Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
O Significado de o Justo Viver pela Fé
Silvio Dutra

“Eis o soberbo! A sua alma não é reta nele; mas o justo pela sua fé viverá.” (Habacuque 2.4)
Traduzido ao pé da letra diretamente do original, este versículo pode ser lido assim:
Eis que a sua alma, que é elevada, não é reta nele; mas o justo viverá pela sua fé
Esta nos parece uma melhor tradução, porque não induz à noção de comparação entre duas pessoas distintas: o soberbo e o justo, conforme pode ser inferido da primeira, como se houvesse duas categorias distintas de pessoas, por natureza: o ímpio e o justo.
A condição de alma elevada que afronta os céus, e que não possui a retidão, a justiça de Deus, é na verdade a condição de toda e qualquer pessoa. Esta é a situação em que se encontra o pecador, em razão da retidão que foi perdida por causa do pecado original.
Então, é pronunciada pelo Senhor a única alternativa, a única solução para a cura deste estado de corrupção: “o justo viverá pela sua fé”.
Em tão poucas palavras foi expressada toda a profundidade do modo da salvação do pecador de seu estado caído e corrupto.
O meio de salvação é simples (pela graça, mediante a fé) para uma salvação complexa e difícil, pois, em seu estado caído, para que o pecador seja restaurado por Deus, ele necessita atender plenamente aos seguintes requisitos:
a)     Ter atendido perfeitamente a todas as exigências da Lei de Deus, de modo a ser livrado completamente da sua maldição e condenação. Sendo pecador pode alcança-lo somente por um ato de justificação do próprio Deus.
b)     Estar regenerado (nascer de novo do Espírito Santo para obter uma nova natureza espiritual, celestial e divina).
c)     Desenvolver a nova natureza celestial e ser guardado de apostatar do Senhor, tornando-se cada vez mais semelhante quanto ao caráter e virtudes de Cristo. Necessita assim, de ser santificado pela Palavra de Deus e pelo poder do Espírito Santo.
d)     Trazer consigo a garantia de que será glorificado no porvir com a mesma glória que existe na divindade, em razão das excelências encontradas no seu ser.
Perguntamos: onde o homem encontrará tudo isto? Em si mesmo? No próprio desenvolvimento pessoal de suas capacidades e poderes?
Ou então, o que ele pode dar a Deus para que obtenha méritos diante dEle para a obtenção de todas estas coisas?
Observa-se claramente que a resposta não se encontra no próprio homem, mas em Deus, e naquilo que ele providenciou para salvar o pecador de sua condição caída.
Assim, o que o justificará o ímpio, o que o tornará justo aos olhos de Deus, será a sua fé – EMUNAH (a palavra usada no original hebraico), aqui vertida por fé, mas que tem vários significados correlatos em 49 ocorrências no Velho Testamento, entre os quais temos fidelidade, verdade, firmeza, verdade, fiel, etc, tendo a palavra fé sido usada apenas em Habacuque 2.4.
Com isto, vemos que o significado da fé referida no texto de Habacuque extrapola em muito a noção comum que lhe é atribuída de meramente crer e confiar, pois se fala também da fidelidade, da verdade, da firmeza, que deve ser encontrada no homem para que dele possa ser dito que é justo diante de Deus, de forma a alcançar a vida eterna.
O homem perdeu a vida eterna pela desobediência a Deus, e agora o caminho de volta é o da obediência, mas veremos que o que o justificará não será propriamente a sua obediência, mas a de Jesus que lhe deve ser atribuída, pois nenhuma outra obediência poderia ser aceita por Deus, para fins de justificação, senão uma obediência perfeita.
Assim, a obediência de Jesus é atribuída ao que nele crê, e que por cuja fé, declara que está disposto a aceitar e a receber em sua vida as operações da graça transformadora de Deus, que realizará o trabalho de santificá-lo.
A justiça de Jesus lhe é atribuída e é suficiente para salvá-lo, mas o que for efetivamente salvo, deve ter a sua emunah, ou seja, a sua fidelidade, andar na verdade, em firmeza em sua posição em Cristo, em ser fiel a Deus em todo o seu comportamento e modo de viver, ainda que tudo isto não esteja naturalmente nele, mas lhe será provido progressivamente em graus cada vez maiores, à medida que se exercitar pessoalmente na piedade, pela prática de todas as coisas que lhe são ordenadas na Palavra de Deus.
Podemos então dizer que a fé aqui referida e que salva é aquela que apesar de ser um dom de Deus movendo o coração do pecador para o que é justo, e também capacitando-o a viver segundo a Sua vontade, todavia, deve ser exercitada em demonstrações reais de cumprimento dos encargos que estão relacionados a este retorno para Deus, em plena confiança, verdade e fidelidade.
É aqui que entendemos o que Tiago queria dizer com suas palavras de que não somos justificados somente por fé (crer – segundo o sentido usado por Tiago em todo o contexto), mas também por obras (fidelidade, obediência, enfim em atender a tudo o que é ordenado para uma vida verdadeiramente santa e justa), pois, onde houver a verdadeira fé, isto também se seguirá.
Todavia, nunca devemos esquecer que a salvação é de Deus e inteiramente pela graça que há em Jesus Cristo. Se a nós compete desenvolver a salvação, é da competência exclusiva de Deus efetuar tanto o querer quanto o realizar, pois, nas coisas relativas à salvação, é de fato Ele que tudo opera em nós.
Thomas Watson diz apropriadamente que há três passos importantes na salvação: conhecimento, assentimento e prática, e que sem esta última, os dois primeiros para nada servem. Assim, vemos Jesus dizendo que não é aquele que diz Senhor, Senhor que entrará no reino de Deus, mas aquele que pratica a Palavra.
Fé sem esta evidência prática não é a fé que salva, senão meras palavras, conhecimento doutrinário, e tudo o mais que é relativo à religião, mas que não efetua a reconciliação com Deus, a comunhão com Ele, e por conseguinte a vida eterna.
A união com Deus deve ser real e vista, senão é autoengano ou hipocrisia.
Desligado da Videira Verdadeira, o ramo morre.
Não estando unido à Cabeça, o corpo (igreja) morre.
Não sendo tornado semelhante a Cristo, o homem permanece semelhante ao diabo.
Lembremos sempre o que se diz no nosso texto: “a sua alma não é reta nele”. É soberbo, e assim, o homem necessita ser justificado e santificado em Cristo, para que tenha vida eterna, pois Deus diz que o justo viverá pela sua fé.
Sem esta firmeza, sem o cumprimento do encargo que lhe é atribuído por estar em Cristo, sem ter fidelidade a Ele, a justiça não é atendida, e então, o homem não conhece sequer a Deus, e em consequência desconhece também todos os seus pensamentos e caminhos, que são espirituais e infinitamente mais elevados que os do homem.
Cada coisa é criada para um determinado fim, e na criação, vemos todos os seres não morais obedecendo fielmente o fim para o qual foram criados por Deus.
O homem, sendo um ser moral, escolhe desobedecer a Deus, não se sujeitar a Ele e à Sua vontade, e não pode ter vida em si mesmo, porque, no seu caso, a vida decorre de ser semelhante a Deus e de crescer em tudo segundo o próprio caráter divino.
O homem deve ser santo como Deus é santo, para que tenha a verdadeira vida espiritual, celestial e divina. Por isso se diz que sem santificação ninguém verá o Senhor.
Não é difícil entender a razão disso. Se Deus criou o homem em santidade e para viver em santidade, e sabendo que esta santidade somente é possível enquanto o homem continua ligado a Deus e em obediência à Sua vontade, então ao se afastar de Deus o homem não somente ficou privado da santidade, como também sujeitado ao juízo de condenação eterna, conforme exigência da perfeita justiça divina.
Sendo criado para ser perfeito, então pela sua imperfeição, deve ser descartado e condenado.
O pronunciamento solene feito por Deus no texto de Habacuque 2.4 ao profeta, ilumina completamente o significado pretendido por Ele, uma vez que foi proferido quando o profeta Habacuque, em sua perplexidade, decidiu recolher-se em sua torre de vigia para ver qual resposta lhe seria dada pelo Senhor quanto à aparente grande injustiça que seria realizada, pelos juízos que lhe haviam sido revelados, especialmente o relativo à destruição de Judá pelos babilônios.
O profeta estava pensando como poderia Deus, sendo justo, permitir que um povo idólatra e completamente infiel a Ele, como era o caso dos babilônios, fossem ordenados por Ele a matarem muitos em Judá, o Seu próprio povo, e, certamente, muitos justos seriam também alcançados pela citada destruição que já estava determinada nos conselhos de Deus.
Então veio a resposta divina:
O homem não possui em si mesmo qualquer retidão para agradar à justiça de Deus, pois é soberbo por natureza, merecendo portanto a morte, e morte espiritual e eterna.
Assim, apesar desta realidade, todos aqueles que vivessem retamente, conhecendo a vontade de Deus, aceitando-a e assentindo em serem conformados a ela, e andando em Seus caminhos, estes seriam poupados da destruição, e mais do que isso, teriam vida eterna, a vida do céu que significa estar reconciliado com Deus e em comunhão com Ele.
Ainda que viessem a perder a vida física na assolação que já estava determinada para ser cumprida pela instrumentalidade de Babilônia, todavia viveriam eternamente perante Ele em espírito, por causa de terem atendido à exigência da Sua justiça, não por serem perfeitos em justiça e santidade, mas por terem se voltado para o Senhor, buscando cumprir o que é dito em II Crônicas 7.14:
“14 e se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se desviar dos seus maus caminhos, então eu ouvirei do céu, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.”
Enquanto isto, através de outros profetas contemporâneos de Habacuque, o Senhor fez promessas específicas quanto ao modo da justificação pela fé:
“31 Eis que os dias vêm, diz o Senhor, em que farei um pacto novo com a casa de Israel e com a casa de Judá,
32 não conforme o pacto que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra do Egito, esse meu pacto que eles invalidaram, apesar de eu os haver desposado, diz o Senhor.
33 Mas este é o pacto que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo.
34 E não ensinarão mais cada um a seu próximo, nem cada um a seu irmão, dizendo: Conhecei ao Senhor; porque todos me conhecerão, desde o menor deles até o maior, diz o Senhor; pois lhes perdoarei a sua iniquidade, e não me lembrarei mais dos seus pecados.” (Jeremias 31.31-34)
“22 Dize portanto à casa de Israel: Assim diz o Senhor Deus: Não é por amor de vós que eu faço isto, o casa de Israel; mas em atenção ao meu santo nome, que tendes profanado entre as nações para onde fostes;
23 e eu santificarei o meu grande nome, que foi profanado entre as nações, o qual profanastes no meio delas; e as nações saberão que eu sou o Senhor, diz o Senhor Deus, quando eu for santificado aos seus olhos.
24 Pois vos tirarei dentre as nações, e vos congregarei de todos os países, e vos trarei para a vossa terra.
25 Então aspergirei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias, e de todos os vossos ídolos, vos purificarei.
26 Também vos darei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne.
27 Ainda porei dentro de vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis as minhas ordenanças, e as observeis.
28 E habitareis na terra que eu dei a vossos pais, e vós sereis o meu povo, e eu serei o vosso Deus.” (Ezequiel 36.22-28)
Temos assim estas boas promessas para os que se arrependem dos seus pecados e que creem no evangelho de Jesus Cristo, recebendo a Sua graça para serem transformados em filhos de Deus, e serem capacitados pelo Espírito Santo a viverem do modo que lhe é agradável.
