Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
O Grande Ganho da Piedade – Parte 3
Thomas Watson


Por Thomas Watson (1620-1686)

Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra

II. Eles falam um para o outro com um mau senso, que MURMURAM e se queixam um para o outro. Eles não se queixam de seus pecados - mas de seus desejos vãos. O murmúrio provém da incredulidade: "Eles não creram na sua palavra, mas murmuraram" (Salmo 106: 24-25). Quando os homens desconfiam das promessas de Deus, eles murmuram em suas providências. Este é um pecado que Deus dificilmente pode suportar! "Por quanto tempo devo suportar essa má congregação, que murmura contra mim?" (Num 14:27). Os discursos de Israel eram venenosos, e Deus os castigou com serpentes venenosas! (1 Cor 10:10).
III. Eles falam uns aos outros em um mau sentido que dão vazão à linguagem CORROMPIDA. O coração é um barril cheio de maldade, e a língua é a torneira que o deixa fluir! Quando o rosto explode em feridas e espinhas - mostra que o sangue está corrompido. Quando os homens falham em um discurso imundo - mostra que o coração é corrupto. Nós lemos que os lábios do leproso deveriam ser cobertos (Levítico 13:45). Seria uma benção - se pudéssemos cobrir os lábios imundos de nossos leprosos espirituais!
IV. Eles falam um ao outro em um mau sentido que, em vez de temperar suas palavras com graça, misturam-nas com JURAMENTOS. Os judeus rasgam e rasgam o nome de Deus, e, como cães loucos, voam na cara de Deus! "Por causa do juramento a terra lamenta" (Jeremias 23:10). Alguns pensam que é um bom discurso, misturar cada sentença com um juramento; como se estivessem indo para o inferno. "Mas", alguém diz: "é meu costume jurar". Isso é uma desculpa - ou um agravante do pecado? Se um malfeitor devesse ser acusado de roubo, e ele dissesse ao juiz: "Poupe-me, pois é meu costume roubar e roubar", o juiz diria: "Você morrerá mais!" Por cada juramento que um homem jura, Deus coloca uma gota de ira em seu frasco!
V. Reprova aqueles que, ao invés de falar de maneira sagaz um ao outro, falam dos outros:
Primeiro, eles falam de outros em forma de CENSURA. Alguns tornam parte de sua religião para falar e criticar os outros. Eles não imitam suas graças - mas falam sobre suas falhas. Os corações das pessoas seriam mais humildes se suas línguas fossem mais caridosos! É o sinal de um hipócrita - criticar os outros e louvar a si mesmo.
Em segundo lugar, eles falam dos outros em CALÚNIAS. "Você calunia o filho da sua própria mãe!" (Salmo 50:20). É uma calúnia quando falamos do mal de outros - e falamos o que não é verdade. O valor é criticado pela calúnia! A própria Santidade não é um escudo desse pecado. A inocência do cordeiro não o preservará do lobo! Jó chama a calúnia de "o flagelo da língua" (Jó 5:21). Você pode ferir um homem - sem nunca tocá-lo! Um caluniador fermenta a reputação de outro, e nenhum médico pode curar essas feridas! "Você não tem medo de falar contra o meu servo Moisés?" (Num 12: 8). Do meu servo, que fez tantos milagres, a quem falei cara a cara no monte! Você não teve medo de falar contra ele!
A palavra grega para caluniador significa demônio (1 Timóteo 3:11). A calúnia é o pecado próprio do diabo - ele é "o acusador dos irmãos" (Apocalipse 12:10). O diabo não comete adultério - mas ele é testemunha falsa. Nossa natureza é propensa à calúnia; mas lembre-se, é tanto um pecado no julgamento de Deus para quebrar o Nono Mandamento, como o Oitavo.
A terceira aplicação é para EXORTAÇÃO. Coloque este grande dever em prática! Imite estes santos no texto, que "falaram frequentemente um para o outro". Jerônimo pensa que falaram em defesa da providência de Deus; eles reivindicaram a Deus em seus tratos e se exortaram uns aos outros a não se desanimarem com os discursos virulentos dos ímpios - mas ainda a aguardarem um curso de piedade. Assim, os cristãos, quando se encontram, entreguem as almas uns aos outros - transmitam seu conhecimento espiritual, transmitam suas experiências um para o outro (Salmo 66:16). Sansão tendo encontrado mel, não só comeu dele mesmo - mas levou isso para o pai e a mãe (Juízes 14: 9). Você provou o amor da Palavra? Deixe os outros provarem com você!
Aquele que esteve na loja de perfumaria não só participa das fragrâncias doces, mas alguns dos perfumes aderecem às suas roupas, de modo que aqueles que se aproximam dele participam desses perfumes. De igual modo, tendo nós participado do sabor doce dos unguentos de Cristo, devemos deixar os outros participarem conosco e, através da nossa conversação celestial, difundir-lhes o perfume de piedade. Deixe suas palavras serem temperadas com sal (Col 4: 6). Deixe a graça ser o sal que tempera suas palavras e as torna salgadas. Os cristãos devem tomar todas as ocasiões para o discurso divino, quando caminham juntos e sentam-se à mesa juntos. Isso faz com que o ato de comer e beber seja "para a glória de Deus" (1 Coríntios 10:31). O que a torna uma comunhão de santos - senão uma conversa piedosa?
Mas alguns podem dizer que são estéreis em assuntos, e não sabem do que falar. Você andou com tanta frequência no campo da Escritura - ainda não juntou espigas? Você não se importa o suficiente com a Palavra para lhe fornecer algo para dizer? Deixe-me sugerir algumas coisas para você. Quando vocês se encontram, fale um ao outro sobre as promessas. Nenhum mel é tão doce - como aquele que cai de uma promessa! As promessas são o apoio da fé, as origens da alegria e a Constituição real dos santos. Vocês são cidadãos do céu, e ainda não falam de sua Constituição?
Fale da preciosidade de Cristo. Ele é toda beleza e amor; ele colocou seu sangue como o preço da sua redenção. Você tem um amigo que o redimiu, e ainda assim você nunca fala dele?
Fale uns contra os outros do pecado, que diabólico é o mal, como ele infectou sua natureza virgem e transformou-o em um inferno menor.
Fale da beleza da santidade, que é o bordado das almas, preenchendo-o com um esplendor tão orientador, que faz com que Deus e os anjos se apaixonem por isso. As graças são os caracteres sagrados da natureza divina.
Fale um ao outro de suas almas: pergunte se eles estão em boa saúde.
Fale sobre a morte e a eternidade: você pode pertencer ao céu e não falar do seu país?
Assim, você vê, aqui há assunto suficiente, para uma santa conversação. Por que, então, você não mantém o discurso piedoso? Eu acredito que uma razão principal para a decadência do poder da piedade, é a falta de conversação cristã. Pessoas quando se encontram conversam de vaidades - mas Deus e o céu são deixados fora de seu discurso! Para que eu possa persuadi-lo a falar sobre suas almas em suas conversas, deixe-me oferecer essas poucas coisas para sua consideração.
