Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
CONTRAPROPOSTA
Derlânio Alves de Sousa

Resumo:
Trata-se de um chamamento ao povo brasileiro para um baixo ao desmando no âmbito politico e administrativo no Brasil. propõe-se um novo sistema político e administrativo para o Brasil, menos privilégios políticos e mais benefícios ao povo.

CONTRAPROPOSTA

Alô Brasil, alô brasileiro!
Quero saber o que você gosta?!
Porque tenho pra você,
Meu Brasil, meu brasileiro;
Uma Contraproposta.

Enquanto você aí se diverte
No Natal, passagem de ano (Réveillon)
Comendo e bebendo, achando tudo muito bom.

(Enquanto isso...)

Lá em Brasília a caneta assina
O plano anual, aquele que assassina
Os direitos do cidadão;
São: aumento de impostos, novas arrecadações.
Redução do salário mínimo, fechamento de novos “acórdãos”

Alô Brasil, alô brasileiro!
Quero saber o que você gosta?!
Porque tenho pra você,
Meu Brasil, meu brasileiro;
Uma Contraproposta.

Mal passa o “ano novo” já é carnaval
A galera faz aquele festival
Com o samba no pé, com o frevo na mão,
Com o xaxado e o forró, um só arrastado no chão
Cada um com seu ritmo, de acordo com a sua região.
Todo mundo comendo e bebendo, numa maior animação!!!

(Enquanto isso...)

Lá em Brasília a caneta alfineta um cidadão
E numa canetada só,
É criado o auxílio paletó
Auxílio moradia, plano de saúde,
E tantas outras regalias;
Passagens de avião, assistência a família,
Tudo isso e muito mais, à custa do cidadão.

Alô Brasil, alô brasileiro!
Quero saber o que você gosta?!
Porque tenho pra você,
Meu Brasil, meu brasileiro;
Uma Contraproposta.

Na semana santa, pra não dizer do pecado.
Enquanto poucos rezam e oram para que Deus seja louvado.
Muitos aproveitam a ocasião, pra subir o preço do peixe, do queijo e dos seus derivados
O povo em sua maioria, bebe, come, faz orgia...
Mergulhando-se cada vez mais nos absurdos do pecado.

(Enquanto isso...)

Lá em Brasília a caneta destina
Nosso dinheiro em propina,
Cria-se o mensalão,
Mas o governo, por ser esperto, anuncia:
Vai ter melhoria na saúde, na segurança e na educação.

Pra não ficar só no engano, o governo faz plano,
E fica no chove e não molha, no enrola, enrola...
Cria e em seguida amplia o chamado “Bolsa Escola”,
Depois muda pra “Bolsa Família”, pra não dizer “Bolsa Esmola”
Afinal, é o maior projeto social
Visto no Brasil, em toda sua história.

Alô Brasil, alô brasileiro!
Quero saber o que você gosta?!
Porque tenho pra você,
Meu Brasil, meu brasileiro;
Uma Contraproposta.

Em cada fim de semana, enquanto você curta uma balada,
Uma cerveja gelada, o futebol na televisão...
Vai à missa, vai ao culto, à família visitar...
Afinal a vida requer diversão, paz, amor e reflexão.
Deve sim, ser celebrada!

(Enquanto isso...)

Lá em Brasília a caneta não para
Há aumento da gasolina, venda do pré-sal,
Fim dos direitos trabalhistas e da Soberania Nacional
Por meio da privatização, terceirização e escambau.

Alô Brasil, alô brasileiro!
Quero saber o que você gosta?!
Porque tenho pra você,
Meu Brasil, meu brasileiro;
Uma Contraproposta.

E aí no meu, no seu dia a dia,
Na correria pro trabalho,
Ou no descanso no lar
Enquanto você assista ao um telejornal,
Antes e depois de uma telenovela
Algo se revela, pra se questionar.

O que você é contra? O que você é a favor?
O que é certo, o que errado?
Nessa inversão de valores?
Ou pra você está tudo bem, sem nenhum temor?

(Enquanto isso...)

Lá em Brasília a caneta dita
O que é certo ou que é errado
O povo que se dane, que pague pelo seu pecado
Afinal, povo que não reclama, merece ser domado.
Pois povo sem mando é povo lascado!

Alô Brasil, alô brasileiro!
Quero saber o que você gosta?!
Porque tenho pra você,
Meu Brasil, meu brasileiro;
Uma Contraproposta.

Agora meu irmão,
É tempo de eleição,
A “caneta de Brasília” está em sua mão.
Faça valer seus direitos, assim como cidadão.
Saiba dar resposta a quem merece,
Vamos acabar de vez com essa peste, chamada de corrupção.

Agora é a hora, meu irmão!
Com a “caneta” na mão,
É hora de dizer:
Fim dos privilégios políticos,
E mais benefícios pro cidadão.

A hora é agora.
Com a “caneta” na mão,
Não há um ato mais cívico,
Do que o de votar
É a maior manifestação,
Que um povo soberano, pode constatar.


Por fim, meu povo,
Não deixe de novo
Ao engano se levar.
Diga sim aos seus direitos,
E com todo respeito,
Vamos escolher alguém que
Saiba com decência, o Brasil administrar.

                                           Derlânio Alves
Arneiroz, 11de julho de 2018


Biografia:
Derlãnio Alves de Sousa, nascido em 04/01/1976 no município de Aiuaba CE, filho de agricultores, Eneas Alves e D. Santa, é professor de Língua Portuguesa, tem pós-graduação em Língua Portuguesa e Literatura brasileira.
Número de vezes que este texto foi lido: 27891


Outros títulos do mesmo autor

Poesias NA HORA DA DESPEDIDA Derlânio Alves de Sousa
Poesias NOS ESCOMBROS DO AMOR Derlânio Alves de Sousa
Poesias LÁGRIMA DE UM PROFESSOR Derlânio Alves de Sousa
Poesias CONTRAPROPOSTA Derlânio Alves de Sousa
Poesias ARNEIROZ AUTENTICO Derlânio Alves de Sousa
Poesias HOMENAGEM AOS FUNCIONÁRIOS DA ESCOLA DONDON FEITOSA Derlânio Alves de Sousa
Poesias SER PROFESSOR Derlânio Alves de Sousa
Poesias MINHA VIDA EM VERSOS (AUTOBIOGRAFIA) Derlânio Alves de Sousa
Poesias VIDA SIM, DROGAS NÃO! Derlânio Alves de Sousa
Poesias VER SA TI LI DA DE?! Derlânio Alves de Sousa

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 41.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 36035 Visitas
Amores! - 29602 Visitas
Desabafo - 29470 Visitas
PSICOLOGIA E DIREITO - Francisco carlos de aguiar neto 29088 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 29084 Visitas
Faça alguém feliz - 28907 Visitas
Vivo com.. - 28762 Visitas
viramundo vai a frança - 28587 Visitas
MENINA - 28561 Visitas
eu sei quem sou - 28542 Visitas

Páginas: Próxima Última