Não há portanto, na revelação bíblica, algo como o que é comumente pregado e ensinado, que basta crer que Jesus é o Senhor e Salvador para que sejamos recebidos como filhos de Deus.
A tal, respeito o diabo e todos os demônios não somente creem que Jesus é o Senhor e Salvador, como sabem que Ele o é de fato.
É necessário pois mais do que mera crença. É preciso uma obra espiritual realizada no coração do pecador, para convertê-lo a um viver fiel e verdadeiro, segundo os mandamentos, promessas e ameaças das Escrituras.
Uma vez tendo sido justificado e regenerado pela fé em Cristo, é necessário confirmar a fé, a salvação, pela evidência da perseverança em santificação, pela prática da Palavra, pois onde isto faltar, não é possível ter a plena convicção de que ocorreu de fato a conversão a Cristo.
Vemos por tudo o que foi exposto que a forma como o Novo Testamento condensou os vários significados correlatos da palavra hebraica emunah, do Velho Testamento, na simples palavra fé, esta no entanto permanece possuindo no Novo Testamento toda a extensão de significados espirituais que estão implícitos nesta simples palavra, em 244 ocorrências da palavra pistis (fé).
Nos evangelhos sinópticos, esta palavra (pistis = fé) assume especialmente o significado de crer, confiar, como pode ser observado nas diversas passagens em que Jesus a usou. (O evangelho de João não possui o registro da palavra fé, e no entanto, dentre os evangelhos é o que melhor explica a natureza da fé salvadora em Jesus, pelo uso de outras palavras para definir a verdadeira salvação da alma.)
Deve ser esclarecido, no entanto, que em diversas situações, a palavra fé, empregada por Jesus, mesmo quando dizia em alguns casos que foi o meio da salvação de determinadas pessoas que o procuraram para serem curadas de enfermidades físicas, não era uma referência, obrigatoriamente, à fé que salva, conforme a citada no texto de Habacuque, pela qual se afirma que somos justificados por Deus, e alcançamos por conseguinte a vida eterna.
Nós vemos o Senhor repreendendo a infidelidade das cidades de Betsaida, Corazim e Cafarnaum em razão dos muitos milagres que havia ali operado e no entanto eles não haviam se arrependido para a salvação.
Ele havia advertido Nicodemos quanto à necessidade do novo nascimento do Espírito Santo para a salvação, e que muitos seriam atraídos a Ele para serem efetivamente salvos para a vida eterna, somente depois que Ele fosse levantado na cruz.
É importante frisar-se que de toda uma miríade de pessoas que haviam sido curadas de suas enfermidades físicas e possessões demoníacas, temos o relato de que por ocasião do dia de Pentecostes havia apenas cerca de 120 discípulos reunidos em Jerusalém. Isto comprova que de fato, aquela fé que consistiu apenas em crer que Jesus poderia curar a enfermidade física ou expulsar demônios, não foi acompanhada, de modo algum, em muitos casos, por aquela fé que é definida em Habacuque 2.4, e pela qual somos justificados por Deus.
Muitos foram curados por terem crido em Jesus, mas não chegaram à salvação porque não permaneceram nele e na Sua Palavra.
Para serem justificados e salvos para a vida eterna era exigido muito mais do que simplesmente saberem e crerem nocionalmente, sem um revelação interna do Espírito Santo às suas almas, que Ele era de fato o Salvador, mas que também o amassem, guardando os Seus mandamentos, pois Ele mesmo define o amor a Ele como guarda destes mandamentos. Arrependimento e ódio ao pecado. Confissão e abandono de toda forma de pecado. Aplicação verdadeira a todas as virtudes recomendadas na Palavra. Despojamento do velho homem e revestimento da nova criatura. Sede e fome de justiça. Buscar em primeiro lugar o Reino de Deus e a Sua justiça. Ser manso e humilde, pacificador, misericordioso, quebrantado de espírito, paciente, e enfim, buscar ter implantado e fazer crescer em sua nova natureza todas as particularidades do amor cristão, conforme Paulo o define em I Coríntios 13.
Quanto mais há para ser acrescentado a tudo isso, como por exemplo a moderação, o domínio próprio, o zelo fervoroso em servir ao Senhor, a prática constante da vigilância e da oração, etc.
Quanto está envolvido nesta simples palavra FÉ.
Viver pela fé, nada mais é do que praticar tudo o que foi anteriormente referido, pois é esta vida assim chamada de vida de fé, que move tudo isto.
Deus determinou ser gracioso para com os que têm fé, ou seja, fazer neles e por eles todas as coisas que são necessárias à sua santificação, somente pela graça.
Vemos assim que a fé permeia tudo o que se relaciona à salvação (justificação, regeneração, santificação e glorificação).
É esta vida de fé que nos sustenta e instrui nas tribulações, pois está determinado por Deus que a nossa fidelidade a Ele deve ser provada, para que possamos crescer e progredir constantemente na graça e no conhecimento experiencial de nosso Senhor Jesus Cristo.
A verdadeira fé que salva deve possuir a evidência da perseverança até o fim, pois o Senhor diz que o que perseverar até o fim é o que será salvo, e que o justo viverá pela fé, mas se ele recuar a Sua alma não tem prazer nele.
Então, a fé de Habacuque 2.4 que nos conduz à vida eterna, não é fé apenas para alguns momentos, ou mesmo para o momento da conversão inicial a Cristo, mas uma companheira para toda a nossa jornada até o céu.
O Senhor diz que aquele que vier a Ele será recebido e jamais será lançado fora. Esta é a confiança que temos nEle, a saber da Sua própria fidelidade em cumprir todas as Suas promessas.
Ele prometeu que salvaria por este meio, pois tudo o que diz respeito à nossa salvação foi consumado por Ele próprio em sua morte, ressurreição e ascensão, para que agora interceda em favor de todos os que nele confiam.
Os que recebem suas palavras e as praticam estes são bem-aventurados, porque eles e somente eles são o alvo do Seu favor divino.
São estes que demonstram que realmente creem em Deus pois buscam conhecer a Sua vontade revelada em Sua Palavra, e que também procuram com todo zelo e sinceridade colocá-la em prática em todas as circunstâncias de seu viver diário.
É com este sentido mais amplo, relativo à fé que salva, por ser o meio de justificação, regeneração e santificação, que os apóstolos usam esta palavra em suas epístolas, uma vez que estava em pleno curso a obra de edificação da Igreja, desde o dia de Pentecostes, quando o Espírito Santo foi derramado, por ter Jesus consumado a obra que viera realizar em seu ministério terreno, relativa à nossa redenção e justificação.
É por causa desta redenção e justificação que podemos receber o cumprimento da promessa do dom do Espírito Santo para operar em nós a regeneração e a santificação.
A fé salvadora citada em Habacuque 2.4 é o dom de Deus, concedido por ele para que se cumpra o que é afirmado em Hebreus 11.1, que a fé é a firme convicção sobre coisas que não são vistas, e a plena certeza de coisas que são esperadas. Que coisas são estas que não se veem, e que se esperam?
Principalmente a obra que Jesus realizou em nosso favor no Calvário. Quando Deus abre o nosso coração para ouvir a pregação do evangelho, tal como havia feito com Lídia em relação à pregação que Paulo lhe fizera, nós vemos Cristo sangrando na cruz em nosso lugar, como propiciação pelos nossos pecados, por esta capacitação sobrenatural que nos é concedida por Deus, chamada de fé, e ali nós nos rendemos a Ele e o buscamos para ser o Salvador de nossas vidas, pela purificação de nossos pecados pelo Seu precioso sangue.
Por isso o apóstolo Paulo afirma em Romanos 10 que a fé decorre de se ouvir a pregação do evangelho, o qual é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê.
Ele havia visto a fé sendo concedida por Deus a muitos para crerem em Cristo, e eles eram efetivamente transformados pelo poder do evangelho, quando crido por eles. Esta era a razão da grande confiança do apóstolo em pregar somente o evangelho para a salvação, pois sabia que somente ele é o meio designado por Deus para tal propósito.
Então há esta convicção no que crê em toda esta obra invisível operada pelo Espírito Santo em seu coração, que o leva a se apropriar de Cristo e a dizer: “Ele é meu! Eu o amo! Glória a Deus! Aba Pai!”, pois há esta convicção do Cristo invisível, mas real, que ele passou a conhecer pela fé.
E nisto se cumpre a promessa de Deus feita em Habacuque 2.4 de que o justo viveria pela sua fé. Não a fé de outra pessoa em seu lugar, mas a sua própria fé em Cristo, conforme esta lhe foi concedida como um dom de Deus.
Agora, que coisas são as que se esperam, e que pela fé temos a plena certeza de que as teremos? Estas são todas as promessas feitas a nós na Palavra de Deus, especialmente aquelas relacionadas à nossa herança com Cristo no porvir, pois a fé, também nos dá esta capacitação para nos apropriarmos delas, como se já as tivéssemos recebido, enquanto as esperamos.
Glórias a Deus pelo seu dom inefável!
Agora, é dito também nas Escrituras que além desta fé comum salvadora que pertence a todos os crentes, há também o dom sobrenatural extraordinário do Espírito Santo, chamado de dom da fé, que é concedido a alguns para propósitos também extraordinários, em situações incomuns, e para fins proveitosos, conforme foi por exemplo o que sucedeu com os profetas Elias e Eliseu, e os próprios apóstolos de Jesus que faziam sinais e prodígios maravilhosos para a confirmação da Palavra da salvação, durante a pregação inicial do evangelho.
Este é um dom raro que o próprio George Muller afirmava não possuir, apesar de ter tido 50.000 orações respondidas por Deus. Ele dizia ter a mesma fé comum que possuem todos os crentes, e acreditamos nisto.
É afirmado também nas Escrituras que a fé comum deve crescer muitíssimo, e que não há limites para isto, apesar de o dom ser concedido segundo a medida estabelecida por Deus para cada crente. Isto significa que a fé de cada um pode crescer ilimitadamente até o ponto determinado por Deus, para que se cumpram os Seus propósitos, especialmente na utilização da fé para o Seu serviço, sobretudo o que se refere à pregação do evangelho, pois aquele que obteve o dom da fé e foi salvo por ouvir a Palavra, deve agora dar testemunho do evangelho, pregando-o a outros, para que eles também sejam salvos.
Nos escritos apostólicos, pela instrução do Espírito Santo, a palavra fé veio a ser empregada também em sentido objetivo, pois passou a designar o próprio modo de viver o evangelho como convém. Designa, assim, todo o corpo de doutrina evangélica, pelo qual somos santificados. Daí os apóstolos confirmarem os discípulos exortando-lhes a permanecerem firmes na fé, a saber na observância e cumprimento dos mandamentos de Deus.
Em face desta amplidão de usos e significados toda cautela é recomendada quanto à forma que alguém possa interpretar o que seja a fé quanto à sua própria forma de compreender o que seja de fato a vida cristã. Quantos têm naufragado ainda que abraçados à referida palavra, pois enquanto permanecem perdidos e debaixo da maldição da lei, pensam que têm agradado a Deus e que foram salvos pelo simples fato de afirmarem com os seus lábios que têm fé em Cristo, só que não entendem e não cumprem os Seus mandamentos, pois é impossível que alguém os cumpra sem que tenha nascido de novo do Espírito Santo. Se alguém não nasceu de novo, é porque não recebeu o dom da verdadeira fé, da parte de Deus, pois onde este for concedido, sempre ocorrerá o novo nascimento, ou seja, a conversão real da pessoa a Cristo.