1. A conversa sagrada foi a prática dos santos antigos. Elias e Eliseu prosseguiram no discurso divino até que a carruagem do céu veio separá-los (2 Reis 2:11). A língua de Davi foi sintonizada na língua de Canaã: "A minha língua falará da sua justiça" (Salmo 71:24). Os cristãos primitivos, em qualquer companhia que estivessem, falaram de um reino glorioso que eles esperavam, de modo que alguns pensavam que eram ambiciosos de honra mundana. Mas o reino que procuravam não era deste mundo, mas um reino com Cristo no céu. Jerônimo diz que algumas das senhoras cristãs passaram a maior parte do tempo em comungar, e não o deixavam em paz, mas continuamente lhe faziam perguntas sobre suas almas.
2. Somos convidados a redimir o tempo (Efésios 5:16). Os poetas pintaram o tempo com asas, porque voa tão rápido! O tempo perdido deve ser resgatado, e existe uma maneira melhor de resgatar o tempo, do que redimi-lo na negociação para o céu e falar de Deus e nossas almas?
3. Jesus Cristo nos deixou um padrão. Suas palavras foram perfumadas com santidade: "E todos lhe davam testemunho, e se admiravam das palavras de graça que saíam da sua boca; e diziam: Este não é filho de José?" (Lucas 4:22). Cristo teve a graça em seus lábios (Salmos 45: 2). Em todas as companhias, ele manteve o discurso piedoso. Quando ele se sentou no poço de Jacó, ele entrou em um discurso celestial com a mulher de Samaria sobre a água da vida (João 4:14). E quando Levi fez para ele um banquete (Lucas 5:29), Cristo o festeja em troca - com o discurso celestial. E logo Cristo foi ressuscitado do túmulo, mas ele "estava falando sobre as coisas relativas ao reino de Deus" (Atos 1: 3). Quanto mais espirituais somos em nossos discursos, mais nos assemelhamos a Cristo! Não deveriam os membros se ajustarem à cabeça? Cristo não será nosso Salvador, a menos que o façamos nosso padrão.
4. O discurso divino impediria o discurso pecaminoso. Muito pecado passa na conversa comum - como o cascalho e a lama passam junto com a água. Quantos são culpados de língua pecaminosa! O discurso divino impediria o mal, pois o trabalho impede a ociosidade. Se acostumarmos nossas línguas ao dialeto celestial, o diabo não teria muito poder sobre nós.
5. Podemos ter um pouco de conhecimento dos corações dos homens - pelo seu discurso comum. As palavras são o espelho da mente. Como você pode julgar um rosto pelo espelho, seja ele justo ou sujo; então, pelas palavras - podemos julgar o coração de um homem. Uma língua lasciva mostra um coração lúgubre; uma língua mundana mostra um coração cobiçoso; uma língua graciosa mostra um coração gracioso. Os efraimitas eram conhecidos por sua pronúncia, dizendo "Sibboleth" para "shibboleth" (Juízes 12: 6). Assim, pela maneira de nosso discurso - pode-se saber a quem pertencemos. A língua é o indicador do coração! Se você abrir um barril, o que está dentro, irá sair. Pelo que sai da boca - você pode adivinhar o que está dentro, no coração! "Da abundância do coração - a boca fala" (Lucas 6:45).
6. O discurso divino é benéfico. "A língua do sábio traz cura". (Provérbios 12:18). Uma palavra falada na ocasião apropriada pode fazer uma impressão tão poderosa sobre o coração de outro, o que lhe fará bem por toda a sua vida. Um único carvão é capaz de morrer - mas muitas brasas juntas permanecem no calor. Os cristãos por sua conversa celestial podem "explodir" a graça do outro em uma chama!
Quando as filhas de Jerusalém conversaram um pouco com a esposa, e a ouviram descrever a beleza admirável de Cristo, suas afeições começaram a ser inflamadas, e elas o buscariam com ela. "Para onde foi o teu amado, ó tu, a mais formosa entre as mulheres? Para onde se retirou o teu amado, a fim de que o busquemos juntamente contigo?" (Can 6: 1).
Um cristão, pelo discurso divino, pode iluminar outro quando ele é ignorante; aquecê-lo quando ele estiver congelado; consolá-lo quando estiver triste; e confirma-lo quando ele está vacilando. Latimer foi muito fortalecido pelo discurso com Thomas Bilney na prisão e ouvindo sua confissão de fé. Uma vida piedosa adorna a verdadeira religião - uma língua divina se propaga! Quando o apóstolo quisesse que nos edificássemos uns aos outros, que melhor maneira ele poderia prescrever do que isso - para que tais discursos sagrados saiam da nossa boca, que possam "ministrar graça aos ouvintes" (Efésios 4:29)?
7. Devemos ser responsáveis perante o Senhor pelo nosso discurso. As palavras são julgadas leves pelos homens - mas elas pesam na balança de Deus. Por nossas palavras, seremos salvos ou condenados. "Porque pelas suas palavras você será justificado, e por suas palavras você será condenado" (Mat 12:37). Se nossas palavras foram temperadas com graça - então a sentença de absolvição provavelmente irá do nosso lado.
8. O discurso divino é uma honra para o cristão. A língua é chamada nossa glória (Salmo 30:12), porque é o instrumento de glorificar a Deus. Quando nossas línguas estão fora de sintonia em murmurar, então elas não são nossa glória; mas quando os órgãos tocam no discurso sagrado, nossas línguas são a nossa glória.
9. O discurso divino será um meio para levar Cristo à nossa companhia. Enquanto os dois discípulos estavam falando sobre a morte e os sofrimentos de Cristo, o próprio Jesus Cristo veio entre eles: "Enquanto eles se comunicavam ... O próprio Jesus aproximou-se e foi com eles" (Lucas 24:15). Quando o discurso ruim prevalece, Satanás aproxima-se e faz-se uma companhia; mas quando o discurso de Deus é promovido - Jesus Cristo se aproxima.
Que tudo o que foi dito nos incentive ao discurso piedoso. Certamente, não há melhor maneira do que isso para aumentar nosso estoque de graça. Outros, por gastos crescem pobres; mas quanto mais nos entregamos ao discurso sagrado, mais ricos crescemos na graça; como o óleo da viúva, sendo derramado, aumentou (2 Reis 4).
Pergunta: como pode ser feita a conversação piedosa?
Resposta 1. Se você quer discursar sobre a verdadeira religião, tenha sua mente bem mobilada com conhecimento. Por isso, você terá um tesouro para buscar. "Estou repleto de palavras" (Jó 32:18). Alguns estão atrasados para falar de coisas piedosas por falta de assunto. Se você deseja que sua língua funcione fluentemente com piedade, ela deve ser alimentada com uma fonte de conhecimento. "Que a palavra de Cristo habite em vós ricamente" (Colossenses 3:16). Em um dos milagres que Cristo operou, ele primeiro fez com que os vasos de água fossem enchidos com água, e depois disse: "Tirai agora, e levai ao mestre-sala." (João 2: 8). Portanto, primeiro devemos ter nossas cabeças cheias de conhecimento, e então poderemos extrair assuntos para os outros no discurso divino.
