 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 43085 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 42132 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 40550 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 38823 Visitas
Amores! - 37073 Visitas
Desabafo - 36465 Visitas
Faça alguém feliz - 34833 Visitas

Páginas: Próxima Última