Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Lobão, Carnaval e Cinzas
Hayton Rocha

Apareceu lá em casa em outubro de 1995. Meus filhos haviam convencido o avô, Seu Terto, a "financiar" a compra de um filhote poodle. Na loja, franciscanamente optaram pelo mais quieto e frágil da ninhada. “...Já foi nascendo com cara de fome e eu não tinha nem nome para lhe dar...”, diria Chico Buarque. Mas nada que amor, carinho, vacina e ração de boa qualidade não pudesse resolver.

Quando passamos a morar em Pernambuco, em 1996, a cada duas semanas levávamos Lobão - homenagem ao vilão de “Os Três Porquinhos”, de Walt Disney - para a Praia de Ipioca, em Alagoas, onde filhos e sobrinhos o desafiavam simulando afogamento, ao que aquele magricela corajoso reagia nadando contra a maré até “resgatar” todos os seus “amigos”.

Na véspera do Carnaval de 2001 já estávamos no Planalto Central, depois de breve temporada na Bahia, quando Magdala, minha mulher, tanto insistiu que embarcamos para Recife(PE) para assistir ao “Galo da Madrugada”, que prometia arrastar um milhão de foliões pelas pontes e ruas da cidade no dia seguinte, sábado de Zé Pereira.


Deixamos Lobão em um canil no Lago Norte até a quarta-feira de Cinzas, quando voltaríamos, mas fomos obrigados a retornar às pressas no domingo, após a notícia de que ele havia desaparecido. Da hora que pousamos em Brasília até a terça-feira de Carnaval, vasculhamos cada pedaço daquela região a sua procura, mas sem sucesso. Como último recurso, resolvemos distribuir cartazes e faixas do tipo “procura-se” no raio de 10 km do local de onde sumira.

Na tarde de terça-feira veio o telefonema do canil nos avisando de que ele fora encontrado, ainda no sábado, por um garoto que se divertia com um jet ski no Lago Paranoá. Lobão bem que tentou atravessar aquele "oceano nada pacífico" no rumo da Asa Sul, onde morávamos. Muito debilitado, com todas as articulações lesionadas pelo esforço feito, com infecção intestinal, permaneceu horas a fio debaixo de uma cama onde residia o garoto que o abrigou, praticamente sem alimentar-se, até ouvir alguém chamá-lo pelo nome familiar aos seus ouvidos, descrito nos cartazes e faixas.

De volta para casa, recuperou-se rapidamente. E a notícia da aventura correu pela Super Quadra Sul 114, na manhã de quinta-feira pós-Carnaval, onde um intrépido Lobão cuidava de remarcar seu território a cada poste que encontrava pela frente. Logo, viu-se apelidado pelos porteiros e zeladores do prédio de “Gustavo Borges”, nadador olímpico brasileiro medalha de prata nos 100 metros livres nas Olimpíadas Barcelona 1992 e nos 200 metros livres em Atlanta 1996, que participou de quatro Olimpíadas.

Vitima de edema agudo de pulmão, decorrência de uma gastroenterocolite bacteriana, o velho e destemido Lobão - que já vinha recebendo cuidados especiais na condição de cardiopata e nefropata - tombou no Verão de 2013, aos 18 anos de idade. Foi sepultado com "honras militares e salva de tiros" no quintal de nossa casa, no Jardim Botânico, em Brasília, onde viveu seus últimos dias.

Eu sabia que desagradava algumas pessoas naquele tempo, mas juro que estava sendo absolutamente justo e sincero quando afirmava: “... quanto mais conheço o ser humano, mais admiro Lobão!”. Ele nunca foi ingrato, dissimulado, grosseiro ou desleal conosco. Mostrava-se sempre agradecido pelo carinho que recebia, era fiel, solidário e transparente. Um ser do bem, que tornou inesquecível o Carnaval de 2001 e, anos depois, deu o tom acinzentado definitivo, da cor de seu pelo, à “Síndrome do Ninho Vazio” que se instalava em nossa casa.


Biografia:
Número de vezes que este texto foi lido: 28464


Outros títulos do mesmo autor

Crônicas Lobão, Carnaval e Cinzas Hayton Rocha
Crônicas Achados e Perdidos Hayton Rocha
Crônicas Meu pai um dia me falou Hayton Rocha
Crônicas Versões de nós mesmos Hayton Rocha
Crônicas Brinquedos Hayton Rocha


Publicações de número 1 até 5 de um total de 5.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
haicai - rodrigo ribeiro 32003 Visitas
The crow - The Wiki World - The Crow 31695 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 30132 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 29137 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 29049 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 29046 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 29041 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 29032 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 29028 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 29024 Visitas

Páginas: Próxima Última