Resposta 2. Se você deseja discursar prontamente sobre as coisas de Deus, faça da piedade seu deleite. No que os homens se deleitarem - eles estarão falando. O sensualista fala de seus esportes; o mundo da sua rica compra.
Respostas 3. Orem para que Deus lhes ofereça a sua graça para conferência cristã. "Ó Senhor, abra meus lábios!" (Salmos 51:15). Satanás trancou os lábios dos homens. Ore para que Deus os abra. Talvez você ore para que você possa acreditar em Cristo - mas você ora para que possa louvá-lo, e não se envergonhar de falar dele diante dos outros? "Eu também falo dos seus testemunhos diante dos reis, e não me envergonharei" (Salmo 119: 46).
A. O Piedoso deve Meditar no Nome de Deus
A segunda característica especial dos piedosos no texto é "eles pensaram no nome de Deus". Estes santos, quando estavam juntos, falaram de Deus; quando estavam sozinhos - pensavam em Deus. Eles "pensaram em seu nome".
Pergunta. O que se entende por nome de Deus?
Resposta 1. Pelo nome de Deus se entende a essência dele; o nome de Deus é posto para o próprio Deus.
Resposta 2. Pelo nome de Deus se entende seus atributos gloriosos, que são, por assim dizer, as várias letras de seu nome.
Resposta 3. Pelo nome de Deus se entende sua adoração e ordenanças, onde seu nome é chamado. "Mas ide agora ao meu lugar, que estava em Siló, onde, ao princípio, fiz habitar o meu nome, e vede o que lhe fiz, por causa da maldade do meu povo Israel." (Jeremias 7:12). Ou seja, onde eu instituí o meu culto público pela primeira vez.
Agora, este nome de Deus, os santos no texto contemplavam, eles pensaram em seu nome. Os pensamentos são o primogênito da alma, as concepções da mente, o fruto imediato e o resultado de um ser racional. "Os pensamentos são as representações das coisas na imaginação". Essas almas devotas no texto estavam ocupando seus pensamentos sobre Deus e o céu.
É o sinal inseparável de um homem piedoso, empregar seus principais pensamentos sobre Deus: "Os pensamentos dos justos são retos" (Provérbios 12: 5); isto é, eles são definidos no objeto certo. É natural pensar. Os pensamentos voam para fora da mente - como as faíscas voam para fora de um forno. A palavra hebraica para um pensamento significa os ramos de uma árvore, porque os pensamentos disparam de nossas mentes como os ramos fazem de uma árvore. É, eu digo, natural pensar - mas não é natural pensar em Deus; isso é próprio de um santo. Seus pensamentos são sublimes e seráficos - eles voam para o céu.
A mente é uma casa de mina onde os pensamentos são cunhados. Davi escreveu pensamentos de ouro: "Eu ainda estou contigo" (Salmo 139: 18), isto é, pela contemplação divina. Os pensamentos são os viajantes da alma. Os pensamentos de Davi continuaram no caminho do céu: "Estou continuamente contigo" (Salmo 73:23). Assim como a agulha dos marinheiros se volta para o Polo Norte, os pensamentos de um santo ainda estão apontando para Deus.
Questão. Por que é que os pensamentos dos santos se aproximam de Deus?
Resposta 1. Estará esse pensamento sobre Deus - nas perfeições intrínsecas que estão nele. A beleza do objeto atrai os pensamentos. Deus é o bem supremo. Não há nada além de Deus, que realmente valha à pena pensar. "Você é minha porção, Senhor" (Salmo 119: S7). Os pensamentos de um homem não correrão sobre sua porção? Uma alma graciosa encontrou prazer em pensar em Deus (Salmo 63: 5-6). Ela teve aquelas transfigurações no monte, aquelas entranhas do Espírito, aquelas entradas do amor de Deus, aquelas que são para a glória, para que ele não possa manter seus pensamentos fora de Deus! Impedi-lo de pensar em Deus - é impedi-lo de todo o seu prazer.
Resposta 2. Estará pensando em Deus - nas poderosas operações do Espírito Santo. Nós não podemos pensar com um pensamento piedoso (2 Cor. 3: 5) - mas o Espírito eleva e corrige o coração sobre Deus: "O Espírito me levantou" (Ez 3:14). Quando você vê o ferro se mover para cima - você sabe que houve alguma atração de um ímã. Assim, quando os pensamentos se movem para cima em direção a Deus, o Espírito, como um ímã divino, os atraiu!
Primeira Aplicação: REPROVAÇÃO.
Da aljava deste texto, eu posso tirar várias flechas de repreensão:
1. Reprova aqueles que não pensam no nome de Deus. É a marca de um reprovado: "Deus não está em todos os seus pensamentos" (Salmo 10: 4). Ele tenta expurgar e afastar Deus de sua mente. Embora ele respire de Deus - mas ele não pensa nele. Todos os seus pensamentos disparam para a terra (Filipenses 3:19). Se os pecadores não tivessem perdido a cabeça deles, eles iriam raciocinar com eles mesmos: "Certamente, vale a pena pensar em Deus. Existe alguma excelência no mundo? Então, que excelência existe em Deus – que foi quem o fez! Ele dá à estrela a sua beleza, à flor a sua fragrância, à comida ser agradável! Se há um deleite na criatura, o que deve haver em Deus! Ele deve ser melhor do que todos. Ó minha alma, devo admirar a gota - e não o oceano? Eu penso na obra, e não naquele que a fez?"
Este esquecimento de Deus, é fruto do pecado original, que desviou a alma e tirou-a do objeto certo.
2. Repreende aquele que de fato, pensa em Deus, mas que não tem pensamentos certos sobre ele. Como o Senhor disse a Elifaz: "Você não falou de mim o que é certo" (Jó 42: 7); então alguns pensam em Deus - mas eles não pensam nele com razão.
1. Eles têm pensamentos pouco dignos de Deus. Eles imaginam que Deus seja como eles (Salmo 50:21). Os homens pensam que Deus é tão míope quanto eles, e que ele não pode vê-los através do espesso dossel das nuvens. (O que faz um relógio conhece todas as rodas e engrenagens nele, e a fonte que causa o movimento.) Deus, que é o inspetor do coração (Atos 1:24; 15: 8) vê todas as intrigas e parcelas privadas nos pensamentos (Jó 42: 2; Amós 4:13). Deus conhece o verdadeiro movimento de um coração falso! "Eu sei, e sou uma testemunha - diz o Senhor" (Jeremias 29:23).
2. Os homens têm pensamentos ruins de Deus.
Primeiro, eles pensam que seus caminhos são injustos. "Dizeis, porém: O caminho do Senhor não é justo. Ouvi, pois, ó casa de Israel: Acaso não é justo o meu caminho? não são os vossos caminhos que são injustos?" (Ez 18:25). Alguns chamam a providência de Deus para a barreira da razão e julgam suas ações serem injustas. Mas Deus diz: "E farei o juízo a linha para medir, e a justiça o prumo; e a saraiva varrerá o refúgio da mentira, e as águas inundarão o esconderijo." (Isaías 28:17). Seus caminhos são secretos, mas nunca são injustos. Deus está mais no seu caminho - quando pensamos que ele está fora do mesmo.
