Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
A MENINA ORFÃ E A BONECA GUARDIÃ
Saulo Piva Romero

UMA JOVEM MÃE ESTAVA NAS SUAS ÚLTIMAS HORAS DE VIDA. ENTÃO, ELA CHAMOU A SUA FILHINHA ELISA E JÁ QUASE SEM FORÇAS E A RESPIRAÇÃO ACELERADA DISSE PARA LISA COMO CARINHOSAMENTE COSTUMAVA CHAMAR A MENINA.
- MINHA AMADA FILHA, EU QUERO LHE DAR UM PRESENTE PARA QUE NUNCA SE ESQUEÇA DE QUE A MAMÃE TE AMA MUITO. E TIRANDO UMA BONEQUINHA MINÚSCULA DE UMA CAIXINHA. BONECA, ESSA QUE USAVA BOTAS PRETAS, SAIA VERMELHA, COLETE BORDADO E AVENTAL BRANCO. ALIÁS, DIGA-SE DE PASSAGEM, MUITO PARECIDA COM A PRÓPRIA LISA.
E CONTINUOU A CONVERSA COM A MENINA:
- SE VOCÊ PASSAR POR ALGUMA SITUAÇÃO DE PÂNICO OU PRECISAR DE ALGUMA ORIENTAÇÃO PARA QUALQUER DECISÃO QUE VIER A TOMAR NA SUA VIDA PERGUNTE A BONECA QUE ELA IRÁ TE AJUDAR. MAS, NÃO CONTE A NINGUÉM SOBRE A BONECA, POIS, ELA SERÁ DAQUI POR DIANTE, A SUA GUARDIÃ.
LISA, VOCÊ DEVERÁ TRATÁ-LA MUITO BEM E DAR DE COMER A ELA QUANDO ESTIVER COM FOME. ESSA BONECA É A MINHA BENÇÃO DE MÃE PARA VOCÊ MINHA PRINCESA. QUE DEUS A ABENÇOE!
E ASSIM A MÃE DA PEQUENA LISA MORREU.
ALGUNS MESES DEPOIS QUE O PERÍODO DE LUTO PASSOU O PAI DA MENINA SE CASOU NOVAMENTE COM UMA MULHER MÁ MUITO DIFERENTE DE SUA MÃE. ESSA MULHER TINHA DUAS FILHAS DE SEU PRIMEIRO CASAMENTO. POR MAIS QUE A MADRASTA E SUAS FOSSEM AMÁVEIS E SORRISSEM COMO DAMAS, HAVIA ALGO DE MALÉFICO POR TRÁS DAQUELES SORRISOS QUE O PAI DE LISA NÃO CONSEGUIA EXERGAR.
EM CERTA OCASIÃO, O PAI DA MENINA TEVE QUE FAZER UMA LONGA VIAGEM PARA RESOLVER ALGUNS ASSUNTOS RELACIONADOS À SUA FAZENDA. MAS DURANTE A VIAGEM O PAI SENTIU-SE MAL E ACABOU MORRENDO TAMBÉM.
E DAQUELE DIA EM DIANTE A VIDA DA MENINA LISA SE TRANSFORMÁRA NUM MAR DE TORMENTOS. ELA FOI OBRIGADA PELA MADRASTRA A FAZER TODOS OS SERVIÇOS DOMÉSTICOS E INCLUSIVA CORTAR A LENHA. A MADRASTRA E SUAS FILHAS NÃO GOSTAVAM DE LISA PORQUE ELA ERA MUITO BONITA TINHA UMA GRANDE DOÇURA E MUITA PRESTATIVA, POIS, NUNCA RECLAMAVA DE NADA. PORÉM, A MENINA ERA ORFÃ DE CARINHO E AMOR, POIS, A MADRASTRA NÃO LHE DAVA A MÍNIMA ATENÇÃO. A POBRE MENINA HAVIA PERDIDO TODAS AS REGALIAS QUE TINHA QUANDO SEUS PAIS ERAM VIVOS. FOI ENTÃO QUE A MADRASTRA MÁ E SUAS FILHAS MIMADAS E PREGUIÇOSAS JÁ NÃO SUPORTANDO MAIS A PRESENÇA DE LISA. ELAS TRAMARAM UM PLANO PARA SE LIVRAR DE UMA VEZ POR TODAS DA PRESENCA DA MENINA ENTRE ELAS.
- MAMÃE, VAMOS DEIXAR QUE O FOGO SE APAGUE. AI MANDAREMOS A BOBA DA LISA ENTRAR NA FLORESTA E PEDIR FOGO PARA NIARNA, A BRUXA QUE CERTAMENTE IRÁ MATÁ- LA E COMÊ-LA.
