Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Encontro no Riachuelo
T. Richter

Por um par de razões nós tivemos que ir até o Senac da rua 24 de Maio, no Riachuelo. Logo na entrada esbarrei com um velho conhecido. Já o havia visto por ali algumas vezes ao passar de carro, algo que de início foi uma pequena surpresa para mim.
     Eu o conheci no centro, na esquina da rua Buenos Aires com a Regente Feijó, bem no coração do movimentado Saara. Acostumei-me a sua presença muda por lá e não imaginei que houvesse outra cópia de “O Mascate” por essas bandas.
        Pensando bem, não era grande motivo para surpreender-me... temos no Rio de Janeiro um punhado de casos de esculturas em dobro... Quem passar pela Praça Mauá e avistar o barão no alto de seu pedestal vai acabar dando de cara com o Irineu mais uma vez, caso seus passos o levem a cruzar a apertada rua da Candelária. Lá estará ele, em frente à Casa do Empresário.
        Aliás, se nosso hipotético transeunte dispusesse de um pouco mais de tempo, eu sugeriria que ele entrasse por um momento nesse edifício. O mural com o deus grego Hermes no saguão de lá vale a pena ser visto. Aliás, falando nos deuses greco-romanos, também eles têm seus duplos pela cidade.
        Os originais em mármore das quatro divindades que ornamentavam o Jardim Suspenso do Valongo estão agora em outro jardim, o do Palácio da Cidade, lá em Botafogo. E o quarteto de deuses ainda está pela Saúde, ainda que, nesse caso, seja pó de mármore e cimento branco que lhes dê a forma no velho Valongo. Não acho que os antigos helenos se espantariam com isso... talvez até falassem que seus deuses podem aparecer onde quiserem, e, caprichosos como são, por que não em dois lugares ao mesmo tempo?
        Não é o nosso caso, meros mortais cariocas... precisamos sair correndo do Senac para cuidar de outros assuntos em outros cantos. E o pior é que nossa ida ali acabou não servindo para muita coisa. De qualquer forma, tem vezes que é bom ver um rosto conhecido por aí.
                                  Janeiro, 2018

Número de vezes que este texto foi lido: 87


Outros títulos do mesmo autor

Crônicas O pangaré de Cosme e Damião T. Richter
Crônicas Miojo T. Richter
Crônicas Mega-Sena T. Richter
Crônicas Mensagem Edificante T. Richter
Crônicas A Conta T. Richter
Contos Sarau de Poesia T. Richter
Crônicas Tarde Vazia T. Richter
Crônicas Jardim Gramacho é perto T. Richter
Crônicas Salem T. Richter
Crônicas Março na Igreja de São José T. Richter

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 20.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 183483 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 155332 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 154748 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 128902 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 68268 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 67958 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 66542 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 60385 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 58135 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 54068 Visitas

Páginas: Próxima Última