Em segundo lugar, eles pensam que seus caminhos não são rentáveis. "Vós tendes dito: lnútil é servir a Deus. Que nos aproveita termos cuidado em guardar os seus preceitos, e em andar de luto diante do Senhor dos exércitos?" (Mal 3:14). Não podemos mostrar nossos ganhos. Estes não são pensamentos corretos de Deus. Os homens acham que ele é um mestre duro; mas Deus não terá dívidas de ninguém, e dá duplo pagamento: "Nem aceitarei oferta da vossa mão." (Mal 1:10).
3. Repreende quando, em vez de pensar em Deus, ter suas mentes completamente ocupadas com pensamentos vãos. Pensamentos vãos são a espuma do cérebro. "Lava o teu coração da maldade, ó Jerusalém, para que sejas salva; até quando permanecerão em ti os teus maus pensamentos?" (Jeremias 4:14). Não nego que pensamentos vãos às vezes podem entrar nos melhores corações - mas eles têm o cuidado de expulsá-los antes da noite, de para que não se hospedam lá. Mas isso define o homem perverso: seus pensamentos se concentram na vaidade; e é bom que seus pensamentos sejam considerados vaidosos, porque não se tornam lucrativos! "Vaidade e coisas em que não há lucro" (Jeremias 16:19). São pensamentos vãos, que são coisas tolas, e correm tudo em palha. São pensamentos vãos que não melhoram o coração, nem darão uma gota de conforto na morte: "Naquele mesmo dia seus pensamentos perecem" (Salmo 146: 4). Vãos pensamentos são corruptos; eles mancham o coração e deixam uma tintura malvada para trás.
4. Repreende quando se tem, não apenas pensamentos vãos, mas pensamentos vis.
Em primeiro lugar, pensamentos orgulhosos: enquanto eles se veem no espelho do amor próprio, eles começam a assumir pensamentos veneráveis de si mesmos, e assim deixam o orgulho penetrar na cabeça e os torna vertiginosos! (Atos 5:36).
Em segundo lugar, pensamentos impuros. Eles pensam como satisfazer suas concupiscências - eles "providenciam", ou, como a palavra significa, tornam-se "provedores" para a carne (Romanos 13:14).
O pecado começa nos pensamentos. Os primeiros homens inventam o pecado - então eles o praticam (Miq 2: 1-2). Por exemplo, se alguém procura preferência, ele pensa consigo mesmo em que escalão ele pode escalar para ser honrado. Ele se encolherá e agirá, e deixará de lado a consciência, porque ele acha que essa é a maneira de se levantar. Se um homem deseja ficar rico, ele faz seus pensamentos trabalharem quanto a como obter uma propriedade. Ele derrubará sua alma - para construir uma propriedade. Ele causaria maldade a outro? Ele enquadra um plano em seus pensamentos para prejudicá-lo. Como Jezabel (essa prostituta pintada) quando ela arruinaria Nabote, atualmente finge um enredo simulado e pensa sutilmente sobre como realizá-lo: "Assim escreveu nas cartas: Apregoai um jejum, e ponde Nabote diante do povo. E ponde defronte dele dois homens, filhos de Belial, que testemunhem contra ele, dizendo: Blasfemaste contra Deus e contra o rei. Depois conduzi-o para fora, e apedrejai-o até que morra.” (1 Reis 21: 9,10).
Ah, o mal dos pensamentos! Um homem pode negar a Deus em seus pensamentos: "O tolo disse em seu coração - não há Deus" (Salmo 14: 1). Ele pode cometer adultério em seus pensamentos: "Quem olha para uma mulher para cobiçá-la, cometeu adultério com ela em seu coração" (Mateus 5:28). Um homem pode matar outro em seus pensamentos: "Quem odeia o seu irmão é um assassino" (1 João 3:15). Oh quanta maldade contemplativa há no mundo! Tremem em pensamentos pecaminosos. Nós afastamos o pecado grosseiro - mas não nos preocupamos tanto com os pensamentos pecaminosos. Saiba, em primeiro lugar, que o pecado pode ser cometido nos pensamentos, embora nunca aflore em um ato externo: "O pensamento da loucura é pecado!" (Prov 24: 9). Veja isso ilustrado em duas coisas:
Inveja - os judeus invejavam Cristo, pela fama de seus milagres: "Pilatos sabia que por inveja o haviam entregado." (Mateus 27:18). Aqui estava o pecado cometido nos pensamentos. Os judeus pecaram invejando a Cristo, embora nunca o tenham crucificado.
Descontentamento - "O Senhor aceitou Abel e sua oferta, mas ele não aceitou Caim e sua oferta. Isso fez Caim muito irritado e abatido" (Gênesis 4: 4-5). Ele odiou seu irmão, e seus pensamentos se reduziram ao descontentamento. Aqui estava o pecado cometido nos pensamentos. Caim pecou em ficar descontente, ainda que ele nunca tivesse assassinado seu irmão.
Saiba que Deus vai punir os pensamentos pecaminosos. Nós dizemos que os pensamentos são livres - e assim eles estão na corte do homem; mas Deus vai punir por pensamentos! Foi estabelecido com a nota de Herodes, que ele pensou em destruir Cristo sob a pretensão de adorá-lo (Mateus 2: 8).
Deixe-nos ser humilhados pelos pecados de nossos pensamentos. "Se pensaste mal, coloca a mão sobre a tua boca" (Provérbios 30:32); isto é, humilhe-se e abaixe-se diante do Senhor. As pessoas mais santas vivas, precisam ser humilhadas por seus pensamentos:
Primeiro, pela instabilidade de seus pensamentos. Como seus pensamentos dançam para cima e para baixo em oração. É difícil amarrar dois pensamentos piedosos juntos.
Em segundo lugar, pela impiedade de seus pensamentos. No fruto mais justo, pode haver um verme, e no melhor coração, podem surgir pensamentos malignos. Os corações dos homens ficaram de pé onde os seus rostos fazem, eles corarem para olhar um para o outro! Deixe-nos ser profundamente humilhados por nossos pensamentos. Olhemos para Cristo, que ele fique de pé entre nós e a justiça de Deus, e que interceda por nós, para que os pensamentos dos nossos corações sejam perdoados.
Segundo uso: EXORTAÇÃO.
Pensemos no nome de Deus; deixe-nos encerrar-nos com Deus todos os dias; deixe nossos pensamentos obter asas e, com os pássaros do paraíso, voarem para o céu. Cristão, olhe esse dia como sendo perdido, no qual você não conversou com Deus em seus pensamentos; pense em Deus em seu quarto, na sua loja; comércio. "Isaque saiu para meditar no campo" (Gênesis 24:63). Ele caminhou no céu por enunciados sagrados. Nossas mentes devem ser imersas em pensamentos sagrados.
Não é suficiente ter alguns pensamentos transitórios de Deus - mas deve haver uma fixação de nossas mentes em Deus, até que nossos corações se apaixonem por ele, e podemos dizer, como aqueles em Lucas 24:32, "Não fez nosso coração arder em nós?"
Mas qual deve ser a questão de nossas meditações sagradas?
