Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Deus e um coração voluntário
Patrícia

“E bem sei eu, Deus meu, que tu provas os corações, e que da sinceridade te agradas; eu também na sinceridade de meu coração voluntariamente dei todas estas coisas; e agora vi com alegria que o teu povo, que se acha aqui, voluntariamente te deu.” 1 Crônicas 29.17

Instruindo seu filho Salomão sobre a construção do templo, o rei Davi deu abundante oferta, tomando das suas riquezas ouro e prata. Davi viveu em gratidão e sabia que, se possuía algo, viera das mãos de Deus e Dele era. E convidou o povo a ser grato ao Senhor também, chamando-o a ofertar voluntariamente, sem qualquer constrangimento ou pressão. O povo atendeu ao convite e de modo voluntário ofertou e alegrou-se.
Em 1 Crônicas 29.17 Davi diz que Deus agrada-se da sinceridade do coração. Não basta o ato de dar, mas a motivação dele. Nossa oferta é amorosa e voluntária ou obrigatória? O que damos a Deus que não nos seja imposto? Por que vamos às reuniões ou cultos congregacionais? O que determina a nossa oração cotidiana? Somos forçados a estar com Deus? Qual a razão de nosso serviço ao próximo? A submissão tem sido voluntária? Nossas atividades são realizadas com entrega em devoção?
No livro do profeta Jeremias, capítulo 29 e verso 13 há uma chave para o relacionamento com Deus: Ele só será encontrado se for buscado, procurado de todo coração. Isso demanda voluntariedade de um anseio profundo e legítimo pela presença divina.
Cristo entregou-se à morte em sacrifício perfeito, puro e voluntário por nós. Em João 10.17-18 Jesus diz: “Por isto o Pai me ama, porque dou a minha vida para tornar a tomá-la. Ninguém ma tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou; tenho poder para a dar, e poder para tornar a tomá-la. Este mandamento recebi de meu Pai.” E Ele entregou-se por amor a nós, como Paulo diz em Gálatas 2.20: “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.”
Somente é possível voluntariedade onde existe amor ao nosso Pai e ao próximo, sem barganhas. O amor nos faz ser voluntários, como Cristo.


Biografia:
Sou cristã, escritora e curitibana. Formada em Letras, com diversos cursos teológicos. Vamos trocar ideias e aproveitar as palavras para expressar as maravilhas da vida.
Número de vezes que este texto foi lido: 629


Outros títulos do mesmo autor

Ensaios "Mas longe esteja de mim gloriar-me" Patrícia
Ensaios O que é vaidade? Patrícia
Ensaios A sabedoria do conselho Patrícia
Ensaios Perseverança ou teimosia Patrícia
Ensaios Firme fé Patrícia
Ensaios Pilatos e a imparcialidade Patrícia
Ensaios Deus e o fogo do sofrimento Patrícia
Ensaios As aflições e o suicídio Patrícia
Ensaios Diga não e vença! Patrícia
Ensaios Ser fraco é ser forte! Patrícia

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 43.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 185966 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 165784 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 165293 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 131095 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 118158 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 81454 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 70185 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 65783 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 60895 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 56174 Visitas

Páginas: Próxima Última