Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Só anos depois, que entendeu no funcionamento das galinhas
Sergio Ricardo Costa




1.
Por certo um agir: loucas,
Percebe por entender-lhes os sentidos
Que para chegar pelas paredes imaginárias que é o mundo
Por dentro a frustrar casas e cômodos prateados e dourados,
Trataram gerar três meses três ovos,
Ou um ovo a cada mês
(Conforme o mês) ... Sábio notou que por entender-lhes nas palavras,
Sussurros,
O mal como um mal absurdamente instituído
Por entre os galpões que as aves habitam,
Deram início a um processo

Secreto

E assim foi (é o que chamam de revolução): apresentadas
A Marx, não há dúvida,
Tão especializadas criaturas
Estranhas
(Sofreu como supunha aquele absurdo original histórico tão próximo)
Vendo-as empoleiradas
Perceberam
O quanto que não fora verdade que a produção aumentaria
Se aquilo que foi posto nos acordos,
Se respeitasse uma vez:
Apenas mais grãos, água e por último, degoladas em bandejas.

2.
Outro ano depois, bem, entendeu que a perversidade do dinheiro
(Se não o tem) mais próximo ao sólido desespero enredado
Na perda,
Faz bons príncipes pela acumulação do indivíduo e
Registra a um só tempo saber que toda a mentira é a soma zero
Na prática, mas uma falsa aliança há interessada em mentir,
Desenha em seus corpos de rêmora agarrada a uma perna

Sangrenta

Que não cobre a pessoa inferior ao pensamento,
Um furo ao redor, sua antítese compassiva, ociosa,
Postula que as leis causem o mal desinteressado,

Poderia

Querer alcançar uma mudança no comentário que se faz
Urgente e já não o segue,
Nem pode considerar que não o faça
Por si e por maior número dentro do que mais possa conhecer
Por inteiro nas mãos dele retendo sem direção o imprevisto
Por onde os pés tocam incógnitos, despovoam sua crença — de
Anos depois de entender o funcionamento das galinhas,
Ser talvez capaz de extrair-lhes convencimento
Com um plano perfeito:
Galinhas pintoras pisoteando telas!
Milho por cima das telas, ciscando em tinta, pisando em telas,
Rastos por cima das telas —
Estado da arte;
Elas não morriam

E ele ganhava o sustento para a empresa da família...

3.
Três anos depois foi que notou quão ideológicas,
As artes,
Simulam quaisquer coisas, cruzadas, interesseiras,
Disfarçadas
No gosto geral,
Dentro ridículas a correr “imponderáveis”,
Ao sol aonde vão, burras demais,
Abismo por onde se atira
O ardente fragor,
Falsos motivos subversivos do destino
Perfeito, que não é específico isolando do pior

O ser natural

Duro de menos na sua vontade pessoal
Só para sentir como se fosse imaginário o que é o seu mundo
Barato,
Pegar dentro de outra tagarelice retorcida
Os sustos febris livres de ter a supremacia de iguais
Ou como fazer grande revolta asfixiante e as madrugadas
Geladas de frio louco na Espanha subversiva do destino,

Ainda é nenhum tempo que perde imaginando que é o seu mundo...

4.
Só danos é que foi que recebeu do sindicato das galinhas
E dez anos depois,
Não entendeu que não haverá outro ano depois.


Biografia:
-
Número de vezes que este texto foi lido: 128


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Um gênero inexistente de jogo de estratégias Sergio Ricardo Costa
Poesias A seu modo, imensa Sergio Ricardo Costa
Poesias Piores que o governo, os pernilongos Sergio Ricardo Costa
Poesias Dois olhos, dois velhos Sergio Ricardo Costa
Poesias Respiramos entre teus tropeções no vazio Sergio Ricardo Costa
Poesias Tem sua voz diante do nada Sergio Ricardo Costa
Poesias Ai, carne! Sergio Ricardo Costa
Poesias Ideia Sergio Ricardo Costa
Poesias Transformador Sergio Ricardo Costa
Poesias A não ser que seja de encontro à famosa goiabada Sergio Ricardo Costa

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 152.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 183199 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 152327 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 151608 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 128642 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 67654 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 66390 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 59820 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 59718 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 57849 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 53807 Visitas

Páginas: Próxima Última