Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
BAILÃO DE SEXTA 13
Tércio Sthal

Resumo:
Folclore Brasileiro

As fogueiras de Junho já estão acesas,
batatas assando e as paçocas nas mesas.

"O gato preto cruzou a estrada,
passou por debaixo da escada,"
e já está no meio do salão.

Já se faz presente o Boi Bumbá,
muita gente a dançar o Carimbó,
e os Marujos,
misturando-se com os Cirandeiros,
formam o maior "forrobodó".

O Boto Cor-de-Rosa,
com seu olho de peixe morto,
parece ter vindo
direto da festa na "Granja do Torto",
ou da festa no "Palácio do Jaburu",
depois de uma noite mal dormida com Iara,
a Mãe D'água, no rio de águas claras.

No palco,
homens e mulheres tocam tambores,
cantam Frevo e Maracatu,
e contam as Lendas da Mandioca,
da Vitória Régia e do Uirapuru.

O bailão segue animado,
mas se vê aqui e acolá algum gato pardo.

Carcará se esconde,
parece que não quer ser encontrado.

Olha o Ramãozinho, e o Saci-Pererê,
pulam as fogueiras
que nem gatos sobre brasas,
só não voam porque não tem asas.

Vejo, também, o Pé-de-Garra,
com sua alma presa no pé,
e o Lobisomem,
que se não é homem,
que bicho é?

Agora já se ouve Tambor,
Cururu, e Congada,
enquanto no centro do salão
parece acontecer uma Cavalhada.

Ao som do Batuque,
do Cateretê ou Catira,
vem o Curupira,
com seus pés invertidos,
não apenas pra confundir,
mas para ser divertido.

Agora se ouve Cana-Verde,
Jongo, Caxambu,
Fandango e Quadrilha,
e já se aproxima o Boitatá,
com seu fogo fátuo a queimar
quem quer destruir as florestas do país.

E assim, é a festa,
meu filho, minha filha,
todo mundo canta, dança,
e conta estórias,
no Bailão de Sexta 13,
onde se resgata a nossa memória.

Vejo, que também veio,
o Negrinho do Pastoreio,
que agora dança
ao som de Pau de Fitas,
de Chula, e de Chimarrita.

E agora,
por volta da Meia Noite,
não sei se por bem,
ou por mal,
chega a Procissão das Almas Penadas,
que costuma aparecer,
com as tochas acesas,
na última sexta feira de cada mês,
ou então,
talvez,
em ocasião muito especial.

E o Bailão da Sexta Feira 13,
segue madrugada adentro
até amanhecer,
ou até o momento em que o poeta declamar,
ou dizer,
o poema que indica o final:

- "Porque hoje é Sábado...
Amanhã é Domingo...
Por via das dúvidas
livrai-nos,
meu Deus,
de todo mal."



Biografia:
Tércio Sthal, Natural de Tupã, SP, Poeta e Escritor, MBA em Gestão de Pessoas, Cadeira de nº 28 da Academia Nacional de Letras do Portal do Poeta Brasileiro, com publicações em coletâneas da Shan Editores, Autor de a Cidade das Águas Azuis e O Menino do Dedo Torto, Do Abstrato ao Adjacente, Inferências, Referências e Preferências em http://bookess.com e Lâminas e Recortes em Widbook.com
Número de vezes que este texto foi lido: 210


Outros títulos do mesmo autor

Poesias VEM PRA CAIXA, VEM Tércio Sthal
Poesias VERDADEIRO E FALSO Tércio Sthal
Poesias FACA NA GARGANTA Tércio Sthal
Poesias RECORTES DA REVOLUÇÃO Tércio Sthal
Poesias ATITUDE Tércio Sthal
Poesias PROFETAS, GUERRILHEIROS E POETAS Tércio Sthal
Poesias EI, GEORGE! Tércio Sthal
Poesias EU, CRIANÇA Tércio Sthal
Poesias A VIDA ESTÁ DISPONÍVEL Tércio Sthal
Poesias BAILÃO DE SEXTA 13 Tércio Sthal

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 183.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2017
 
  Textos mais lidos
Amei! Que droga! - Fabiano Vaz de Mello 207870 Visitas
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 182203 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 143465 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 143258 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 127862 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 66923 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 61627 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 57165 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 56909 Visitas
Entenda de uma vez por todas o Hino Nacional - Fabbio Cortez 56746 Visitas

Páginas: Próxima Última