Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Só anos depois, que entendeu no funcionamento das galinhas
Sergio Ricardo Costa




1.
Por certo um agir: loucas,
Percebe por entender-lhes os sentidos
Que para chegar pelas paredes imaginárias que é o mundo
Por dentro a frustrar casas e cômodos prateados e dourados,
Trataram gerar três meses três ovos,
Ou um ovo a cada mês
(Conforme o mês) ... Sábio notou que por entender-lhes nas palavras,
Sussurros,
O mal como um mal absurdamente instituído
Por entre os galpões que as aves habitam,
Deram início a um processo

Secreto

E assim foi (é o que chamam de revolução): apresentadas
A Marx, não há dúvida,
Tão especializadas criaturas
Estranhas
(Sofreu como supunha aquele absurdo original histórico tão próximo)
Vendo-as empoleiradas
Perceberam
O quanto que não fora verdade que a produção aumentaria
Se aquilo que foi posto nos acordos,
Se respeitasse uma vez:
Apenas mais grãos, água e por último, degoladas em bandejas.

2.
Outro ano depois, bem, entendeu que a perversidade do dinheiro
(Se não o tem) mais próximo ao sólido desespero enredado
Na perda,
Faz bons príncipes pela acumulação do indivíduo e
Registra a um só tempo saber que toda a mentira é a soma zero
Na prática, mas uma falsa aliança há interessada em mentir,
Desenha em seus corpos de rêmora agarrada a uma perna

Sangrenta

Que não cobre a pessoa inferior ao pensamento,
Um furo ao redor, sua antítese compassiva, ociosa,
Postula que as leis causem o mal desinteressado,

Poderia

Querer alcançar uma mudança no comentário que se faz
Urgente e já não o segue,
Nem pode considerar que não o faça
Por si e por maior número dentro do que mais possa conhecer
Por inteiro nas mãos dele retendo sem direção o imprevisto
Por onde os pés tocam incógnitos, despovoam sua crença — de
Anos depois de entender o funcionamento das galinhas,
Ser talvez capaz de extrair-lhes convencimento
Com um plano perfeito:
Galinhas pintoras pisoteando telas!
Milho por cima das telas, ciscando em tinta, pisando em telas,
Rastos por cima das telas —
Estado da arte;
Elas não morriam

E ele ganhava o sustento para a empresa da família...

3.
Três anos depois foi que notou quão ideológicas,
As artes,
Simulam quaisquer coisas, cruzadas, interesseiras,
Disfarçadas
No gosto geral,
Dentro ridículas a correr “imponderáveis”,
Ao sol aonde vão, burras demais,
Abismo por onde se atira
O ardente fragor,
Falsos motivos subversivos do destino
Perfeito, que não é específico isolando do pior

O ser natural

Duro de menos na sua vontade pessoal
Só para sentir como se fosse imaginário o que é o seu mundo
Barato,
Pegar dentro de outra tagarelice retorcida
Os sustos febris livres de ter a supremacia de iguais
Ou como fazer grande revolta asfixiante e as madrugadas
Geladas de frio louco na Espanha subversiva do destino,

Ainda é nenhum tempo que perde imaginando que é o seu mundo...

4.
Só danos é que foi que recebeu do sindicato das galinhas
E dez anos depois,
Não entendeu que não haverá outro ano depois.


Biografia:
-
Número de vezes que este texto foi lido: 345


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Na alma Sergio Ricardo Costa
Poesias A alma Sergio Ricardo Costa
Poesias Insulta o que pode Sergio Ricardo Costa
Poesias Rua e a sua rua livre Sergio Ricardo Costa
Poesias Como ser Sergio Ricardo Costa
Poesias Silêncio elétrico e uma estrela faminta Sergio Ricardo Costa
Poesias Amor é lazer, é Sergio Ricardo Costa
Poesias Morrer Sergio Ricardo Costa
Poesias Sonhos, todos Sergio Ricardo Costa
Poesias Procura um lugarzinho Sergio Ricardo Costa

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 197.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 184148 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 157412 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 157406 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 129505 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 75598 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 70074 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 68799 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 61877 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 58731 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 54556 Visitas

Páginas: Próxima Última