1. Pense no imenso ser de Deus.
Adore seus ATRIBUTOS ilustres, que são os feixes pelos quais a natureza divina brilha. Pense na onisciência de Deus. Ele avalia de forma particular e julga todas as nossas ações, e as anota em seu livro. Pense na santidade de Deus, que é a joia mais brilhante da sua coroa (Êxodo 15:11). Pense na misericórdia de Deus, a qual percorre todos os seus demais atributos. Santidade sem piedade, e justiça sem piedade, seria terrível. Pense na veracidade de Deus: "Abundante na verdade" (Êxodo 34: 6); isto é, Deus estará tão longe de ficar sem sua palavra, que ele faz mais do que ele disse. Ele dispara além da promessa, nunca menos.
Pense nas OBRAS de Deus: "Também meditarei sobre todas as suas obras" (Salmo 77:12). As obras de Deus estão ligadas em três grandes volumes: Criação, Providência, Redenção. Aqui está uma questão doce para os nossos pensamentos poderem recorrer.
Para fazer cumprir a exortação, permitam-me propor alguns argumentos e incentivos para serem frequentes em nossos pensamentos de Deus.
1. A razão pela qual Deus nos deu uma faculdade de pensamento, é para que podemos pensar em seu Nome. Quando nossos pensamentos terminam em coisas vãs, devemos pensar assim: Deus nos deu esse talento para errar?
2. Se não nos habituamos a pensamentos piedosos, não podemos ser cristãos piedosos. Pensar seriamente nas coisas celestiais - faz com que elas permaneçam em nossas mentes, provoca alguma coisa nelas e as nutre. Meditar em objetos sagrados, é como digerir alimentos, o que o transforma em alimento. Sem pensamentos sagrados, não existe uma verdadeira religião. Um homem pode ser piedoso e quase nunca pensa nisso?
3. Estamos profundamente obrigados a pensar em Deus. Porque, primeiro, Deus é o nosso Criador. "É ele quem nos criou, e não nós mesmos" (Salmos 100: 3). Nossos corpos são o bordado fino de Deus (Salmo 139: 15). E como Deus forjou a caixa, então ele colocou uma joia nela - a alma preciosa. Deus nos criou - e não devemos pensar nele?
Em segundo lugar, Deus adoçou nossas vidas com várias misericórdias. Uma cidade da Sicília está tão bem situada, que o sol nunca esteve fora da vista. Assim, Deus nos colocou tão fortemente por sua providência, que a luz do sol da sua misericórdia nunca está fora de vista. Somos milagrosamente atendidos com a sua misericórdia! Sua misericórdia nos alimenta com o melhor trigo - o pão da vida; a piedade nos protege com uma guarda de anjos; isso faz com que a rocha derrame rios de petróleo. Será que o fluxo não nos leva à fonte? Não pensamos no Deus de nossa misericórdia? Esta é uma alta ingratidão.
4. Ter pensamentos frequentes e devotos de Deus - evidencia SINCERIDADE. Não existe mais pedra de toque verdadeira da santidade do que a espiritualidade dos pensamentos. O que os pensamentos de um homem são - esse é o homem! "Pois, como ele pensa em seu coração, assim é ele" (Provérbios 23: 7). Os pensamentos são mais livres da hipocrisia do que as palavras. Pode-se falar bem para aplausos, ou para se defender da opinião dos outros; mas quando estamos sozinhos e pensamos no Nome de Deus, e admiramos suas excelências, isso mostra o coração como ele é. Os pensamentos são mais livres da hipocrisia do que o comportamento externo de um homem. Um homem pode ser adorável em seu comportamento externo - ainda que tenha uma mente cobiçosa e vingativa! Os atos do pecado podem ser ocultos, quando o coração se encaixa no pecado. Mas ter os pensamentos espiritualizados e colocá-los em Deus é um sinal mais verdadeiro de sinceridade - do que uma vida livre do vício.
Sobre o que você pensa? Onde eles fazem suas visitas mais frequentes? Você pode dizer: "Senhor, nossos corações ainda estão subindo ao céu, nossos pensamentos estão alojados no paraíso, embora não vejamos seu rosto - ainda assim pensamos em seu Nome!" Esta é uma boa evidência de sinceridade. Nós julgamos os homens por suas ações; Deus os julga por seus pensamentos!
5. Pensar muito em Deus - curaria o amor ao MUNDO. As coisas boas parecem pequenas - para aquele que está no alto. Por exemplo, em cima do topo dos Alpes, as grandes cidades da Itália parecem pequenas aldeias. Para aqueles que estão montados no alto da contemplação de Cristo e da glória - como as coisas do mundo desaparecem e até encolhem em nada! Uma alma elevada pela fé acima dos planetas visíveis, tem a terra debaixo de seus pés. Um verdadeiro santo se interpõe com assuntos seculares, mais por necessidade do que escolha. Os pensamentos de Paulo são celestiais e sublimes - ele viveu nas altitudes - e como ele desprezou o mundo! "O mundo está crucificado para mim!" (Gálatas 6:14).
6. Pensar em Deus – expulsa o pecado. De onde vem a impiedade, senão da inconsciência? Se apenas os homens considerassem cuidadosamente a santidade e a justiça de Deus, eles ousariam pecar na taxa que eles fizeram? O que manteve José em cheque, foi o pensamento de um Deus vingador do pecado. Quando as delícias do pecado nos fazem cócegas - que os pensamentos de Deus entrem nas mentes dos homens, que ele seja o espectador e o juiz - e, que depois das coroas douradas e do cabelo das mulheres - vem os dentes dos leões! (Apocalipse 9: 8). Isso os colocaria em um suor frio - e seria como a espada agitada pelo anjo! (Num 22:31). Isso os assustaria do pecado!
7. Pensar em Deus é um meio admirável para aumentar nosso AMOR a Deus. Como foi com as meditações de Davi: "Escandesceu-se dentro de mim o meu coração; enquanto eu meditava acendeu-se o fogo." (Salmo 39: 3); então dá-se o mesmo com nossa reflexão sobre a Deidade. Enquanto pensamos em Deus - nossos corações se encaixam com ele.
A razão pela qual nossas afeições estão tão geladas e frias na religião - é que não as aquecemos com pensamentos de Deus. Mantenha uma lupa para o sol, e o vidro queima o que está perto dele. Então, quando nossos pensamentos são levados a Cristo, o Sol da justiça, nossas afeições são incendiadas. Assim que a esposa pensou na beleza de seu Salvador, caiu em doença de amor. (Can 5: 8). Ó santos, deitem seus pensamentos sobre o amor de Cristo, que passou por anjos e pensou em você; que foi ferido para que, de suas feridas, o bálsamo de Gileade pudesse vir a curá-lo; quem saltou para o mar da ira de seu Pai, para que você se afogue no lago de fogo do seu amor! Pense neste amor incomparável, que coloca os anjos inquirindo - e veja se isso não afetará seus corações e provocará lágrimas!