O propósito principal da fé é gerar a vida eterna, a vida abundante que Jesus veio trazer para o pecador perdido. Por isso se diz que o justo viverá pela sua fé. Ou seja, a fé gerará nele a vida eterna, uma vez que o modo de ser justificado é somente mediante a fé, conforme foi determinado por Deus, que assim deveria ser em todos os casos.
Assim, o profeta clamou: “Senhor, salva-me e serei salvo!” Este deve ser o clamor do coração de todo aquele em quem não sejam vistas as evidências do trabalho da fé salvadora em operação, até que ele o obtenha de fato, e venha a clamar com toda a certeza e segurança: “É meu! Eu o obtive pela graça de Jesus, apesar de ser um mísero pecador! Deus revelou-se gracioso a mim, perdoando todos os meus pecados! Posso dizer isto pela testificação do Espírito Santo com o meu espírito de que me tornei um filho de Deus!”
Uma grande e boa evidência deste trabalho real da fé salvadora, é que aquele que é salvo passa imediatamente a ter um grande amor a Deus, à Sua Palavra e a todos os seus irmãos em Cristo, porque o Espírito Santo, que passa a habitar nele, é Espirito de amor e de unidade.
A fé que salva, como já dissemos anteriormente, é aquela que possui as características e significados da palavra usada em Habacuque 2.4, em que Deus diz que o Seu justo viverá pela sua fé, a saber, por sua emunah, palavra hebraica para fé, fiel, fidelidade, verdade, confiança, segurança, enfim, que define a condição de uma pessoa que está efetivamente ligada a Deus e participando da Sua santidade, justiça e verdade.
Voltamos a repetir também, que tudo isto somente pode ser obtido espiritualmente por meio da manifestação do próprio Jesus Cristo em nós. Por isso Ele disse que sem Ele nada podemos fazer. Se o temos recebido, estamos salvos, mas caso não o tenhamos recebido permanecemos perdidos e condenados como sempre, a par de todas as nossas afirmações de que cremos nele, e de toda a nossa religiosidade pessoal.
O que crê nele como convém é salvo, mas o que não crê, ou que creia como não convém, permanece condenado e debaixo da ira de Deus contra o pecado, ira esta, da qual podemos somente ser resgatados por meio do sangue expiatório de Jesus.
Louvado e glorificado seja o Senhor para sempre pelo seu grande dom.
Bendito seja pelo plano perfeito da salvação, que tem permitido a nós, pecadores, sermos resgatados das trevas para a luz, do pecado para a santidade, ainda que sejamos encontrados sem qualquer perfeição em nós mesmos, em nossa jornada terrena, mas sempre aspirando ser revestidos pela perfeição da santidade e da imortalidade, quando deixarmos este tabernáculo terreno em que nos encontramos presentemente.
É a vida de Jesus manifestada em nós, que se torna a nossa justiça, redenção, sabedoria e santificação diante de Deus (I Cor 1.30).
À medida que vamos sendo instruídos pelo Espírito Santo sobre a verdade revelada na Palavra, podemos compreender e praticar de melhor maneira o modo de caminhar no caminho estreito que conduz à salvação, que é já não vivendo nós, mas Cristo vivendo em nós.
Quanto há para ser aprendido e praticado sobre a longanimidade, a paciência cristã, a misericórdia, o amor, a bondade, a alegria cristã, o domínio próprio, a mansidão, a humildade, e todas as demais virtudes que compõem o caráter de Cristo, e que importa serem implantadas em nosso próprio caráter.
A exigência da justiça de Deus em relação às Suas criaturas morais (anjos e homens) é que sejam perfeitamente santos assim como Ele é santo. Essa perfeição que atende à Sua justiça só é possível quando se está em união completa com Ele. Deus é justo nesta exigência porque foi para o propósito de serem santos e perfeitos como Ele, que os criou.
Os anjos que se apartaram de Deus ficaram desprovidos de justiça em si mesmos, pois como vimos é impossível permanecer justo, separado de Deus.
Quando o primeiro homem pecou tendo, por conseguinte se separado de Deus, sujeitou à referida separação toda a Sua descendência. Todavia, aquilo que aos anjos caídos foi negado, tem sido concedido àqueles que dentre os homens desejam retornar à união com Deus.
É neste ponto que entra a necessidade da justificação pela fé em Jesus Cristo, uma vez que a referida união não pode ser consolidada por nenhum outro meio, já que o homem necessita de uma justiça perfeita para poder estar unido a Deus, e é bem sabido que tal justiça perfeita não existe em nenhum homem.
Todavia, a justificação não consiste em transformar um pecador em um santo, pois ela realiza apenas a expiação da culpa do pecador, o seu perdão, a sua remoção de debaixo da condenação da Lei, mas não opera qualquer transformação moral em sua natureza.
O pecador é justificado pela redenção que há no sangue de Cristo, para que tendo retornado ao favor de Deus, e à comunhão com ele, possa então ser regenerado e santificado pelo poder do Espírito Santo.
A regeneração, que lhe dá uma nova natureza celestial e espiritual, é realizada simultaneamente com a justificação, no momento mesmo em que ele crê em Cristo de uma forma salvífica.
A santificação começa com a regeneração e deve progredir paulatinamente operando a transformação moral à semelhança do próprio Cristo.
Entendemos então a justificação como a abertura da porta do caminho da salvação, a partir da qual há uma longa caminhada a ser feita através do processo da santificação que é realizada pela agência do Espírito Santo, mediante a instrumentalidade da aplicação da Palavra de Deus em nossas vidas. É nisto o que consiste o que se costuma chamar de prática da Palavra.
Foi à fé citada em Habacuque 2.4 que Tiago discorreu em sua epístola, associando o ato de crer à prática da Palavra - a uma permanência em Cristo e em Sua Palavra - a uma verdadeira obediência à vontade de Deus.
Daí, serem tão enfáticas as expressões que ele usou, para demonstrar a que tipo de justiça o texto de Habacuque está se referindo, quando Deus afirma que é pela fé que o seu justo viverá.
TIAGO 1
2 Meus irmãos, tende por motivo de grande gozo o passardes por várias provações,
3 sabendo que a aprovação da vossa fé produz a perseverança;
4 e a perseverança tenha a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, não faltando em coisa alguma.
5 Ora, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não censura, e ser-lhe-á dada.
6 Peça-a, porém, com fé, não duvidando; pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, que é sublevada e agitada pelo vento.
7 Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa,
8 homem vacilante que é, e inconstante em todos os seus caminhos.
22 E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos.
23 Pois se alguém é ouvinte da palavra e não cumpridor, é semelhante a um homem que contempla no espelho o seu rosto natural;
24 porque se contempla a si mesmo e vai-se, e logo se esquece de como era.
25 Entretanto aquele que atenta bem para a lei perfeita, a da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte esquecido, mas executor da obra, este será bem-aventurado no que fizer.
26 Se alguém cuida ser religioso e não refreia a sua língua, mas engana o seu coração, a sua religião é vã.
27 A religião pura e imaculada diante de nosso Deus e Pai é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas aflições e guardar-se isento da corrupção do mundo.
TIAGO 2
1 Meus irmãos, não tenhais a fé em nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor da glória, em acepção de pessoas.
5 Ouvi, meus amados irmãos. Não escolheu Deus os que são pobres quanto ao mundo para fazê-los ricos na fé e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam?
14 Que proveito há, meus irmãos se alguém disser que tem fé e não tiver obras? Porventura essa fé pode salvá-lo?
15 Se um irmão ou uma irmã estiverem nus e tiverem falta de mantimento cotidiano.
16 e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito há nisso?
17 Assim também a fé, se não tiver obras, é morta em si mesma.
18 Mas dirá alguém: Tu tens fé, e eu tenho obras; mostra-me a tua fé sem as obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras.
19 Crês tu que Deus é um só? Fazes bem; os demônios também o creem, e estremecem.
20 Mas queres saber, ó homem vão, que a fé sem as obras é estéril?
21 Porventura não foi pelas obras que nosso pai Abraão foi justificado quando ofereceu sobre o altar seu filho Isaque?
22 Vês que a fé cooperou com as suas obras, e que pelas obras a fé foi aperfeiçoada;
23 e se cumpriu a escritura que diz: E creu Abraão a Deus, e isso lhe foi imputado como justiça, e foi chamado amigo de Deus.
24 Vedes então que é pelas obras que o homem é justificado, e não somente pela fé.
25 E de igual modo não foi a meretriz Raabe também justificada pelas obras, quando acolheu os espias, e os fez sair por outro caminho?
26 Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta.
TIAGO 4
1 Donde vêm as guerras e contendas entre vós? Porventura não vêm disto, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam?
2 Cobiçais e nada tendes; logo matais. Invejais, e não podeis alcançar; logo combateis e fazeis guerras. Nada tendes, porque não pedis.
3 Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites.
4 Infiéis, não sabeis que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.
5 Ou pensais que em vão diz a escritura: O Espírito que ele fez habitar em nós anseia por nós até o ciúme?
6 Todavia, dá maior graça. Portanto diz: Deus resiste aos soberbos; dá, porém, graça aos humildes.
7 Sujeitai-vos, pois, a Deus; mas resisti ao Diabo, e ele fugirá de vós.
8 Chegai-vos para Deus, e ele se chegará para vós. Limpai as mãos, pecadores; e, vós de espírito vacilante, purificai os corações.
9 Senti as vossas misérias, lamentai e chorai; torne-se o vosso riso em pranto, e a vossa alegria em tristeza.
10 Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará.
17 Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado.
TIAGO 5
7 Portanto, irmãos, sede pacientes até a vinda do Senhor. Eis que o lavrador espera o precioso fruto da terra, aguardando-o com paciência, até que receba as primeiras e as últimas chuvas.
8 Sede vós também pacientes; fortalecei os vossos corações, porque a vinda do Senhor está próxima.
9 Não vos queixeis, irmãos, uns dos outros, para que não sejais julgados. Eis que o juiz está à porta.
10 Irmãos, tomai como exemplo de sofrimento e paciência os profetas que falaram em nome do Senhor.
11 Eis que chamamos bem-aventurados os que suportaram aflições. Ouvistes da paciência de Jó, e vistes o fim que o Senhor lhe deu, porque o Senhor é cheio de misericórdia e compaixão.
12 Mas, sobretudo, meus irmãos, não jureis, nem pelo céu, nem pela terra, nem façais qualquer outro juramento; seja, porém, o vosso sim, sim, e o vosso não, não, para não cairdes em condenação.
13 Está aflito alguém entre vós? Ore. Está alguém contente? Cante louvores.
14 Está doente algum de vós? Chame os anciãos da igreja, e estes orem sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor;
15 e a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.
16 Confessai, portanto, os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros, para serdes curados. A súplica de um justo pode muito na sua atuação.
17 Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós, e orou com fervor para que não chovesse, e por três anos e seis meses não choveu sobre a terra.
18 E orou outra vez e o céu deu chuva, e a terra produziu o seu fruto.
19 Meus irmãos, se alguém dentre vós se desviar da verdade e alguém o converter,
20 sabei que aquele que fizer converter um pecador do erro do seu caminho salvará da morte uma alma, e cobrirá uma multidão de pecados.
O apóstolo Paulo faz um amplo uso da palavra fé em seus escritos, mas em face da controvérsia judaizante que afirmava a salvação pelas obras da lei sem o concurso da fé, ele se esforçou sobremaneira para expor em seus escritos que quanto ao passo inicial da salvação, na conversão do pecador a Cristo, quando ele é justificado e regenerado, não há qualquer participação das obras, senão somente da graça que opera pela fé, e sendo a fé que justifica caracterizada apenas pela plena confiança em Cristo como Salvador, pelo arrependimento e pela entrega do coração a ele, para que opere em nós todo o seu querer.
