Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Companhia é o ovo
Sergio Ricardo Costa




De um anjo.

               Mas que coisas

Uma vida nos revela...

Companhia

               É o ovo

Por completo,

                    O inimigo

De excelente qualidade:

A certeza de abrir
A meada com os olhos
Aos ouvidos generosos,
Com carinho, devoção.

Companhia é o nascer

                                 Do ovo

Coração acidental
Com a sua inquietação.

Coração que está só,
Porque ama o amor
E fazendo sugestões,
Tristonho, devolveu,
Esperando em companhia,

                                       Um ovo

No silêncio do seu quarto.

O deserto da minha alma
Faz o parto da galinha e o meu ovo esquerdo
(Ao contrário do direito),
Difere daquele do meio,
Esforçando-se em perigos,
Escolhido exatamente
Na ferrugem de uma estrela
Por instantes;

                   Sobretudo, sobre os renovos,

Que os pequenos coelhinhos, reportando-se
Às megeras serpentinhas
No silêncio, se animam e se perfilam
Para a morte
Em companhia.

E em meu novo continente,
Fundamento
De um homem que se atrapalha

                                                Com seus ovos,

Há solidão não só no seu um só seu — um só sólido sol que lhe dão,
Mas, também, na decoração do coração
Há uma não razão
Que decora com suspiros (repararam a sutileza do trocadilho?).

Coração é uma rodela de arame no nariz de uma ovelha velha e pouco importa o que isso significa, mas contorceu-se vasquejante ao puxarem-na.

Através de bons olhos, o meu ovo furado e cheio de metas com que chacoalho a lua oval;
Que quero dizer a todo instante, mas só consigo,
Irrestrito,
(Se) alcanço
O esquecimento e a companhia dos burros
E estes
Sirvam-me (ou sorvam-se) de um desencantamento, que em silêncio oposto deposito
Em meu pra (n) to.

Já vem de novo meu povo voltando, externando-me as devolutas
Promessas que não me servem
(De companhia)! Ah, companhia...
Ê!...
Meu crânio estrelado nas trevas!

                                 Companhia mesmo é a companhia de um polvo barbado agarrado à metade do meu sacro saco amoroso, sorrio pavoroso!

Fundiam-se lhes valoroso,
Doloroso
Contingente turbulento,
Ao alcance das notícias
Irritadas mais sem intento

E que, humilhados

Falam-me em nome de mais ovos aos pés do povo e
Que consolado o Pausilipo,
Tal povo
Retorna e me pede mais um novo Acordo Internacional do Novo Ovo e, depois, uma pausa
Para se limpar
Da fumaça,
Das paredes,
Das estrelas
E do quanto
Que...
Os anjos, infelizes nas paredes,
Justificam as estrelas,

Oh, não: essa energia no ovo
É que é a força do povo!

+ + + +

Paris...

E ali a praça é de um povo de polvilho,
Neste dia de queda da bostilha,
Que nasce de uma mãe de ovos.

Número de vezes que este texto foi lido: 172


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Nos tormentos do mar os peixes apenas, fantasmas de peixes Sergio Ricardo Costa
Poesias Para as próximas mãos as lágrimas Sergio Ricardo Costa
Poesias Shows, igrejas Sergio Ricardo Costa
Poesias Pilhando o navio Sergio Ricardo Costa
Poesias O dia passa Sergio Ricardo Costa
Poesias Que eu não imaginava Sergio Ricardo Costa
Poesias Tudo que você vai continuar sem saber de A a Z Sergio Ricardo Costa
Poesias Mas é que sofrer Sergio Ricardo Costa
Poesias Vão para ver Sergio Ricardo Costa
Poesias Sonhar com véu branco molhado de lágrimas Sergio Ricardo Costa

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 105.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2017
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 182798 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 148880 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 148307 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 128322 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 67380 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 64760 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 58822 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 58642 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 57537 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 53548 Visitas

Páginas: Próxima Última