NAQUELA NOITE QUANDO A MENINA VOLTOU PARA CASA DEPOIS DE CORTAR AS LENHAS ENCONTROU A CASA COMPLETAMENTE ÁS ESCURAS. ELA FICOU MUITO PREOCUPADA COM ESSA SITUAÇÃO E FALOU COM A MADRASTA.
- SENHORA EVANS, EAGORA? COMO VAMOS COZINHAR E ILUMINAR A CASA?
- EU NÃO FAÇO IDEIA! NÃO TEMOS MAIS FOGO! EU NÃO POSSO SAIR PARA A FLORESTA A ESSA HORA DA NOITE PORQUE JÁ ESTOU VELHA DEMAIS E MUITO MENOS MINHAS FILHAS PORQUE ELAS TÊM MEDO DE SAIR NA ESCURIDÃO DA NOITE. VOCÊ É A ÚNICA QUE É CORAJOSA PARA ENTRA NA FLORESTA PARA ENCONTAR NIARNA, A VELHA BRUXA E CONSEGUIR DELA UMA BRASA PARA ACENDER NOSSO FOGO.
-AH, SEM PROBLEMAS, SENHORA EVANS. EU VOU. RESPONDEU LISA INOCENTEMENTE.
E ASSIM LISA PARTIU RUMO A FLORESTA E À MEDIDA QUE ELA AVANÇAVA A FLORESTA ADENTRO IA FICANDO CADA VEZ MAIS ESCURA.
A MENINA ESTAVA FICANDO APAVORADA, ENTÃO, ELA ENFIOU A MÃO NO BOLSO E PEGOU A BONECA QUE A SUA MÃE HAVIA DADO COMO PRESENTE E SEM DEMORA CONSULTOU A BONECA GUARDIÃ.
LISA PERGUNTOU A BONECA:
- PARA QUAL DIREÇÃO DEVO SEGUIR? ESQUERDA OU DIREITA. E A BONEQUINHA GUARDIÃ DISSE PARA A MENINA SEGUIR PARA A DIREITA. E A CADA ORIENTAÇÃO DE SUA GUARDIÃ, A MENINA LHE DAVA UM PEDACINHO DE PÃO PARA ELA SACIAR SUA FOME, ENQUANTO CAMINHAVA SEGUINDO AS ORIENTAÇÕES DA SUA BONEQUINHA GUARDIÃ. DE REPENTE, COMO NUM MILAGRE DE DEUS, ENQUANTO LISA CAMINHAVA APARECEU UM HOMEM DE BRANCO GALOPANDO EM UM CAVALO BRANCO E O DIA NASCEU MAIS ADIANTE PASSOU UM OUTRO HOMEM DE VERMELHO GALOPANDO UM CAVALHO VERMELHO. E O SOL TAMBÉM RAIOU. E QUANDO A MENINA ESTAVA QUASE CHEGANDO AO CASEBRE DA BRUXA NIARNA, UM CAVALEIRO VESTIDO DE NEGRO, MONTADO NUM CAVALO NEGRO, PASSOU TROTANDO E IMEDIATAMENTE FEZ-SE NOITE NOVAMENTE.
E FINALMENTE ELA CHEGOU À CASA DA BRUXA NIARNA. ENTÃO, ANTES DE ENTRAR A MENINA RESOLVEU NOVAMENTE CONSULTAR A BONECA GUARDIÃ.
- É ESSA CASA QUE PROCURAMOS? E A BONECA GUARDIÃO RESPONDEU A SEU MODO QUE SIM. E ANTES QUE LISA PUDESSE DAR MAIS UM PASSO ADIANTE, A BRUXA MONTADA EM SUA VASSOURA DESCEU NUM VÔO RASANTE SOBRE A CABEÇA DE LISA AOS GRITOS. NIARNA ERA UMA BRUXA MUITO MÁ. SEU QUEIXO COMPRIDO ERA CURVADO PARA CIMA E SEU LONGO NARIZ ERA CURVADO PARA BAIXO, DE MODO QUE OS DOIS SE ENCONTRAVAM A MEIO CAMINHO. ELA TINHA UM PEQUENO CAVANHAQUE BRANCO E VERRUGAS NA PELE ADQUIRIDAS DE SEUS CONTATOS COM SAPOS. SUAS UNHAS ERAM GROSSAS E TÃO COMPRIDAS QUE ELA NÃO CONSEGUIA FECHAR A MÃO.
A MENINA AO VER A VELHA BRUXA FICOU TÃO APAVORADA QUE QUASE DESMAIOU, MAS TOMADA PELA CORAGEM. JÁ QUE ALI ESTAVA APROXIMOU-SE DA VELHA BRUXA E DISSE:
- OLÁ, VOVOZINHA!