De fato, na hora da conversão inicial em que ocorre simultaneamente a justificação e a regeneração, nada deve ser colocado ao lado da fé, ou ir além do simples olhar espiritual para Cristo na expectativa de que sejamos salvos por Ele. Importa que toda a glória e mérito seja exclusivamente dele na nossa salvação, e assim, não deve haver qualquer concurso de nossas obras ou méritos para que sejamos salvos.
Se colocarmos a nossa confiança em algo mais além de Cristo, para a nossa justificação e regeneração, é bem certo que Ele não nos salvará.
Mas, a fé depositada unicamente nele nos dará a bênção almejada.
Uma vez justificados e regenerados, devemos continuar olhando para Cristo, mas também para a Lei de Deus, porque somos santificados pela prática da Palavra mediante a operação poderosa do Espírito Santo para implantá-la em nós. E foi para este propósito que fomos justificados e regenerados.
A fé continuará o seu trabalho de nos levar a dar crédito a tudo o que Deus revela na Palavra, e pela santificação ela será implantada em nosso caráter.
Já na justificação, não há esta implantação da Palavra, para a nossa transformação à semelhança de Cristo, mas a atribuição da justiça de Cristo a nós, pela qual somos tornados agradáveis a Deus, aceitos por Ele, reconciliados à paz com Ele, e perdoados de nossos pecados, sendo considerados como atendendo a todas as exigências da Sua Lei, porque Cristo a cumpriu por nós, tanto obedecendo os Seus preceitos, como também morrendo em nosso lugar carregando os nossos pecados, de modo que não podemos mais ser condenados pela Lei.
É sobretudo a este trabalho de justificação que Paulo discorre em suas epistolas, especialmente nas destinadas aos romanos e aos gálatas.
Assim, ele e Tiago estão em pleno acordo, porque Paulo jamais ensinou a falta da necessidade da fé e da nossa diligência para a santificação. Muito ao contrário, ninguém mais do que ele esmurrou o seu corpo para alcançar o prêmio da soberana vocação em Cristo Jesus, de modo que se achava crucificado para o mundo e o mundo para ele.
Ninguém apontou mais do que ele para a necessidade do despojamento das obras da carne, do velho homem, para o revestimento do novo homem criado em Cristo Jesus em verdadeira justiça e santificação.
Ele ensinou sobre a fé de Habacuque 2.4, sobre o enfoque da justificação, e Tiago sobre o da santificação. Mas, tanto uma quanto outra se referem à salvação, à fé que verdadeiramente salva, e nunca apoiaram o ensino da fé que é simples crença e que não opera qualquer transformação de vida pelo Espírito Santo para nos tornar semelhantes a Cristo, de modo que se alguém se utiliza dos escritos de Paulo para ensinar ou pregar a fé que é mera crença, está cometendo um grande pecado diante de Deus e prestará contas a ele no dia do juízo.
Tiago está cheio de razão ao dizer, quanto à santificação, que uma pessoa não pode ser justificada diante de Deus sem as obras, pois, segundo seu dizer, a fé sem obras é morta, é a fé dos demônios, que não se comprova na prática das obras de justiça exigidas por Deus, e que se manifestam nas vidas de todos aqueles que foram de fato justificados pela fé citada em Habacuque 2.4.
Ele não ensinou que a justificação que abre a porta para a salvação, e à qual Paulo alude em suas epístolas, é obtida pelo somatório de fé mais obras, quando disse que não somos justificados pela fé somente, mas também por obras, pois como já temos exposto claramente, as obras devem estar ausentes na justificação, para que ninguém se glorie diante de Deus, e não somente isto, porque de fato, é somente por causa dos méritos, da justiça, do sangue derramado por Jesus que nossos pecados podem ser expiados por Deus, e também sermos perdoados por Ele.
Tiago usou a palavra justificação, mas não no sentido que Paulo a empregou, pois se referia à santificação sem a qual ninguém verá o Senhor. Ele queria afirmar que uma pessoa justificada há de manifestar as obras de Deus em sua vida, pelas quais será evidenciado o caráter de sua fé, a saber, se é de fato uma fé salvadora. Daí ter dito que pelas suas obras poderia mostrar a qualidade da sua fé.
Esta não é uma mera questão teológica, para ser aprendida como um tema acadêmico, mas uma questão de morte ou vida, algo que faremos bem em aprender e atentar, para que não nos iludamos com um pensamento de que a vida cristã é algo fácil, algo para nossa distração ou para qualquer outro fim, senão o de vivermos de modo efetivamente santo diante de Deus, por meio da fé em Jesus Cristo.
Não é sem motivo que o Senhor nos alerta que são participantes da família divina apenas aqueles que têm a Palavra de Deus e que a praticam, e não aqueles que meramente professam serem cristãos.
Como o apóstolo Paulo nos ensina que todos os dons sobrenaturais do Espírito Santo estão destinados a desaparecer, e que permanecem apenas a fé, a esperança e o amor, estamos apresentando a seguir algumas citações de John Angell James relativas a estas três graças importantes e vitais para a vida cristã, a saber, a fé, a esperança e o amor:
A fim de ter "uma viva esperança", não é somente necessário inflamar o desejo pelas bênçãos espirituais, mas também fortalecer a expectativa. Não devemos apenas ver que essas coisas são necessárias, mas atingíveis e alcançáveis por nós; e como esta persuasão da disponibilidade constitui a fé, a fim de fortalecer a esperança, temos de aumentar na fé.
A fé cristã tem respeito a todas as ameaças de Deus, não menos do que às suas promessas - mas a esperança tem relação apenas aos seus convites e promessas.
A esperança se assemelha à fé em relação à expectativa. "A fé", diz o apóstolo, "é a substância (ou expectativa confiante) das coisas que se esperam". Não pode haver fé nem esperança, onde não há expectativa. Esta é uma observação importante sobre a experiência cristã. Muitas pessoas imaginam, e pode ser apenas imaginação, que eles realmente creem em Cristo, enquanto eles não têm expectativa de salvação. Isto é impossível. A expectativa é ao mesmo tempo o exercício e a evidência da fé; e a fé é forte ou fraca de acordo com o grau de expectativa. O mesmo pode ser dito da esperança. E como a esperança toca a fé no lado da expectativa, então toca o amor do lado do desejo. Não pode haver amor onde não há desejo; e a proporção do fervor do amor, é a força e a intensidade do desejo. Isso também pode ser dito de esperança.
E como estas graças são semelhantes na natureza, elas são harmoniosas em seu exercício; como certas cordas de música, tocam uma, e as outras vibram. Elas são uma trindade em unidade, que não pode ser separada e existir separadamente. Não podemos realmente crer e não amar - pois "a fé funciona pelo amor". Nem podemos amar sem fé - pois o amor é o fruto da fé, e o fruto não pode ser produzido sem a árvore. Portanto, tampouco podemos esperar sem fé - pois a esperança é o desejo e a expectativa de algo prometido. E então veja como o amor excita a esperança; pois, se amarmos a Cristo, não ansiaremos estar com ele, e isso na proporção exata em que o nosso amor a ele é intenso?
Alguns cristãos se queixam da fraqueza de sua esperança, e querem que ela esteja em um exercício mais vivo. O objeto de seus desejos parece sombrio e distante, e suas expectativas tremem e flutuam. O medo prevalece e se aprofunda no desânimo. O que eles dariam para uma visão mais clara e uma antecipação mais animada das realidades divinas e celestiais - mas, infelizmente! Eles não sabem como obtê-lo. Eles procuram, mas não o encontram; oram, mas não entendem; esperam, mas não veem. O segredo é facilmente encontrado. Sua fé é fraca. Eles não compreendem a promessa. Eles dão lugar a suas dúvidas, e seus medos devem necessariamente subir e prevalecer. O medo é a sombra da dúvida; e a esperança é o sol da fé. Vamos estar mais familiarizados com os termos da promessa e os atributos do promissor. Pesemos as evidências da verdade da Palavra de Deus e então nos familiarizemos com sua onipotência e imutabilidade, e seremos fortes na esperança quando formos fortes na fé. E agora o amor necessariamente seguirá o exercício dos outros dois.
Posso realmente acreditar que Cristo me ama com toda aquela maravilhosa benevolência que o trouxe do céu à terra; que fez dele um homem de dores e familiarizado com a dor; levou-o a agonizar no Getsêmani, e expirou na cruz por mim - e não o amá-lo em troca? É esta a única exceção à regra que diz, que o amor gera amor? Não deveríamos dizer o contrário e sentir o que dizemos: "Nós o amamos - porque ele nos amou primeiro?" Quando percorro as perspectivas da vida eterna e da glória, quando eu examino a herança que é incorruptível, sem mácula, e que não se desvanece; quando, por imaginação santificada, ando pela nova Jerusalém e vejo as suas ruas de ouro, as suas portas de pérolas, os seus fundamentos de todas as pedras preciosas; quando vejo a sua população glorificada e ouço os seus hinos de louvor, os seus cânticos de alegria, quando eu vejo o Cordeiro no meio do trono e o rio da água da vida, claro como o cristal, procedendo dele, e a árvore da vida nas margens do Rio, com as doze espécies de frutos, e tudo isto brilhantemente brilhando com a glória de Deus - e então digo: Espero por tudo isto, tudo isto é a minha posse futura, e não amarei Aquele que me deu esta boa esperança, esta eterna consolação?
Devemos lembrar que o cultivo e o fortalecimento de uma graça, é o crescimento de todas as outras. Enquanto estamos crescendo na fé, estamos crescendo em esperança e amor.
No que diz respeito aos nossos estados de coração, temos nossas tendências constitucionais, nossos pecados assediantes. Um cristão é mais tentado a uma fé fraca, outro a uma esperança fraca, e outro a um amor morno. Devemos conhecer nossas tendências; para isso, devemos estudar a nós mesmos. Que ciência é tão valiosa para nós como a ciência do nosso próprio coração? No entanto, quão poucos a possuem! Com todas as oportunidades e incentivos para obter esse autoconhecimento que possuem, quão pequeno é o número que faz qualquer proficiência nele! Alguns são intencionalmente ignorantes; eles não querem conhecer a si mesmos - eles evitam o conhecimento de seus próprios corações. Outros são negligentemente ignorantes; eles tratam suas próprias almas, em assuntos espirituais, com uma irreflexão e leviandade, que são verdadeiramente lamentáveis. Mesmo as pessoas piedosas são estrangeiros muito maiores em casa em si mesmos, do que deveriam ser.
E como podemos desenvolver nossa própria salvação com temor e tremor, se não conhecemos para qual dos pecados assediantes nossa tendência se inclina?
Assim, quero dizer que a união e o exercício dessas três graças, fé, esperança e amor, constitui a verdadeira religião de Jesus Cristo. "Agora”, diz o apóstolo, "permanecem estes três", como a dizer, que em meio a todas as mudanças da administração externa, depois da cessação de muitas coisas, tais como milagres, concedidos apenas para um propósito temporário; e depois da rejeição de muitas coisas que são a intromissão oficiosa e diversas invenções da sabedoria carnal do homem - essas três graças permanecerão sempre a alma e a substância do esquema do Evangelho.
A fé, a esperança e o amor conduzem sua alma a Deus como fonte de sua felicidade, modelo de seu caráter e objeto supremo de sua existência - e assim o unem ao Autor de seu ser.
Até aqui as palavras de John Angell James.
Nosso texto de Habacuque 2.4 tem o seu foco central na palavra vida, e vida em oposição à morte.