8. Pensar em Deus, gradualmente nos transformará em sua imagem. Como o rebanho de Jacó olhando para as hastes que tinham traços brancos concebiam e produziam como eles (Gn 30:39), então, contemplando a santidade de Deus, nós somos transformados em alguma medida em sua semelhança! "Contemplando como no espelho a glória do Senhor, somos transformados na mesma imagem" (2 Coríntios 3:18). A visão contemplativa de Deus estava se transformando; tinham alguma cópia da santidade de Deus sobre eles; como Moisés quando ele estava no monte com Deus, seu rosto brilhava! (Êxodo 34:35). O que é a piedade, senão a semelhança de Deus? E quem é tão parecido com ele - como aqueles que pensam em seu nome?
9. Pensar em Deus é doce. Ele oferece um prazer secreto para a alma! "Minha meditação dele será doce" (Salmo 104: 34). Aquele cuja cabeça fica acima das nuvens - seus pensamentos se elevaram, tem Deus aos seus olhos, está cheio de arrepios divinos e grita como Pedro na transfiguração: "Senhor, é bom para nós estar aqui!" Os pensamentos sagrados são a pomba que enviamos da arca de nossas almas - e eles retornam com um ramo de oliveira de paz. Alguns reclamam que não têm alegria em suas vidas. Não é de admirar, quando são tão estranhos à contemplação celestial! Você gostaria que Deus lhe dê alegria e conforto? E nunca pensa nele? Na verdade, Israel tinha maná caindo em suas tendas, e eles nunca pensaram nisso; mas Deus não deixará cair esse maná de alegria celestial sobre aquela alma que raramente ou nunca pensa nele.
Você gostaria que seu espírito fosse alegre? Deixe seus pensamentos serem celestiais!
10. Os pensamentos de Deus voltarão para a melhor conta. Os pensamentos no mundo são muitas vezes em vão. Alguns pensam em colocar uma porção para um filho; e talvez morra, ou viva para ser um julgamento severo para eles.
Como os homens criam castelos no ar! Mas os pensamentos de Deus se transformarão em uma boa conta, eles aumentam a santificação e trazem satisfação: "A minha alma se farta, como de tutano e de gordura; e a minha boca te louva com alegres lábios. quando me lembro de ti no meu leito, e medito em ti nas vigílias da noite."(Salmo 63: 5,6). Os pensamentos que temos de Deus no tempo da saúde, serão um consolo para nós no tempo da doença.
11. Deus pensa em nós - e não devemos pensar nele? "O Senhor pensa em mim!" (Salmo 40:17). Deus pensa em nós todas as manhãs; suas misericórdias são "novas todas as manhãs" (Lam 3:23). Ele nos dá uma misericórdia noturna, ele nos adormece todas as noites: "Ele supre aos seus amados enquanto dormem." (Salmo 127: 2). E se despertarmos, ele dá "músicas na noite" (Jó 35:10). Se Deus está pensando em nós dia e noite, não devemos pensar em seu Nome? Como podemos esquecer um amigo que está sempre atento a nós? "Pois eu bem sei os planos que estou projetando para vós, diz o Senhor; planos de paz, e não de mal, para vos dar um futuro e uma esperança." (Jeremias 29:11). Embora Deus esteja fora de nós - não estamos fora de seus pensamentos!
12. Deus um dia prestará contas conosco, dos nossos pensamentos. Ele dirá: "Eu lhe dei uma faculdade mental. O que você fez com isso?" Se Deus pede a um homem cobiçoso: "O que você tem pensado? De que maneira seus pensamentos funcionam?" Ele responderá: "Para amontoar riquezas!" Se Deus pede aos príncipes e aos imperadores: "Como você empregou seus pensamentos?" Eles dirão: "Por nosso cetro - para derrubar o poder da piedade". Que horrível conta essas pessoas terão que dar finalmente! Não só as ações dos homens, mas seus pensamentos os acusarão! "Testificando juntamente a sua consciência e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os." (Romanos 2:15).
13. Nossos pensamentos de Deus não serão perdidos. Deus aceita o pensamento - pela ação. Davi teve um bom pensamento em sua mente para construir um templo, e Deus aceitou como se ele tivesse feito isso! "Mas o Senhor disse a Davi, meu pai: Porquanto tiveste no teu coração o propósito de edificar uma casa ao meu nome, fizeste bem em ter isto no teu coração." (2 Crônicas 6: 8). Quando os cristãos têm pensamentos para promover a glória de Deus - que fariam tais atos bons se isso estivesse em seu poder - o Senhor olha como se tivesse sido feito. Para que nossos pensamentos sobre Deus não estejam perdidos:
Pensemos em Deus de uma MANEIRA certa. Um bom remédio pode ser estragado na confecção. Então, um bom dever pode ser prejudicado. Os pensamentos podem ser bons para a questão deles, mas podem ser defeituosos na maneira. Devo mostrar-lhe, primeiro, como os pensamentos sobre Deus podem falhar em sua maneira. Há uma maneira correta de pensar em Deus.
1. Como os pensamentos sobre Deus podem falhar na sua maneira.
Primeiro, um homem pode ter bons pensamentos sobre Deus, e ainda não pretender a sua glória. Jeú teve bons pensamentos em sua mente, para destruir os adoradores de Baal, mas sua intenção era avançar para o trono! Objetivos ruins prejudicam boas ações!
Em segundo lugar, um homem pode ter bons pensamentos sobre Deus, mas eles são forçados. Quando alguém sangra sob a mão aflitiva de Deus, ele pode pensar em Deus – e ainda não ter amor a ele. "Quando ele os fazia morrer, então o procuravam; arrependiam-se, e de madrugada buscavam a Deus. Lembravam-se de que Deus era a sua rocha, e o Deus Altíssimo o seu Redentor. Todavia lisonjeavam-no com a boca, e com a língua lhe mentiam." (Salmos 78: 34-36). Estes eram bons pensamentos - mas era para pagar a Deus um elogio para se livrar da aflição.
Em terceiro lugar, um homem pode ter pensamentos sobre Deus, nascidos de um projeto para calar a boca da consciência. A consciência acusa o pecador profano: "O que! Você é tão perverso para nunca pensar em Deus, que lhe concede tantos favores?" Aqui, ele pode ter alguns bons pensamentos; mas eles são irritantes para ele - isso não é de um princípio de consciência - mas de uma consciência tranquila.
Em quarto lugar, um homem pode pensar em Deus com horror! Ele pensa na soberania de Deus e teme os pensamentos de Deus. Você vê, pode-se pensar em Deus, mas os pensamentos podem tornar-se pecaminosos.
2. A maneira correta de pensar em Deus.
Primeiro, nossos pensamentos sobre Deus devem ser sérios. As penas flutuam na superfície - mas o ouro afunda na água. Espíritos tementes a Deus têm alguns pensamentos flutuantes; mas os corações piedosos se afundam profundamente nos pensamentos de Deus!
Em segundo lugar, nossos pensamentos de Deus devem ser espirituais. Tenha em atenção o fato de descrever qualquer ideia grosseira de Deus em sua mente, representando-o pela semelhança da criatura: "porque não vistes forma alguma no dia em que o Senhor vosso Deus, em Horebe, falou convosco do meio do fogo." (Deuteronômios 4:15). Conceba Deus em Cristo. Não podemos vê-lo de outra maneira, pois não podemos ver o sol no círculo, mas nos feixes. A divindade habita na natureza humana de Cristo (Colossenses 2: 9). Pense em Deus como um Espírito cheio de glória imensa, propício para nós através de um Mediador.
