Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
O FINDAR DE UMA NOITE DE ILUSÕES
Alessandro Nogueira

Hoje o nosso mundo acordou em celebração,
Inflamando por todos os rincões
Extrema e desordenada agitação
E uma esperança fundada na incoerência.
Na verdade não existe comemoração
De nenhuma conquista importante
E de nenhuma justiça sendo propagada
Em prol de alguma melhora social significativa.
Enfim, nem sequer as pessoas
Estão plenamente mais felizes do que outrora.

Subsiste apenas a velha euforia que tomou conta
De multidões de pessoas de falsos sorrisos,
De multidões contagiadas pela mesma emoção;
Pois muitos já se esqueceram
(Com tantas anestesiantes distrações
E com as suas preocupações superficiais de sempre)
O quão presos estão diariamente
Nas armadilhas de uma falsa felicidade
E na desolação da ausência de sentido
Que faz crescer os fantasmas do absurdo.

Hoje é um dia em que não há motivos para festejar,
Pois o desespero, bem como as necessidades
Que sempre torna os homens carentes e incompletos,
Ainda assolam os semblantes
Daqueles que se mantêm adormecidos
Na letargia dos prazeres mais fugazes
E no excessivo furor de suas licenciosidades.
Mesmo assim, reinam os grandes espetáculos
Transmitidos pelos sedutores meios de comunicação
Com as suas fantasmagorias, notícias e apelos.

Rojões e bombas explodem aqui e acolá,
Buzinas e gritos são vociferados
Em quase todos os lares,
Ardendo cada vez mais o calor infernal
Das comemorações de tantas almas vazias.
Vem ao longe uma algazarra ensurdecedora e insensata!
E ao longo desses dias turbulentos
Ficam ainda mais esquecidos os animais aflitos
E as dores de tantas vidas humanas que sofrem
Incessantemente nas mazelas do descaso.

Incrivelmente, um dia tudo termina:
Então as pessoas precisarão encarar de frente
As dores de suas preocupações cotidianas
E também as aflições de suas labutas exaustivas.
Uma noite de euforias e festas se esvai
Como a água de um rio ressequido pelo estio,
Abrindo caminho para um escaldante alvorecer
De aborrecimentos incontáveis
E de ânsias profundamente desesperadas
Para ganhar o pão de cada dia.


Biografia:
Minha grande paixão é a poesia e a filosofia. Sou um amante do saber, bem como um entusiasta que busca escrever poesias e reflexões filosóficas sobre tudo aquilo que inquieta os homens angustiados e também sobre tudo o que pode inspirar os apaixonados pela arte de escrever.
Número de vezes que este texto foi lido: 270


Outros títulos do mesmo autor

Poesias O FINDAR DE UMA NOITE DE ILUSÕES Alessandro Nogueira
Poesias MELANCOLIA Alessandro Nogueira
Ensaios O NASCIMENTO E A REDENÇÃO DE CRISTO Alessandro Nogueira
Poesias OS NONSENSES DA EXISTÊNCIA Alessandro Nogueira
Poesias OS PERIGOS DE EXISTIR Alessandro Nogueira


Publicações de número 1 até 5 de um total de 5.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 185719 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 164428 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 163940 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 130838 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 117947 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 81161 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 69998 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 65241 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 60564 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 55938 Visitas

Páginas: Próxima Última