Apesar de o profeta ter ficado perplexo em sua mente quanto à destruição física que seria consequente do cativeiro babilônico, a promessa de Deus focou não na vida física, mas na espiritual, uma vez que ao verbo viver foram associadas as palavras justo e fé.
A vida física de um modo ou de outro chegará a um fim, e não é prolongada no tempo, comparada com a eternidade; mas a vida do espírito é eterna, e em sua perspectiva espiritual e santa é infinita, pois não há limite para se crescer nas virtudes divinas.
Então, ao lermos o texto de Habacuque 2.4 devemos sempre pensar em sua perspectiva eterna, e não propriamente em condições temporais.
De modo que se a alguém Deus fizer a promessa de ser o seu plano de saúde, não se deve imaginar que tal pessoa será provida de saúde física durante todos os dias de sua vida terrena.
Muito ao contrário, como o Senhor tem em vista a saúde espiritual, e sabendo nós, que esta é provida por meio de muitas tribulações, e entre estas contam-se as relativas a enfermidades físicas, devem ser esperadas em tal promessa muitas provações que terão a finalidade de realizar a referida saúde plena espiritual.
Prover-nos de saúde espiritual é o grande propósito de Deus, e para isto nos concedeu o dom da fé, para que por ele possamos ser justificados.
Deus é Deus de vivos e não de mortos.
A sua promessa em Jesus Cristo é a vida eterna, e não apenas no sentido de vivermos depois da morte física, pois é dito com o verbo no futuro: “viverá da sua fé”.
O justo viverá esta vida celestial e divina a partir do momento mesmo da sua justificação (conversão), pois o Espírito Santo, a fonte de água viva que passa a habitar nele salta para a vida eterna, ou seja, o seu mover no crente produz esta vida eterna, que é tanto mais intensa, quanto maior for a sua santificação.
Vida eterna é o modo de se expressar a vida santa, celestial, espiritual e divina. É o desfrutar da comunhão com Deus e participar do gozo de experimentar as suas virtudes. Vida eterna é isto, e o mais é morte.
Demônios e pecadores impenitentes não estão vivos aos olhos de Deus, mas mortos, porque estão desprovidos de todas as qualidades essenciais que caracterizam a vida eterna que procede de Deus.
Estão mortos todos aqueles cujas almas são elevadas em soberba, e que portanto, não possuem a retidão divina que consiste em humildade, mansidão, amor, bondade, misericórdia etc.
Mas, todos os que foram justificados pela fé, por terem sido lavados e perdoados no sangue de Jesus, vivem, e vivem eternamente, porque Aquele que fez a promessa da vida é fiel.
Ao compreender todas estas coisas pela revelação divina, o profeta Habacuque sentiu-se confortado e instruído em seu espírito, pois entendeu que os homens, ainda que vivos quanto a existirem, estão todos mortos, e que a verdadeira vida é reservada somente para aqueles que temem e amam a Deus, e que nada e ninguém jamais poderá arrancar deles este dom maravilhoso que alcançaram por meio da fé que os justificou.
À luz desta verdade, nenhuma tribulação e nem mesmo a morte física é motivo para remover do coração do crente a sua alegria no seu Deus, e o seu hino de louvor e adoração a Ele.
“Ouvindo-o eu, o meu ventre se comoveu, à sua voz tremeram os meus lábios; entrou a podridão nos meus ossos, e estremeci dentro de mim; no dia da angústia descansarei, quando subir contra o povo que invadirá com suas tropas. Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; todavia eu me alegrarei no Senhor; exultarei no Deus da minha salvação. O Senhor Deus é a minha força, e fará os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas.” (Habacuque 3.16-19).











EMUNAH (hebraico) = FÉ, FIEL VERDADE, FIDELIDADE, FIRMEZA, CONFIANÇA ETC.
Êxodo 17.12 As mãos de Moisés, porém, ficaram cansadas; por isso tomaram uma pedra, e a puseram debaixo dele, e ele sentou-se nela; Arão e Hur sustentavam-lhe as mãos, um de um lado e o outro do outro; assim ficaram as suas mãos firmes até o pôr do sol.
Deuteronômio 32.4 Ele é a Rocha; suas obras são perfeitas, porque todos os seus caminhos são justos; Deus é fiel e sem iniquidade; justo e reto é ele.
1 Samuel 26.23 O Senhor, porém, pague a cada um a sua justiça e a sua lealdade; pois o Senhor te entregou hoje na minha mão, mas eu não quis estender a mão contra o ungido do Senhor.
2 Reis 12.15 E não se tomavam contas aos homens em cujas mãos entregavam aquele dinheiro para o dar aos que faziam a obra, porque eles se haviam com fidelidade.
2 Reis 22.7 Contudo não se tomava conta a eles do dinheiro que se lhes entregava nas mãos, porquanto se haviam com fidelidade.
1 Crônicas 9.22 Todos estes, escolhidos para serem guardas das entradas, foram duzentos e doze; e foram contados por suas genealogias, nas suas aldeias. Davi e Samuel, o vidente, os constituíram nos seus respectivos cargos. (oficio, dever, obrigação, encargo)
1 Crônicas 9.26 pois os quatro porteiros principais, que eram levitas, estavam encarregados das câmaras e dos tesouros da casa de Deus.
1 Crônicas 9.31 Matitias, um dos levitas, o primogênito de Salum, o coraíta, estava encarregado de tudo o que se cozia em sertãs.
2 Crônicas 19.9 E deu-lhes ordem, dizendo: Assim procedei no temor do Senhor, com fidelidade e com coração perfeito.
2 Crônicas 31.12 Ali recolheram fielmente as ofertas, os dízimos e as coisas dedicadas; e tinha o cargo disto o levita Conanias, e depois dele Simei, seu irmão.
2 Crônicas 31.15 E debaixo das suas ordens estavam Edem, Miniamim, Jesuá, Semaías, Amarias e Secanias, nas cidades dos sacerdotes, para fazerem com fidelidade a distribuição a seus irmãos, segundo as suas turmas, tanto aos pequenos como aos grandes,
2 Crônicas 31.18 Os sacerdotes eram arrolados com todos os seus pequeninos, suas mulheres, seus filhos e suas filhas, por toda a congregação; porque estes se dedicavam fielmente às coisas consagradas.
2 Crônicas 34.12 E os homens trabalhavam fielmente na obra; e os superintendentes sobre eles eram Jaate e Obadias, levitas, dos filhos de Merári, como também Zacarias e Mesulão, dos filhos dos coatitas, para adiantarem a obra; e todos os levitas que eram entendidos em instrumentos de música.
Salmo 33.4 Porque a palavra do Senhor é reta; e todas as suas obras são feitas em verdade.
Salmo 36.5 A tua benignidade, Senhor, chega até os céus, e a tua fidelidade até as nuvens.
Salmo 37.3 Confia no Senhor e faze o bem; assim habitarás na terra, e te alimentarás em segurança.
Salmo 40.10 Não ocultei dentro do meu coração a tua justiça; apregoei a tua fidelidade e a tua salvação; não escondi da grande congregação a tua benignidade e a tua verdade.
Salmo 88.11 Será anunciada a tua benignidade na sepultura, ou a tua fidelidade no Abadom?
Salmo 89.1 Cantarei para sempre as benignidades do Senhor; com a minha boca proclamarei a todas as gerações a tua fidelidade.
Salmo 89.2 Digo, pois: A tua benignidade será renovada para sempre; tu confirmarás a tua fidelidade até nos céus, dizendo:
Salmo 89.5 Os céus louvarão as tuas maravilhas, ó Senhor, e a tua fidelidade na assembleia dos santos.
Salmo 89.8 Ó Senhor, Deus dos exércitos, quem é poderoso como tu, Senhor, com a tua fidelidade ao redor de ti?
Salmo 89.24 A minha fidelidade, porém, e a minha benignidade estarão com ele, e em meu nome será exaltado o seu poder.
Salmo 89.33 Mas não lhe retirarei totalmente a minha benignidade, nem faltarei com a minha fidelidade.
Salmo 89.49 Senhor, onde estão as tuas antigas benignidades, que juraste a Davi na tua verdade?
Salmo 92.2 anunciar de manhã a tua benignidade, e à noite a tua fidelidade,
Salmo 96.13 diante do Senhor, porque ele vem, porque vem julgar a terra: julgará o mundo com justiça e os povos com a sua fidelidade.
Salmo 98.3 Lembrou-se da sua misericórdia e da sua fidelidade para com a casa de Israel; todas as extremidades da terra viram a salvação do nosso Deus.
Salmo 100.5 Porque o Senhor é bom; a sua benignidade dura para sempre, e a sua fidelidade de geração em geração.
Salmo 119.30 Escolhi o caminho da verdade; diante de mim pus as tuas ordenanças.
Salmo 119.75 Bem sei eu, ó Senhor, que os teus juízos são retos, e que em tua fidelidade me afligiste.
Salmo 119.86 Todos os teus mandamentos são fiéis. Sou perseguido injustamente; ajuda-me!
Salmo 119.90 A tua fidelidade estende-se de geração a geração; tu firmaste a terra, e firme permanece.
Salmo 119.138 Ordenaste os teus testemunhos com retidão, e com toda a fidelidade.
Salmo 143.1 Ó Senhor, ouve a minha oração, dá ouvidos às minhas súplicas! Atende-me na tua fidelidade, e na tua retidão;
Provérbios 12.17 Quem fala a verdade manifesta a justiça; porém a testemunha falsa produz a fraude.
Provérbios 12.22 Os lábios mentirosos são abomináveis ao Senhor; mas os que praticam a verdade são o seu deleite.
Provérbios 28.20 O homem fiel gozará de abundantes bênçãos; mas o que se apressa a enriquecer não ficará impune.
Isaías 11.5 A justiça será o cinto dos seus lombos, e a fidelidade o cinto dos seus rins.
Isaías 25.1 Ó Senhor, tu és o meu Deus; exaltarte-ei a ti, e louvarei o teu nome; porque fizeste maravilhas, os teus conselhos antigos, em fidelidade e em verdade.
Isaías 33.6 Será ele a estabilidade dos teus tempos, abundância de salvação, sabedoria, e conhecimento; e o temor do Senhor é o seu tesouro.
Isaías 59.4 Ninguém há que invoque a justiça com retidão, nem há quem pleiteie com verdade; confiam na vaidade, e falam mentiras; concebem o mal, e dão à luz a iniquidade.
Jeremias 5.1 Dai voltas às ruas de Jerusalém, e vede agora, e informai- vos, e buscai pelas suas praças a ver se podeis achar um homem, se há alguém que pratique a justiça, que busque a verdade; e eu lhe perdoarei a ela.
Jeremias 5.3 Ó Senhor, acaso não atentam os teus olhos para a verdade? feriste-os, porém não lhes doeu; consumiste-os, porém recusaram receber a correção; endureceram as suas faces mais do que uma rocha; recusaram-se a voltar.
Jeremias 7.28 E lhes dirás: Esta é a nação que não obedeceu a voz do Senhor seu Deus e não aceitou a correção; já pereceu a verdade, e está exterminada da sua boca.
Jeremias 9.3 E encurvam a língua, como se fosse o seu arco, para a mentira; fortalecem-se na terra, mas não para a verdade; porque avançam de malícia em malícia, e a mim me não conhecem, diz o Senhor.
Lamentações 3.23 renovam-se cada manhã. Grande é a tua fidelidade.
Oseias 2.20 e desposar-te-ei comigo em fidelidade, e conhecerás ao Senhor.
Habacuque 2.4 Eis o soberbo! A sua alma não é reta nele; mas o justo pela sua fé viverá.





