Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
A enfermeira está a me espancar
Sergio Ricardo Costa




Porque a multidão eu não adquiri à faca!

Acho que ela é irresistível
(Mas inatingível por indistinção).

E não libertará a mim de me lançar aos céus
Com a família...

Mas
É importante eu
Não restringir o fácil advogado,
Que sempre vai ser assim se eu estiver ali
À superfície;

                     É que a enfermeira está
No que houver...

                               De mão
Irresistível, que
Aconteceu de ser,
Mas se eu não chorar,
Por vaidade ou jabuticaba ou aquecimento global,
Interrompida está a dor, insuportável dor
Que necessita e não
Libertará a mim;
A enfermeira está a me espancar,
Com burburinho,
E em pé;
O coração vazio
Do que puder.

A mão
Que nem percebo mais
(Sinceramente não...),
Mas eu não sei por quê,
Inteiro,
Se eu nasci
Legítimo, porém
Levado a me tornar
Melhor do que ficar
Na parte inferior
Em meio à multidão,

Nem tento me livrar.

Que, então, eu percebi,
Por meio dos ferimentos,
Ciente do que é,
Se ou quando se ausenta,
Disse a ela que é tolice
Que bata de brincadeira,
(Ou o mínimo necessário),
Pensando que poderia
Tratar-se da coincidência
Por quem os meus pensamentos
Publicamente são
Contraditórios,
Ou
Infestações comuns,
Da verdade que não temi
Ousar dizer
E disse...

A enfermeira está a me espancar

E se eu não chorar
Bem (bem) baixinho, em tom
Inatingível por     
Perdido e ela não
Ganhar o meu olhar,
Não, nem vem me limpar!

Nem vem me ninar,
Nem recontar
(Minha preferida)
A história do frango Mike,
Que viveu mais de um ano sem cabeça.


Biografia:
-
Número de vezes que este texto foi lido: 60


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Um gênero inexistente de jogo de estratégias Sergio Ricardo Costa
Poesias A seu modo, imensa Sergio Ricardo Costa
Poesias Piores que o governo, os pernilongos Sergio Ricardo Costa
Poesias Dois olhos, dois velhos Sergio Ricardo Costa
Poesias Respiramos entre teus tropeções no vazio Sergio Ricardo Costa
Poesias Tem sua voz diante do nada Sergio Ricardo Costa
Poesias Ai, carne! Sergio Ricardo Costa
Poesias Ideia Sergio Ricardo Costa
Poesias Transformador Sergio Ricardo Costa
Poesias A não ser que seja de encontro à famosa goiabada Sergio Ricardo Costa

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 152.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 183199 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 152327 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 151608 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 128642 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 67654 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 66390 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 59820 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 59718 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 57849 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 53807 Visitas

Páginas: Próxima Última