Em terceiro lugar, nossos pensamentos de Deus devem ser deleitosos. Com o prazer que uma criança pensa de seu pai! Uma alma graciosa conta as horas mais doces, que são gastas com Deus.
Em quarto lugar, nossos pensamentos de Deus devem ser operacionais e eficazes, deixando nossos corações em melhor sintonia. Os pensamentos da fidelidade de Deus devem nos fazer confiar nele. Os pensamentos da santidade de Deus devem nos fazer ser conformados a ele. Este é o pensamento correto sobre Deus - quando é influente, deixando-nos em uma condição mais celestial.
Terceiro Aplicação: DIREÇÃO
O texto nos mostra como ter nossos pensamentos com frequência fixados em Deus.
1. Comece o dia com pensamentos santos. "Quando eu acordar, ainda estou contigo" (Salmo 139: 18). Deus deve ter os primeiros comentários de nossos pensamentos. Na lei, o Senhor teria os primeiros frutos oferecidos. Dê a Deus seus pensamentos virgens na parte da manhã. A mente temperada com pensamentos piedosos pela manhã, manterá o coração em melhor estado durante todo o dia.
2. Se você pensar em Deus, tome cuidado com os obstáculos.
1. Afaste seus olhos de contemplar vaidade (Salmo 119: 37). Objetos vãos envenenam a imaginação; imagens lascivas e conversas infelizes deixam impressões ruins na mente.
2. Tanto quanto você puder, tire seus pensamentos do mundo. Se os pensamentos mundanos se aglomeram em nossa mente - pensamentos piedosos serão perdidos na multidão!
3. Tenha um amor por Deus e seus caminhos. Não se pode deixar de pensar sobre o que ele ama. "Uma jovem esquece suas joias?" (Jeremias 2:32). Quando ela não tem sua joia no ouvido - ela vai ter isso em seus pensamentos. Uma pessoa profundamente apaixonada, não pode evitar seus pensamentos do objeto que ela ama. A razão pela qual não pensamos mais em Deus é porque não o amamos mais! Que haja apenas uma centelha de amor a Deus - e ele voará para cima em pensamentos e orações celestiais. Por natureza, nossos corações não podem ser feitos para buscar a Deus, senão pelo amor.
4. Se você pensasse frequentemente em Deus, teria interesse nele. "Este Deus é nosso Deus!" (Salmo 48:14). Pensamos mais - sobre o que é nosso. Se um homem passear por lindas casas e jardins, ele lança seus olhos ligeiramente sobre eles. Mas deixe ele ter uma casa própria - e seus pensamentos habitam nela. Por que os homens não pensam mais em Deus, senão porque eles e Deus são estranhos? Que o interesse de um homem em Deus seja estabelecido, e ele não poderá afastar seus pensamentos de Deus.
O GRANDE GANHO DO PIEDOSO
"16 Então aqueles que temiam ao Senhor falaram uns aos outros; e o Senhor atentou e ouviu, e um memorial foi escrito diante dele, para os que temiam ao Senhor, e para os que se lembravam do seu nome.
17 E eles serão meus, diz o Senhor dos Exércitos; naquele dia serão para mim joias; poupá-los-ei, como um homem poupa a seu filho, que o serve.
18 Então vereis outra vez a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que o não serve." (Malaquias 3: 16-18).
A. O primeiro dos bons efeitos da piedade dos santos - é que Deus ENCONTROU-OS. "O Senhor ouviu e ouviu". Estes abençoados no texto estavam falando e pensando em Deus - e ele não afastou seu ouvido deles, como se ele não tivesse se importado com eles. Mas ele ouviu e ouviu; qual expressão denota diligência e prazer.
1. Assinala o cuidado diligente que Deus teve com esses santos - ele "escutou". Aqui estava a atenção do ouvido e a intenção da mente. Ouvir é o gesto de alguém que atentamente escuta o que outro diz.
2. O entendimento de Deus mostra o prazer que ele tomou nos santos diálogos desses santos. Ele estava satisfeito com eles; eles eram para ele como uma doce melodia.
Deus toma especial atenção ao bem que ele vê em seu povo. Os filhos de Deus podem talvez pensar que Deus não os considera: "Eu clamo a ti - e tu não me ouves." (Jó 30:20). A igreja reclama que Deus não ouve a sua oração (Lam 3: 8) - mas, embora Deus seja algumas vezes silencioso - ele não é surdo! Ele toma conhecimento de todos os bons serviços de seu povo: "O Senhor ouviu e ouviu".
Por que Deus é tão consciente dos serviços de seu povo?
Primeiro, não por nenhum mérito neles, mas a causa impulsiva é a sua graça gratuita! Os melhores deveres dos justos, não poderiam suportar as balanças da justiça de Deus, mas Deus exibirá os troféus da sua misericórdia. A graça gratuita aceita – aquilo que a justiça severa condenaria!
Em segundo lugar, o conhecimento de Deus sobre o bem em seu povo é através de Cristo! "Ele nos fez aceitos no amado" (Efésios 1: 6). Através de um copo vermelho, tudo aparece com uma cor vermelha. Assim, por meio do sangue de Cristo, nossas pessoas e deveres parecem coradas e lindas aos olhos de Deus!
Em terceiro lugar, Deus toma conhecimento dos serviços de seu povo - porque eles fluem do princípio da graça. Deus considera a voz da fé: "Ó minha pomba ... deixe-me ouvir a sua voz, porque doce é a sua voz" (Can 2:14). Os serviços dos ímpios são ásperos e azedos, mas os santos dão a Deus os primeiros frutos maduros (Miq 7: 1), que cresce a partir da doce e agradável raiz da graça.
Primeira Aplicação: INFORMAÇÃO.
1. Se Deus escuta e ouve, infiro daqui, a ONISCIÊNCIA de Deus. Como ele poderia estar no céu, ouvir o que os santos falam e pensam: se não fosse onisciente? Através do espelho brilhante de sua própria essência, ele tem um conhecimento completo de todas as coisas. Ele conhece as intrigas das nações e os estratagemas de seus inimigos (Êxodo 14:24). As contingências futuras estão dentro de seu conhecimento.
O conhecimento de Deus é fundamental. Ele é o padrão original, e o protótipo de todo o conhecimento. O conhecimento de Deus é instantâneo. Ele sabe tudo de uma vez! Nosso conhecimento é sucessivo, sabemos uma coisa após a outra e argumentamos do efeito à causa; mas todas as coisas estão na visão de Deus - em uma perspectiva completa. O conhecimento de Deus é infalível e não está sujeito a erros. Tal é a infinidade de seu conhecimento, que o apóstolo clama em admiração: "Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria quanto do conhecimento de Deus!" (Romanos 11:33). O mundo é para Deus como uma colmeia de vidro, onde você vê o funcionamento das abelhas e o enquadramento de seus favos de mel. Todas as coisas são reveladas aos olhos de Jeová! "Nada em toda a criação está escondido da visão de Deus. Tudo é descoberto e considerado diante dos olhos de quem devemos prestar contas". Hebreus 4:13
2. Veja a BONDADE de Deus, que muitas vezes passa pelas falhas de seu povo (Números 23:21), e toma conhecimento do bem neles.