Pistis (grego) = Fé, Confiar, Crer
Mateus 8.10 Jesus, ouvindo isso, admirou-se, e disse aos que o seguiam: Em verdade vos digo que a ninguém encontrei em Israel com tamanha fé.
Mateus 9.2 E eis que lhe trouxeram um paralítico deitado num leito. Jesus, pois, vendo-lhes a fé, disse ao paralítico: Tem ânimo, filho; perdoados são os teus pecados.
Mateus 9.22 Mas Jesus, voltando-se e vendo-a, disse: Tem ânimo, filha, a tua fé te salvou. E desde aquela hora a mulher ficou sã.
Mateus 9.29 Então lhes tocou os olhos, dizendo: Seja-vos feito segundo a vossa fé.
Mateus 15.28 Então respondeu Jesus, e disse-lhe: ó mulher, grande é a tua fé! seja-te feito como queres. E desde aquela hora sua filha ficou sã.
Mateus 17.20 Disse-lhes ele: Por causa da vossa descrença; pois em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda direis a este monte: Passa daqui para acolá, e ele há de passar; e nada vos será impossível.
Mateus 21.21 Jesus, porém, respondeu-lhes: Em verdade vos digo que, se tiverdes fé e não duvidardes, não só fareis o que foi feito à figueira, mas até, se a este monte disserdes: Ergue-te e lança-te no mar, isso será feito;
Mateus 23.23 Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, e tendes omitido o que há de mais importante na lei, a saber, a justiça, a misericórdia e a fé; estas coisas, porém, devíeis fazer, sem omitir aquelas.
Marcos 2.5 E Jesus, vendo-lhes a fé, disse ao paralítico: Filho, perdoados são os teus pecados.
Marcos 4.40 Então lhes perguntou: Por que sois assim tímidos? Ainda não tendes fé?
Marcos 5.34 Disse-lhe ele: Filha, a tua fé te salvou; vai-te em paz, e fica livre desse teu mal.
Marcos 10.52 Disse-lhe Jesus: Vai, a tua fé te salvou. E imediatamente recuperou a vista, e foi seguindo pelo caminho.
Marcos 11.22 Respondeu-lhes Jesus: Tende fé em Deus.
Lucas 5.20 E vendo-lhes a fé, disse ele: Homem, são-te perdoados os teus pecados.
Lucas 7.9 Jesus, ouvindo isso, admirou-se dele e, voltando-se para a multidão que o seguia, disse: Eu vos afirmo que nem mesmo em Israel encontrei tamanha fé.
Lucas 7.50 Jesus, porém, disse à mulher: A tua fé te salvou; vai-te em paz.
Lucas 8.25 Então lhes perguntou: Onde está a vossa fé? Eles, atemorizados, admiraram-se, dizendo uns aos outros: Quem, pois, é este, que até aos ventos e à água manda, e lhe obedecem?
Lucas 8.48 Disse-lhe ele: Filha, a tua fé te salvou; vai-te em paz.
Lucas 17.5 Disseram então os apóstolos ao Senhor: Aumenta-nos a fé.
Lucas 17.6 Respondeu o Senhor: Se tivésseis fé como um grão de mostarda, diríeis a esta amoreira: Desarraiga-te, e planta-te no mar; e ela vos obedeceria.
Lucas 17.19 E disse-lhe: Levanta-te, e vai; a tua fé te salvou.
Lucas 18.8 Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Contudo quando vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?
Lucas 18.42 Disse-lhe Jesus: Vê; a tua fé te salvou.
Lucas 22.32 mas eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; e tu, quando te converteres, fortalece teus irmãos.
Atos 3.16 E pela fé em seu nome fez o seu nome fortalecer a este homem que vedes e conheceis; sim, a fé, que vem por ele, deu a este, na presença de todos vós, esta perfeita saúde.
Atos 6.5 O parecer agradou a todos, e elegeram a Estevão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, Filipe, Prócoro, Nicanor, Timão, Pármenas, e Nicolau, prosélito de Antioquia,
Atos 6.7 E divulgava-se a palavra de Deus, de sorte que se multiplicava muito o número dos discípulos em Jerusalém e muitos sacerdotes obedeciam à fé.
Atos 6.8 Ora, Estêvão, cheio de fé e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo.
Atos 11.24 porque era homem de bem, e cheio do Espírito Santo e de fé. E muita gente se uniu ao Senhor.
Atos 13.8 Mas resistia-lhes Elimas, o encantador (porque assim se interpreta o seu nome), procurando desviar a fé do procônsul.
Atos 14.9 Este ouvia falar Paulo, que, fitando nele os olhos e vendo que tinha fé para ser curado,
Atos 14.22 confirmando as almas dos discípulos, exortando-os a perseverarem na fé, dizendo que por muitas tribulações nos é necessário entrar no reino de Deus.
Atos 14.27 Quando chegaram e reuniram a igreja, relataram tudo quanto Deus fizera por meio deles, e como abrira aos gentios a porta da fé.
Atos 15.9 e não fez distinção alguma entre eles e nós, purificando os seus corações pela fé.
Atos 16.5 Assim as igrejas eram confirmadas na fé, e dia a dia cresciam em número.
Atos 17.31 porquanto determinou um dia em que com justiça há de julgar o mundo, por meio do varão que para isso ordenou; e disso tem dado certeza a todos, ressuscitando-o dentre os mortos.
Atos 20.21 testificando, tanto a judeus como a gregos, o arrependimento para com Deus e a fé em nosso Senhor Jesus.
Atos 24.24 Alguns dias depois, vindo Félix com sua mulher Drusila, que era judia, mandou chamar a Paulo, e ouviu-o acerca da fé em Cristo Jesus.
Atos 26.18 para lhes abrir os olhos a fim de que se convertam das trevas à luz, e do poder de Satanás a Deus, para que recebam remissão de pecados e herança entre aqueles que são santificados pela fé em mim.
Romanos 1.5 pelo qual recebemos a graça e o apostolado, por amor do seu nome, para a obediência da fé entre todos os gentios,
Romanos 1.8 Primeiramente dou graças ao meu Deus, mediante Jesus Cristo, por todos vós, porque em todo o mundo é anunciada a vossa fé.
Romanos 1.12 isto é, para que juntamente convosco eu seja consolado em vós pela fé mútua, vossa e minha.
Romanos 1.17 Porque no evangelho é revelada, de fé em fé, a justiça de Deus, como está escrito: Mas o justo viverá da fé.
Romanos 3.3 Pois quê? Se alguns foram infiéis, porventura a sua infidelidade anulará a fidelidade de Deus?
Romanos 3.22 isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo para todos os que creem; pois não há distinção.
Romanos 3.25 ao qual Deus propôs como propiciação, pela fé, no seu sangue, para demonstração da sua justiça por ter ele na sua paciência, deixado de lado os delitos outrora cometidos;
Romanos 3.26 para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e também justificador daquele que tem fé em Jesus.
Romanos 3.27 Onde está logo a jactância? Foi excluída. Por que lei? Das obras? Não; mas pela lei da fé.
Romanos 3.28 concluímos pois que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei.
Romanos 3.30 se é que Deus é um só, que pela fé há de justificar a circuncisão, e também por meio da fé a incircuncisão.
Romanos 3.31 Anulamos, pois, a lei pela fé? De modo nenhum; antes estabelecemos a lei.
Romanos 4.5 porém ao que não trabalha, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é contada como justiça;
Romanos 4.9 Vem, pois, esta bem-aventurança sobre a circuncisão somente, ou também sobre a incircuncisão? Porque dizemos: A Abraão foi imputada a fé como justiça.
Romanos 4.11 E recebeu o sinal da circuncisão, selo da justiça da fé que teve quando ainda não era circuncidado, para que fosse pai de todos os que creem, estando eles na incircuncisão, a fim de que a justiça lhes seja imputada,
Romanos 4.12 bem como fosse pai dos circuncisos, dos que não somente são da circuncisão, mas também andam nas pisadas daquela fé que teve nosso pai Abraão, antes de ser circuncidado.
Romanos 4.13 Porque não foi pela lei que veio a Abraão, ou à sua descendência, a promessa de que havia de ser herdeiro do mundo, mas pela justiça da fé.
Romanos 4.14 Pois, se os que são da lei são herdeiros, logo a fé é vã e a promessa é anulada.
Romanos 4.16 Porquanto procede da fé o ser herdeiro, para que seja segundo a graça, a fim de que a promessa seja firme a toda a descendência, não somente à que é da lei, mas também à que é da fé que teve Abraão, o qual é pai de todos nós.
Romanos 4.19 e sem se enfraquecer na fé, considerou o seu próprio corpo já amortecido (pois tinha quase cem anos), e o amortecimento do ventre de Sara;
Romanos 4.20 contudo, à vista da promessa de Deus, não vacilou por incredulidade, antes foi fortalecido na fé, dando glória a Deus,
Romanos 5.1 Justificados, pois, pela fé, tenhamos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo,
Romanos 5.2 por quem obtivemos também nosso acesso pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e gloriemo-nos na esperança da glória de Deus.
Romanos 9.30 Que diremos pois? Que os gentios, que não buscavam a justiça, alcançaram a justiça, mas a justiça que vem da fé.
Romanos 9.32 Por que? Porque não a buscavam pela fé, mas como que pelas obras; e tropeçaram na pedra de tropeço;
Romanos 10.6 Mas a justiça que vem da fé diz assim: Não digas em teu coração: Quem subirá ao céu? (isto é, a trazer do alto a Cristo;)
Romanos 10.8 Mas que diz? A palavra está perto de ti, na tua boca e no teu coração; isto é, a palavra da fé, que pregamos.
Romanos 10.17 Logo a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Cristo.
Romanos 11.20 Está bem; pela sua incredulidade foram quebrados, e tu pela tua fé estás firme. Não te ensoberbeças, mas teme;
Romanos 12.3 Porque pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não tenha de si mesmo mais alto conceito do que convém; mas que pense de si sobriamente, conforme a medida da fé que Deus, repartiu a cada um.
Romanos 12.6 De modo que, tendo diferentes dons segundo a graça que nos foi dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé;
Romanos 14.1 Ora, ao que é fraco na fé, acolhei-o, mas não para condenar-lhe os escrúpulos.
Romanos 14.22 A fé que tens, guarda-a contigo mesmo diante de Deus. Bem-aventurado aquele que não se condena a si mesmo naquilo que aprova.
Romanos 14.23 Mas aquele que tem dúvidas, se come está condenado, porque o que faz não provém da fé; e tudo o que não provém da fé é pecado.
Romanos 16.26 mas agora manifesto e, por meio das Escrituras proféticas, segundo o mandamento do Deus, eterno, dado a conhecer a todas as nações para obediência da fé;
1 Coríntios 2.5 para que a vossa fé não se apoiasse na sabedoria dos homens, mas no poder de Deus.
1 Coríntios 12.9 a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar;
1 Coríntios 13.2 E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
1 Coríntios 13.13 Agora, pois, permanecem a fé, a esperança, o amor, estes três; mas o maior destes é o amor.
1 Coríntios 15.14 E, se Cristo não foi ressuscitado, logo é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé.
1 Coríntios 15.17 E, se Cristo não foi ressuscitado, é vã a vossa fé, e ainda estais nos vossos pecados.
1 Coríntios 16.13 Vigiai, estai firmes na fé, portai-vos varonilmente, sede fortes.
2 Coríntios 2.24 não que tenhamos domínio sobre a vossa fé, mas somos cooperadores de vosso gozo; pois pela fé estais firmados.