- O QUE VOCÊ QUER?
-VOVÓ, EU VIM LHE PEDIR UMAS BRASAS. RESPONDEU A POBRE ORFÃ ESTREMECENDO DE MEDO.
- AH, EU SEI! CONHEÇO VOCÊ E O SEU PESSOAL. É MUITA IMPRUDÊNCIA DEIXAR O FOGO SE APAGAR. EO QUE A FAZ PENSAR QUE EU LHE DARIA AS BRASAS?
- PORQUE EU ESTOU TE PEDINDO VOVÓ. RESPONDEU A MENINA DEPOIS DE CONSULTAR A BONECA.
- ENTÃO, EU VOU TE DAR ALGUMAS BRASAS. MAS, EM TROCA VOCÊ TERÁ QUE LAVAR MINHAS ROUPAS, VARRER A CASA EO QUINTAL E PREPARAR A MINHA REFEIÇÃO. VOLTO MAIS TARDE PARA VER SE CUMPRIU SUA TAREFA. SE TUDO NÃO ESTIVER PRONTO VOCÊ MORRERÁ E SERÁ O MEU BANQUETE.
DEPOIS DISSO A BRUXA MÁ PEGOU SUA VASSOURA E SAIU VOANDO PELO CÉU SEM DEIXAR RASTROS. A MENINA ASSUSTADA CONSULTOU A BONECA PERGUNTANDO O QUE ELA DEVERIA FAZER ENQUANTO A BRUXA ESTAVA EFORA.
A BONECA GUARDIÃ DA MENINA DISSE QUE ELA CONSEGUIRIA REALIZAR TODAS AS TAREFAS EXIGIDAS PELA VELHA BRUXA E RECOMENDOU A PEQUENA LISA QUE FOSSE DESCANSAR UM POUCO ANTES DE COMEÇAR AS PESADAS TAREFAS.
E ENQUANTO A MENINA DORMIA A BONECA GUARDIA FEZ TODAS AS TAREFAS NO LUGAR DE LISA. ASSIM, QUANDO A BRUXA CHEGOU EM CASA ENCONTROU TUDO EM ORDEM.
NIARNA FICOU MUITO CHATEADA, POIS, VIU QUE A TAREFA TINHA SIDO. CUMPRIDA. ENTÃO, NÃO LHE RESTOU ALTERNATIVA, SENÃO LIBERAR A MENINA DANDO-LHE AS BRASAS QUE HAVIA PROMETIDO, CASO ELA CUMPRISSE A TAREFA.
MAS, ANTES DE PARTIR, A MENINA NÃO CONTEVE A CURIOSIDADE E PERGUNTOU PARA A BRUXA.
- VOVÓ, QUEM ERAM AQUELES CAVALEIROS QUE PASSARAM POR MIM ANTES DE EU CHEGAR AO SEU CASEBRE?
E A VELHA BRUXA RESPONDEU:
- O PRIMEIRO CAVALEIRO É O MEU DIA. O SEGUNDO É O MEU SOL NASCENTE. JÁ O TERCEIRO É A MINHA NOITE. DEPOIS, LISA DESPEDIU-SE DA VELHA BRUXA E PARTIU DE VOLTA PARA A SUA CASA COM SUA INSEPARÁVEL BONEQUINHA GUARDIÃ NO BOLSO DE SEU AVENTAL.
E PARA A SUA SURPRESA NÃO HAVIA NINGUÉM EM CASA. SENDO ASSIM A MENINA ORFÃ DE AMOR E CARINHO PERGUNTOU A BONECA GUARDIÃ O QUE HAVIA ACONTECIDO COM SUA MADRASTA E SUAS FILHAS?
E A BONECA GUARDIÃ DISSE A MENINA:
- OS TRÊS CAVALEIROS VIERAM ATÉ A SUA CASA POR ORDEM DA VELHA BRUXA QUE SE COMOVEU COM A SUA HISTÓRIA DE VIDA. VOCÊ SE RECORDA QUE QUANDO CHEGAMOS A CASA DA VELHINHA, ELA DISSE QUE JÁ CONHECIA VOCÊ E O SEU PESSOAL, POIS, ELA NÃO É UMA BRUXA MÁ, COISÍSSIMA NENHUMA, ELA É APENAS UMA AVÓ SOLITÁRIA E ABANDONADA COMO VOCÊ DEPOIS QUE SEUS PAIS MORRERAM. E ALGUM TEMPO DEPOIS DE SER ABANDONADA PELA FAMÍLIA DELA. A VELHINHA ISOLOU-SE DAS CUPESSOAS E DESDE ENTÃO MORA SOZINHA NAQUELA IMENSA FLORESTA, SE DISFARÇANDO DE BRUXA.