"Sara obedeceu a Abraão, chamando-o de Senhor" (1 Pedro 3: 6). O Espírito Santo passa pela incredulidade de Sara que riu da promessa - e toma conhecimento de sua reverência ao marido; ela o chamava de senhor.
"Vocês ouviram falar da paciência de Jó" (Tiago 5:11). Nós ouvimos falar de sua impaciência, maldizendo seu aniversário - mas o Senhor não o censura por isso -, mas observa o bem que estava nele: "Você já ouviu falar da paciência de Jó". O pintor que pintou a foto de Alexandre, retratou-o com dedo sobre a cicatriz. Assim, Deus coloca um dedo de misericórdia sobre as cicatrizes de seus filhos! Ele vê sua fé - e faz uma visão cega para suas falhas!
3. Veja as diferentes relações de Deus com os piedosos e os perversos. Se o santo pensa em seu nome, ele escuta e ouve; mas se o iníquo se meter com deveres religiosos, ele afasta o ouvido. "Ele não aceitou Caim e sua oferta" (Gênesis 4: 5). Suponha que um homem tenha uma respiração doce - ainda que ele tivesse a praga, ninguém se aproximaria dele! Assim mesmo, embora um pecador possa dar a Deus uma expressão doce e elegante na oração - ainda assim, tendo a praga em seu coração, Deus não receberá nenhuma oferta dele!
4. Veja o privilégio dos piedosos - eles têm a atenção e o ouvido de Deus! "O Senhor ouviu e ouviu!" "Seus ouvidos estão abertos ao seu clamor!" (Salmo 34:15). Seria contado uma grande felicidade ter o ouvido do rei. Que impressionante é ter o ouvido de Deus! Os crentes têm o Espírito de Deus respirando neles - e Deus não pode senão ouvir a voz de seu próprio Espírito.
5. Veja que encorajamento há aqui para estar familiarizado com os deveres do culto de Deus. Deus toma conhecimento dos serviços de seu povo - ele os escuta quanto à música doce. Quem não viria com seus humildes pedidos a Deus - quando ele está tão satisfeito com eles (Provérbios 15: 8).
Objeção 1 - Mas não mereço nada.
Resposta: Deus não concede seus favores de acordo com nosso deserto, mas de acordo com sua promessa e graça.
Objeção 2 - Mas orei por muito tempo e não tenho resposta.
Resposta: Deus pode ouvir a oração quando ele não responde. Ele pode nos conceder o ouvido - quando ele não nos mostra o seu rosto! O texto diz: "O Senhor ouviu e ouviu". Não se diz que ele deu uma resposta - mas ele "escutou". Convém que os pretendentes esperem. A fé espera em Deus, a paciência espera por Deus. "Eis que assim como os olhos dos servos atentam para a mão do seu senhor, e os olhos da serva para a mão de sua senhora, assim os nossos olhos atentam para o Senhor nosso Deus, até que ele se compadeça de nós." (Salmo 123: 2).
6. Veja a diferença entre Deus e os homens. Deus toma conhecimento do bem em seu povo; mas o ímpio ignora o bem no piedoso - e registra apenas suas falhas. Se eles podem espionar qualquer imprevisibilidade ou defeito neles, eles os repreendem; como aquelas crianças que criticaram Eliseu por sua calvície, mas não tomaram conhecimento dos milagres do profeta (2 Reis 2:23).
7. Das palavras: "O Senhor ouviu e ouviu", tome nota da loucura dos idólatras. Eles adoram um Deus que não pode ouvir! Os cretenses retrataram Júpiter sem ouvidos. Os deuses de ídolo têm ouvidos - mas não ouvem (Salmo 115: 6). Um deus sem vida é bom o suficiente para uma adoração sem vida.
Segunda Aplicação: EXORTAÇÃO.
1. Deixe o povo de Deus se levantar e se admirar:
a. Fique de pé e reflita sobre a CONDESCENDÊNCIA de Deus, que aquele que é tão alto nos louvores e aclamações dos anjos - deve inclinar-se tão baixo para ouvir os filhos de seus filhos. "O Senhor ouviu e ouviu!" Infelizmente, Deus não precisa dos nossos serviços; ele é infinitamente abençoado em refletir sobre o esplendor de seu próprio ser infinito! Não podemos acrescentar a menor cor à sua glória essencial: "Se fores justo, que lhe darás, ou que receberá ele da tua mão?" (Jó 35: 7). No entanto, tal é a sua doce condescendência, que ele faz como se fosse, inclinar-se abaixo de si mesmo, e tomar nota das ofertas de seu povo pobre.
b. Levante-se e reflita sobre o amor de Deus, que ele deva considerar os serviços de seu povo, que são tão misturados com a corrupção! "Nossas justiças são trapos imundos!" (Isaías 64: 6). O sacrifício de ação de graças, que foi o maior sacrifício, teve algum fermento misturado com ele (Levítico 7:13). Nossos melhores deveres têm algum fermento de imperfeição misturado neles; todavia, tal é o amor de Deus, que ele os recebe e aceita: "Eu comi meu favo de mel com meu amor" (Can 5: 1). O mel é doce - mas o favo é duro e amargo, e dificilmente pode ser comido; contudo, esse era o amor de Cristo para com seu cônjuge, que ele comeu de seu favo de mel, seus serviços misturados com imperfeições, e ficou satisfeito e encantado com eles! Oh, o amor de Deus, que ele deve ter respeito às nossas ofertas, que estão entrelaçadas com o pecado! Nossos melhores deveres são vinhos doces que saem de um barril azedo.
2. Se Deus nos atende quando falamos, deixemo-nos ouvir quando falar. Na Palavra, Deus nos fala. Dele é dito agora nos falar do céu (Heb 12:25), isto é, pela Palavra. Deus nos ouviu, e não o ouviremos? Se a Palavra de Deus não prevalecer conosco, nossas preces não prevalecerão com ele.







Este texto é administrado por: Silvio Dutra
Número de vezes que este texto foi lido: 117


Outros títulos do mesmo autor

Artigos O Grande Ganho da Piedade – Parte 3 Thomas Watson
Artigos O Grande Ganho da Piedade – Parte 2 Thomas Watson
Artigos O Grande Ganho da Piedade – Parte 1 Thomas Watson
Artigos A Luta da Fé Coroada Thomas Watson
Artigos O Homem de Caráter Reto Thomas Watson
Artigos Uma Nova Criatura Thomas Watson
Artigos O Deleite Espiritual dos Santos Thomas Watson
Artigos "Todos os teus filhos serão ensinados do Senhor" Thomas Watson
Artigos A Arte do Contentamento Divino Thomas Watson
Artigos Jesurum Thomas Watson

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 20.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 184898 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 160323 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 160012 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 130122 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 113383 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 75405 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 69348 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 63423 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 59549 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 55170 Visitas

Páginas: Próxima Última