Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
A prostituta virou mulher prendada
Dilcimar Ribeiro Fonsêca

A prostituta virou mulher prendada

Mulher linda, lábios carnudos
E um corpo escultural
Trocando em miúdos,
Beleza não tinha igual

Em seu corpo o pecado
Que fazia homem enlouquecer
Mesmo sendo cara a loucura
Eles davam o preço pra cometer

Entre farras e muitas orgias
Dinheiro era o que ela gostava
Ganhava bastante dinheiro
Também muito fácil gastava

Despida, depravada e carinhosa
Vestia muitas fantasias
Vivia entre prazer e luxuria
Sua vaidade a satisfazia

Era a cara da alegria
Sabia ser muito safada
e entre outras mulheres
Era a mais admirada

Conheceu muitos países
Viajando o mundo inteiro
Passeava com homens ricos
E ainda ganhava dinheiro

Em ambientes sofisticados
Nem parecia uma safada
Gostavam de sua companhia
Por ela saber ser requintada

Ela adorava curtir a vida
Só sonhava em se diverti
Mas conheceu um alguém
Que da vida livre a fez sair

Ela que era tão esperta
As vezes até fingia gostar
A coitada da prostituta
Um dia foi se apaixonar...

Então se tornou mulher fiel
E assim sua vida mudou
Pois com seu grande amado
A prostituta se casou

De noiva se casou na igreja
Jurou se esquecer da orgia
E virou mulher prendada
Sendo ótima mãe de família

Entrou para uma nova vida
E seu pensar também mudou
Mudou muito, menos sua beleza
Que infelizmente a condenou

O marido altamente ciumento,
Por ela era muito respeitado,
Mas não tinha nela confiança
E pensava que era enganado

Ela que quando era da vida,
Nunca levou nenhum tapa
Apanhava do marido
E sofria muita ameaça

Então um dia ela disse:
Vou embora dessa casa
Sonhei tanto em ser feliz
E só estou sendo maltratada

O marido ficou louco
Extremamente possessivo
Pensou que ela tinha outro
E que estava sendo traído

Era pra ser um conto de fadas
Mas um ciúme excessivo
Transformou o romantismo
Em um trágico feminicidio

Aquele frio corpo feminino
Esticado no chão da sala
É a violência contra a mulher
E um triste grito que não cala

Tragicamente terminou a história
Da prostituta e mulher prendada
A mulher que só queria ser feliz
E por um machista foi assassinada.








Biografia:
-
Número de vezes que este texto foi lido: 27939


Outros títulos do mesmo autor

Artigos Educação Ambiental: Causa Urgente. Dilcimar Ribeiro Fonsêca
Resenhas Paulinho, o menino que escreveu uma nova história Dilcimar Ribeiro Fonsêca
Frases Mundo amor Dilcimar Ribeiro Fonsêca
Poesias POETA Dilcimar Ribeiro Fonsêca
Poesias Magia da infância Dilcimar Ribeiro Fonsêca
Poesias Sonho de afeto Dilcimar Ribeiro Fonsêca
Poesias Poesia Dilcimar Ribeiro Fonsêca
Contos O infinito amor de John e Maria Dilcimar Ribeiro Fonsêca
Poesias A virgula Dilcimar Ribeiro Fonsêca
Poesias A prostituta virou mulher prendada Dilcimar Ribeiro Fonsêca

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 22.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 36100 Visitas
Amores! - 29622 Visitas
Desabafo - 29492 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 29143 Visitas
PSICOLOGIA E DIREITO - Francisco carlos de aguiar neto 29114 Visitas
Faça alguém feliz - 28920 Visitas
Vivo com.. - 28778 Visitas
viramundo vai a frança - 28601 Visitas
MENINA - 28573 Visitas
eu sei quem sou - 28557 Visitas

Páginas: Próxima Última