E A MENINA MAIS UMA VEZ CURIOSA PERGUNTOU PARA A BONECA GUARDIA:
- PORQUE A VOVOZINHA MANDOU OS TRÊS CAVALEIROS AQUI NA FAZENDA?
- PARA LIVRAR VOCÊ DAS MALDADES DA SUA MADRASTA E DE SUAS FILHAS INVEJOSAS POR NÃO SEREM TÃO BELAS COMO VOCE É!
- E O QUE OS TRÊS CAVALEIROS FIZERAM COM ELAS?
- O CAVALEIRO QUE REPRESENTA O DIA PRENDEU SUA MADRASTRA NUMA TORRE AONDE MINHA LUZ NÃO PODERÁ ALCANÇÁ-LA. PORTANTO, NUNCA MAIS ELA VERÁ A MINHA LUZ BRILHAR.
- JÁ O CAVALHEIRO QUE REPRENTA O SOL NASCENTE ATINGIU A FILHA MAIS VELHA DE SUA MADRASTRA, COM SEUS RAIOS QUENTES E ABRASADORES QUE A TRANSFORMARAM EM LAVAS DE UM VULCÃO.
E O CAVALEIRO DE NEGRO QUE REPRESENTA A NOITE CEGOU A FILHA MAIS NOVA DE EVANS CONDENANDO ELA A VIVER ETERNAMENTE NA ESCURIDÃO.
LISA, OUVINDO AS EXPLICAÇÕES DA BONECA GUARDIÃ, SENTIU-SE TRISTE COM O QUE HAVIA ACONTECIDO COM SUA MADRASTRA E AS FILHAS DELA.
E ALGUMAS LÁGRIMAS COMEÇARAM A CAÍREM DOS SEUS OLHINHOS.
.E A BONECA COMOVIDA PELAS LÁGRIMAS SINCERAS DA ATÉ ENTÃO, MENINA ORFÃ, DISSE A ELA.
- NÃO FIQUE TRISTE, POIS, VOCÊ NUNCA ESTEVE SOZINHA. PORQUE, ALÉM DA MINHA PROTEÇÃO, VOCÊ AINDA TEM O AMOR DAQUELA VELHINHA, A QUEM CHAMAM DE BRUXA. MAS, QUE NA VERDADE É A SUA AVÓ QUE HÁ ANOS ATRÁS FOI ABANDONADA POR SEU FILHO. E PEQUENA LISA OUVINDO ESSA REVELAÇÃO, IMEDIATAMENTE ENXUGOU AS LÁGRIMAS QUE ESCORRIAM NO SEU ROSTINHO E ABRIU UM SORRINDO LINDO E DISSE PARA A BONEQUINHA GUARDIÃ:
- AMOR, COM AMOR SE PAGA!
E A BONECA ACENOU PARA A MENINA POSITIVAMENTE COM A CABEÇA.


Biografia:
Saulo Piva Romero, professor de Língua Portuguesa e Poeta, 46 anos. Nasceu em São Paulo no dia 9 de março de 1972. Começou a escrever poesias aos 18 anos. É formado em Letras pelas Faculdades Associadas do Ipiranga com Licenciatura Plena em Língua Portuguesa, Inglesa e Literatura.Em 2000 publicou seu primeiro livro Vida, amor e esperança.
Número de vezes que este texto foi lido: 291


Outros títulos do mesmo autor

Contos JESUS – O VERDADEIRO NATAL Saulo Piva Romero
Contos A FANTÁSTICA FÁBRICA DE BRINQUEDOS DO PAPAI NOEL Saulo Piva Romero
Contos UM BICHO PAPÃO NA GELADEIRA Saulo Piva Romero
Contos EU, MINHA IRMÃ, MAMÃE E VOVÓ Saulo Piva Romero
Contos A PULGA E O PERCEVEJO Saulo Piva Romero
Contos A ÁRVORE DO AMOR Saulo Piva Romero
Contos SONHO DE CRIANÇA Saulo Piva Romero
Contos ASDRÚBAL, O DINOSSAURO RISONHO Saulo Piva Romero
Contos ZÉ DA LUPA E O MISTERIOSO CASO DO CONCURSO MISS BRASIL Saulo Piva Romero
Contos O VELHO SÁBIO Saulo Piva Romero

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 65.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 185985 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 166086 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 165460 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 131115 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 118178 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 81469 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 70204 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 65838 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 60918 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 56193 Visitas

Páginas: Próxima Última