2 Coríntios 4.13 Ora, temos o mesmo espírito de fé, conforme está escrito: Cri, por isso falei; também nós cremos, por isso também falamos,
2 Coríntios 5.7 (porque andamos por fé, e não por vista);
2 Coríntios 8.7 Ora, assim como abundais em tudo: em fé, em palavra, em ciência, em todo o zelo, no vosso amor para conosco, vede que também nesta graça abundeis.
2 Coríntios 10.15 não nos gloriando além da medida em trabalhos alheios; antes tendo esperança de que, à proporção que cresce a vossa fé, seremos nós cada vez mais engrandecidos entre vós, conforme a nossa medida,
2 Coríntios 13.5 Examinai-vos a vós mesmos se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não sabeis quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados.
Gálatas 1.23 mas somente tinham ouvido dizer: Aquele que outrora nos perseguia agora prega a fé que antes procurava destruir;
Gálatas 2.16 sabendo, contudo, que o homem não é justificado por obras da lei, mas sim, pela fé em Cristo Jesus, temos também crido em Cristo Jesus para sermos justificados pela fé em Cristo, e não por obras da lei; pois por obras da lei nenhuma carne será justificada.
Gálatas 2.20 Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé no filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.
Gálatas 3.2 Só isto quero saber de vós: Foi por obras da lei que recebestes o Espírito, ou pelo ouvir com fé?
Gálatas 3.5 Aquele pois que vos dá o Espírito, e que opera milagres entre vós, acaso o faz pelas obras da lei, ou pelo ouvir com fé?
Gálatas 3.7 Sabei, pois, que os que são da fé, esses são filhos de Abraão.
Gálatas 3.8 Ora, a Escritura, prevendo que Deus havia de justificar pela fé os gentios, anunciou previamente a boa nova a Abraão, dizendo: Em ti serão abençoadas todas as nações.
Gálatas 3.9 De modo que os que são da fé são abençoados com o crente Abraão.
Gálatas 3.11 É evidente que pela lei ninguém é justificado diante de Deus, porque: O justo viverá da fé;
Gálatas 3.12 ora, a lei não é da fé, mas: O que fizer estas coisas, por elas viverá.
Gálatas 3.14 para que aos gentios viesse a bênção de Abraão em Jesus Cristo, a fim de que nós recebêssemos pela fé a promessa do Espírito.
Gálatas 3.22 Mas a Escritura encerrou tudo debaixo do pecado, para que a promessa pela fé em Jesus Cristo fosse dada aos que creem.
Gálatas 3.23 Mas, antes que viesse a fé, estávamos guardados debaixo da lei, encerrados para aquela fé que se havia de revelar.
Gálatas 3.24 De modo que a lei se tornou nosso aio, para nos conduzir a Cristo, a fim de que pela fé fôssemos justificados.
Gálatas 3.25 Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio.
Gálatas 3.26 Pois todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus.
Gálatas 5.5 Nós, entretanto, pelo Espírito aguardamos a esperança da justiça que provém da fé.
Gálatas 5.6 Porque em Cristo Jesus nem a circuncisão nem a incircuncisão vale coisa alguma; mas sim a fé que opera pelo amor.
Gálatas 5.22 Mas o fruto do Espírito é: o amor, o gozo, a paz, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a fidelidade.
Gálatas 6.10 Então, enquanto temos oportunidade, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé.
Efésios 1.15 Por isso também eu, tendo ouvido falar da fé que entre vós há no Senhor Jesus e do vosso amor para com todos os santos,
Efésios 2.8 Porque pela graça sois salvos, por meio da fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus;
Efésios 3.12 no qual temos ousadia e acesso em confiança, pela nossa fé nele.
Efésios 3.17 que Cristo habite pela fé nos vossos corações, a fim de que, estando arraigados e fundados em amor,
Efésios 4.5 um só Senhor, uma só fé, um só batismo;
Efésios 4.13 até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, ao estado de homem feito, à medida da estatura da plenitude de Cristo;
Efésios 6.16 tomando, sobretudo, o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno.
Efésios 6.23 Paz seja com os irmãos, e amor com fé, da parte de Deus Pai e do Senhor Jesus Cristo.
Filipenses 1.25 E, tendo esta confiança, sei que ficarei, e permanecerei com todos vós para vosso progresso e gozo na fé;
Filipenses 1.27 Somente portai-vos, dum modo digno do evangelho de Cristo, para que, quer vá e vos veja, quer esteja ausente, ouça acerca de vós que permaneceis firmes num só espírito, combatendo juntamente com uma só alma pela fé do evangelho;
Filipenses 2.17 Contudo, ainda que eu seja derramado como libação sobre o sacrifício e serviço da vossa fé, folgo e me regozijo com todos vós;
Filipenses 3.9 e seja achado nele, não tendo como minha justiça a que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé;
Colossenses 1.4 desde que ouvimos falar da vossa fé em Cristo Jesus, e do amor que tendes a todos os santos,
Colossenses 1.23 se é que permaneceis na fé, fundados e firmes, não vos deixando apartar da esperança do evangelho que ouvistes, e que foi pregado a toda criatura que há debaixo do céu, e do qual eu, Paulo, fui constituído ministro.
Colossenses 2.5 Porque ainda que eu esteja ausente quanto ao corpo, contudo em espírito estou convosco, regozijando-me, e vendo a vossa ordem e a firmeza da vossa fé em Cristo.
Colossenses 2.7 arraigados e edificados nele, e confirmados na fé, assim como fostes ensinados, abundando em ação de graças.
Colossenses 2.12 tendo sido sepultados com ele no batismo, no qual também fostes ressuscitados pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dentre os mortos;
1 Tessalonicenses 1.3 lembrando-nos sem cessar da vossa obra de fé, do vosso trabalho de amor e da vossa firmeza de esperança em nosso Senhor Jesus Cristo, diante de nosso Deus e Pai,
1 Tessalonicenses 1.8 Porque, partindo de vós fez-se ouvir a palavra do Senhor, não somente na Macedônia e na Acaia, mas também em todos os lugares a vossa fé para com Deus se divulgou, de tal maneira que não temos necessidade de falar coisa alguma;
1 Tessalonicenses 3.2 e enviamos Timóteo, nosso irmão, e ministro de Deus no evangelho de Cristo, para vos fortalecer e vos exortar acerca da vossa fé;
1 Tessalonicenses 3.5 Por isso também, não podendo eu esperar mais, mandei saber da vossa fé, receando que o tentador vos tivesse tentado, e o nosso trabalho se houvesse tornado inútil.
1 Tessalonicenses 3.6 Mas agora que Timóteo acaba de regressar do vosso meio, trazendo-nos boas notícias da vossa fé e do vosso amor, dizendo que sempre nos tendes em afetuosa lembrança, anelando ver-nos assim como nós também a vós;
1 Tessalonicenses 3.7 por isso, irmãos, em toda a nossa necessidade e tribulação, ficamos consolados acerca de vós, pela vossa fé,
1 Tessalonicenses 3.10 rogando incessantemente, de noite e de dia, para que possamos ver o vosso rosto e suprir o que falta à vossa fé?
1 Tessalonicenses 5.8 mas nós, porque somos do dia, sejamos sóbrios, vestindo-nos da couraça da fé e do amor, e tendo por capacete a esperança da salvação;
2 Tessalonicenses 1.3 Sempre devemos, irmãos, dar graças a Deus por vós, como é justo, porque a vossa fé cresce muitíssimo e o amor de cada um de vós transborda de uns para com os outros.
2 Tessalonicenses 1.4 De maneira que nós mesmos nos gloriamos de vós nas igrejas de Deus por causa da vossa constância e fé em todas as perseguições e aflições que suportais;
2 Tessalonicenses 1.11 Pelo que também rogamos sempre por vós, para que o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação, e cumpra com poder todo desejo de bondade e toda obra de fé.
2 Tessalonicenses 2.13 Mas nós devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos, amados do Senhor, porque Deus vos escolheu desde o princípio para a santificação do espírito e a fé na verdade,
2 Tessalonicenses 3.2 e para que sejamos livres de homens perversos e maus; porque a fé não é de todos.
1 Timóteo 1.2 a Timóteo, meu verdadeiro filho na fé: graça, misericórdia e paz da parte de Deus Pai e de Cristo Jesus, nosso Senhor.
1 Timóteo 1.4 nem se preocupassem com fábulas ou genealogias intermináveis, pois que produzem antes discussões que edificação para com Deus, que se funda na fé.
1 Timóteo 1.5 Mas o fim desta admoestação é o amor que procede de um coração puro, de uma boa consciência, e de uma fé não fingida;
1 Timóteo 1.14 e a graça de nosso Senhor superabundou com a fé e o amor que há em Cristo Jesus.
1 Timóteo 1.19 conservando a fé, e uma boa consciência, a qual alguns havendo rejeitado, naufragando no tocante à fé;
1 Timóteo 2.7 para o que (digo a verdade, não minto) eu fui constituído pregador e apóstolo, mestre dos gentios na fé e na verdade.
1 Timóteo 2.15 salvar-se-á, todavia, dando à luz filhos, se permanecer com sobriedade na fé, no amor e na santificação.
1 Timóteo 3.9 guardando o mistério da fé numa consciência pura.
1 Timóteo 3.13 Porque os que servirem bem como diáconos, adquirirão para si um lugar honroso e muita confiança na fé que há em Cristo Jesus.
1 Timóteo 4.1 Mas o Espírito expressamente diz que em tempos posteriores alguns apostatarão da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios,
1 Timóteo 4.6 Propondo estas coisas aos irmãos, serás bom ministro de Cristo Jesus, nutrido pelas palavras da fé e da boa doutrina que tens seguido;
1 Timóteo 4.12 Ninguém despreze a tua mocidade, mas sê um exemplo para os fiéis na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza.
1 Timóteo 5.8 Mas, se alguém não cuida dos seus, e especialmente dos da sua família, tem negado a fé, e é pior que um incrédulo.
1 Timóteo 5.12 tendo já a sua condenação por haverem violado a primeira fé;
1 Timóteo 6.10 Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.
1 Timóteo 6.11 Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a constância, a mansidão.
1 Timóteo 6.12 Peleja a boa peleja da fé, apodera-te da vida eterna, para a qual foste chamado, tendo já feito boa confissão diante de muitas testemunhas.
1 Timóteo 6.21 a qual professando-a alguns, se desviaram da fé. A graça seja convosco
2 Timóteo 1.5 trazendo à memória a fé não fingida que há em ti, a qual habitou primeiro em tua avó Loide, e em tua mãe Eunice e estou certo de que também habita em ti.
2 Timóteo 1.13 Conserva o modelo das sãs palavras que de mim tens ouvido na fé e no amor que há em Cristo Jesus;
2 Timóteo 2.18 que se desviaram da verdade, dizendo que a ressurreição é já passada, e assim pervertem a fé a alguns.
2 Timóteo 2.22 Foge também das paixões da mocidade, e segue a justiça, a fé, o amor, a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor.
2 Timóteo 3.8 E assim como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes resistem à verdade, sendo homens corruptos de entendimento e réprobos quanto à fé.
2 Timóteo 3.10 Tu, porém, tens observado a minha doutrina, procedimento, intenção, fé, longanimidade, amor, perseverança,
2 Timóteo 3.15 e que desde a infância sabes as sagradas letras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus.
2 Timóteo 4.7 Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.
Tito 1.1 Paulo, servo de Deus, e apóstolo de Jesus Cristo, segundo a fé dos eleitos de Deus, e o pleno conhecimento da verdade que é segundo a piedade,
Tito 1.4 a Tito, meu verdadeiro filho segundo a fé que nos é comum, graça e paz da parte de Deus Pai, e de Cristo Jesus, nosso Salvador.
