Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Os Sinos da Igreja Matriz
André Claro

Tocam os sinos da igreja matriz,
Uníssonos,
Arrebanhando fiéis,
Pecadores, fanáticos,
De rostos barbeados,
Em roupas de atriz.
Vão caminhando para a praça,
Com seus sapatos engraxados.
Uns tilintando nos bolsos,
Algumas moedas do troco
Do parque de diversões
Para na oferenda bem servirem,
Para terem seus perdões,
Consagrarem os seus devires.


Biografia:
Por um período, entre 1999 e 2001, fui repórter, não antes de ser escritor. Foi, pois, publicando um velho conto — no primeiro jornal no qual trabalharia — que me tornei repórter. Julguei que pagaria pela publicação, mas, além de não a pagar, ela simplesmente me valeu um emprego! A despeito disso, produzi pouco ao longo de vinte e tantos anos como escritor e dramaturgo. Em 1999, publiquei uma novela, que tem como cenário o Capão Redondo, Amargo Capão (Um Dia no Tráfico). Só então em 2006, voltaria a publicar, estrearia no conto com Absurdos, Delírios e Ilusões (Litteris Editora). Da mesma forma, escrevi alguns roteiros de curtas e alguns textos para o teatro, ocasião em que colaborei escrevendo e atuando numa paródia Shakespeariana: Queijo e Goiabada (Romeu e Julieta). Posteriormente, enclausurei-me, fiquei restrito a fazer bicos. Ler e escrever poesias, contos – esboçar romances. O Homem Sem Desejos, foi o único desses esboços a ser lançado, em 2016, então pelo Clube de Autores. Agora, igualmente, algumas daquelas poesias vão sendo divulgadas. Paralelamente, vou concluindo a faculdade de psicologia.
Número de vezes que este texto foi lido: 62


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Verso Inconcebível André Claro
Poesias Tarde A Pique André Claro
Poesias O Corpo Sem Rima André Claro
Poesias Querer-te eu queria André Claro
Poesias “Panhadores” De Café André Claro
Poesias Bípede Bêbado André Claro
Poesias Deixando o Caminho Para Trás André Claro
Poesias Sem o Barulho do Mundo André Claro
Poesias A Difícil Arte de Dizer Não André Claro
Poesias O Tímido, o Púlpito e o Público André Claro

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 52.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2017
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 182798 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 148880 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 148307 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 128322 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 67380 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 64760 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 58822 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 58642 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 57537 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 53548 Visitas

Páginas: Próxima Última