Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Não Diga Nada
André Claro

Fala-me do fundo dessa tua alma,
Se sou homem que valha a pena,
Se tenho fatos que me inocentam,
Ou se não passo de um canalha.

Bata-me, mas não fique quieta,
Não me deixe como um asceta,
Que tudo compreende ou releva.

Aliás, é melhor não dizer nada,
Sei o que dirão as tuas palavras,
— nessa ocasião nada abstêmia,
Dirão que você é o meu problema.


Biografia:
Por um período, entre 1999 e 2001, fui repórter, não antes de ser escritor. Foi, pois, publicando um velho conto — no primeiro jornal no qual trabalharia — que me tornei repórter. Julguei que pagaria pela publicação, mas, além de não a pagar, ela simplesmente me valeu um emprego! A despeito disso, produzi pouco ao longo de vinte e tantos anos como escritor e dramaturgo. Em 1999, publiquei uma novela, que tem como cenário o Capão Redondo, Amargo Capão (Um Dia no Tráfico). Só então em 2006, voltaria a publicar, estrearia no conto com Absurdos, Delírios e Ilusões (Litteris Editora). Da mesma forma, escrevi alguns roteiros de curtas e alguns textos para o teatro, ocasião em que colaborei escrevendo e atuando numa paródia Shakespeariana: Queijo e Goiabada (Romeu e Julieta). Posteriormente, enclausurei-me, fiquei restrito a fazer bicos. Ler e escrever poesias, contos – esboçar romances. O Homem Sem Desejos, foi o único desses esboços a ser lançado, em 2016, então pelo Clube de Autores. Agora, igualmente, algumas daquelas poesias vão sendo divulgadas. Paralelamente, vou concluindo a faculdade de psicologia.
Número de vezes que este texto foi lido: 927


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Juras de Saudade André Claro
Poesias Na Melhor das Hipóteses, A Vida André Claro
Poesias O Homem-todo André Claro
Poesias Alguma Coisa Que Fica André Claro
Poesias Depois da Breve Chuva Que Não Vem André Claro
Poesias Como Nunca Antes Fora André Claro
Poesias A Flor André Claro
Poesias Linhas Prosaicas Sobre o Desvairo dos Corações Partidos André Claro
Poesias A Velha Estação do Trem do Tempo André Claro
Poesias Bruto é André Claro

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 64.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 185985 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 166086 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 165458 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 131115 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 118178 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 81469 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 70204 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 65837 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 60917 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 56192 Visitas

Páginas: Próxima Última