Tito 1.13 Este testemunho é verdadeiro. Portanto repreende-os severamente, para que sejam são na fé,
Tito 2.2 Exorta os velhos a que sejam temperantes, sérios, sóbrios, sãos na fé, no amor, e na constância;
Tito 2.10 nem defraudando, antes mostrando perfeita fidelidade, para que em tudo sejam ornamento da doutrina de Deus nosso Salvador.
Tito 3.15 Saúdam-te todos os que estão comigo. Saúda aqueles que nos amam na fé. A graça seja com todos vós.
Filemom 1.5 ao ouvir falar do amor e da fé que tens para com o Senhor Jesus e para com todos os santos;
Filemom 1.6 para que a comunicação da tua fé se torne eficaz, no pleno conhecimento de todo o bem que em nós há para com Cristo.
Hebreus 4.2 Porque também a nós foram pregadas as boas novas, assim como a eles; mas a palavra da pregação nada lhes aproveitou, porquanto não chegou a ser unida com a fé, naqueles que a ouviram.
Hebreus 6.1 Pelo que deixando os rudimentos da doutrina de Cristo, prossigamos até a perfeição, não lançando de novo o fundamento de arrependimento de obras mortas e de fé em Deus,
Hebreus 6.12 para que não vos torneis indolentes, mas sejais imitadores dos que pela fé e paciência herdam as promessas.
Hebreus 10.22 cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé; tendo o coração purificado da má consciência, e o corpo lavado com água limpa,
Hebreus 10.38 Mas o meu justo viverá da fé; e se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele.
Hebreus 10.39 Nós, porém, não somos daqueles que recuam para a perdição, mas daqueles que creem para a conservação da alma.
Hebreus 11.1 Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se veem.
Hebreus 11.3 Pela fé entendemos que os mundos foram criados pela palavra de Deus; de modo que o visível não foi feito daquilo que se vê.
Hebreus 11.4 Pela fé Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho das suas oferendas, e por meio dela depois de morto, ainda fala.
Hebreus 11.5 Pela fé Enoque foi trasladado para não ver a morte; e não foi achado, porque Deus o trasladara; pois antes da sua trasladação alcançou testemunho de que agradara a Deus.
Hebreus 11.6 Ora, sem fé é impossível agradar a Deus; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.
Hebreus 11.7 Pela fé Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, sendo temente a Deus, preparou uma arca para o salvamento da sua família; e por esta fé condenou o mundo, e tornou-se herdeiro da justiça que é segundo a fé.
Hebreus 11.8 Pela fé Abraão, sendo chamado, obedeceu, saindo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia.
Hebreus 11.9 Pela fé peregrinou na terra da promessa, como em terra alheia, habitando em tendas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa;
Hebreus 11.11 Pela fé, até a própria Sara recebeu a virtude de conceber um filho, mesmo fora da idade, porquanto teve por fiel aquele que lho havia prometido.
Hebreus 11.13 Todos estes morreram na fé, sem terem alcançado as promessas; mas tendo-as visto e saudado, de longe, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra.
Hebreus 11.17 Pela fé Abraão, sendo provado, ofereceu Isaque; sim, ia oferecendo o seu unigênito aquele que recebera as promessas,
Hebreus 11.20 Pela fé Isaque abençoou Jacó e a Esaú, no tocante às coisas futuras.
Hebreus 11.21 Pela fé Jacó, quando estava para morrer, abençoou cada um dos filhos de José, e adorou, inclinado sobre a extremidade do seu bordão.
Hebreus 11.22 Pela fé José, estando próximo o seu fim, fez menção da saída dos filhos de Israel, e deu ordem acerca de seus ossos.
Hebreus 11.23 Pela fé Moisés, logo ao nascer, foi escondido por seus pais durante três meses, porque viram que o menino era formoso; e não temeram o decreto do rei.
Hebreus 11.24 Pela fé Moisés, sendo já homem, recusou ser chamado filho da filha de Faraó,
Hebreus 11.27 Pela fé deixou o Egito, não temendo a ira do rei; porque ficou firme, como quem vê aquele que é invisível.
Hebreus 11.28 Pela fé celebrou a páscoa e a aspersão do sangue, para que o destruidor dos primogênitos não lhes tocasse.
Hebreus 11.29 Pela fé os israelitas atravessaram o Mar Vermelho, como por terra seca; e tentando isso os egípcios, foram afogados.
Hebreus 11.30 Pela fé caíram os muros de Jericó, depois de rodeados por sete dias.
Hebreus 11.31 Pela fé Raabe, a meretriz, não pereceu com os desobedientes, tendo acolhido em paz os espias.
Hebreus 11.33 os quais por meio da fé venceram reinos, praticaram a justiça, alcançaram promessas, fecharam a boca dos leões,
Hebreus 11.39 E todos estes, embora tendo recebido bom testemunho pela fé, contudo não alcançaram a promessa;
Hebreus 12.2 fitando os olhos em Jesus, autor e consumador da nossa fé, o qual, pelo gozo que lhe está proposto, suportou a cruz, desprezando a ignomínia, e está assentado à direita do trono de Deus.
Hebreus 13.7 Lembrai-vos dos vossos guias, os quais vos falaram a palavra de Deus, e, atentando para o êxito da sua carreira, imitai-lhes a fé.
Tiago 1.3 sabendo que a aprovação da vossa fé produz a perseverança;
Tiago 1.6 Peça-a, porém, com fé, não duvidando; pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, que é sublevada e agitada pelo vento.
Tiago 2.1 Meus irmãos, não tenhais a fé em nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor da glória, em acepção de pessoas.
Tiago 2.5 Ouvi, meus amados irmãos. Não escolheu Deus os que são pobres quanto ao mundo para fazê-los ricos na fé e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam?
Tiago 2.14 Que proveito há, meus irmãos se alguém disser que tem fé e não tiver obras? Porventura essa fé pode salvá-lo?
Tiago 2.17 Assim também a fé, se não tiver obras, é morta em si mesma.
Tiago 2.18 Mas dirá alguém: Tu tens fé, e eu tenho obras; mostra-me a tua fé sem as obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras.
Tiago 2.20 Mas queres saber, ó homem vão, que a fé sem as obras é estéril?
Tiago 2.22 Vês que a fé cooperou com as suas obras, e que pelas obras a fé foi aperfeiçoada;
Tiago 2.24 Vedes então que é pelas obras que o homem é justificado, e não somente pela fé.
Tiago 2.26 Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta.
Tiago 5.15 e a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.
1 Pedro 1.5 que pelo poder de Deus sois guardados, mediante a fé, para a salvação que está preparada para se revelar no último tempo;
1 Pedro 1.7 para que a prova da vossa fé, mais preciosa do que o ouro que perece, embora provado pelo fogo, redunde para louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo;
1 Pedro 1.9 alcançando o fim da vossa fé, a salvação das vossas almas.
1 Pedro 1.21 que por ele credes em Deus, que o ressuscitou dentre os mortos e lhe deu glória, de modo que a vossa fé e esperança estivessem em Deus.
1 Pedro 5.9 ao qual resisti firmes na fé, sabendo que os mesmos sofrimentos estão-se cumprindo entre os vossos irmãos no mundo.
2 Pedro 1.1 Simão Pedro, servo e apóstolo de Jesus Cristo, aos que conosco alcançaram fé igualmente preciosa na justiça do nosso Deus e Salvador Jesus Cristo:
2 Pedro 1.5 E por isso mesmo vós, empregando toda a diligência, acrescentai à vossa fé a virtude, e à virtude a ciência,
1 João 5.4 porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé.
Judas 1.3 Amados, enquanto eu empregava toda a diligência para escrever-vos acerca da salvação que nos é comum, senti a necessidade de vos escrever, exortando-vos a pelejar pela fé que de uma vez para sempre foi entregue aos santos.
Judas 1.20 Mas vós, amados, edificando-vos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo,
Apocalipse 2.13 Sei onde habitas, que é onde está o trono de Satanás; mas reténs o meu nome e não negaste a minha fé, mesmo nos dias de Antipas, minha fiel testemunha, o qual foi morto entre vós, onde Satanás habita.
Apocalipse 2.19 Conheço as tuas obras, e o teu amor, e a tua fé, e o teu serviço, e a tua perseverança, e sei que as tuas últimas obras são mais numerosas que as primeiras.
Apocalipse 13.10 Se alguém leva em cativeiro, em cativeiro irá; se alguém matar à espada, necessário é que à espada seja morto. Aqui está a perseverança e a fé dos santos.
Apocalipse 14.12 Aqui está a perseverança dos santos, daqueles que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.






Biografia:
Servo de Deus, que tendo sido curado, pela graça de Jesus, de um infarto do miocárdio e de um câncer intestinal, tem se dedicado também a divulgar todo o material que produziu ao longo dos 35 anos do seu ministério, que sempre realizou para a exclusiva glória de Deus, sem qualquer interesse comercial ou financeiro. Aprisionado a Uma Visão Há alguns anos atrás, falou-me o Senhor numa visão que eu fosse ter com os puritanos e com Martyn LLoyd Jones. Exatamente com estas palavras. Por incrível que possa parecer, até então, nunca havia ouvido falar sobre os puritanos e LLoyd Jones. Todavia, de lá para cá, há mais de uma década, não fiz outra coisa tão dedicadamente em toda a minha vida, do que estudar as suas obras, e foi nelas que muito aprendi a ter a consistência bíblica doutrinária que adquiri, e que exponho em meus textos. Mais tarde, fui impelido pelo Senhor a divulgar todo o material que havia produzido como fruto do referido estudo. As obras dos puritanos são muito densas e extensas, e tive que condensá-las e adaptar parte do seu conteúdo para uma forma de linguagem mais atual, tendo no entanto o cuidado, de não prejudicar o teor da mensagem. Você pode ler e ouvir estas mensagens nos meus seguintes blogs e site: http://aguardandovj.blogspot.com.br/ Mensagens Sobre o Tempo do Fim e a Volta de Jesus http://www.verdadeevida.org/ Site com centenas de textos, áudios e vídeos sobre o evangelho verdadeiro (com material dos pastores Charles Haddon Spurgeon, John Woen, John Wesley, John Macarthur, John Piper, Paul Washer, Lloyd Jones, John Wesley, Silvio Dutra, entre outros) http://livrosbiblia.blogspot.com.br/ Comentário dos livros do Velho Testamento http://livrono.blogspot.com.br/ Comentário dos livros do Novo Testamento http://retornoevangelho.blogspot.com.br/ Mensagens em textos e vídeos relativos ao Evangelho Verdadeiro. http://poesiasdoevangelho.blogspot.com.br/ Poesias sobre o Evangelho Verdadeiro Com Quem Estou Compromissado Quanto aos textos que tenho postado, que são em grande parte relativos a temas religiosos, estou compromissado: - Primeiro, com Deus Pai, com Jesus Cristo e com o Espírito Santo. - Depois com a exposição e interpretação exatas da Palavra de Deus, conforme se encontra na Bíblia. - Com meus amados leitores que têm sido tão gentis e pacientes comigo. - Finalmente, com minha própria consciência, quanto ao dever de ser honesto e verdadeiro em tudo que tenho escrito. Não estou compromissado e nem vinculado a qualquer instituição ou denominação religiosa, de modo que tudo quanto escrevo nunca tem o propósito de defender ou atacar qualquer pessoa ou instituição, mormente quanto às convicções e crenças que elas postulam, senão somente de expor o conteúdo bíblico em toda a sua extensão e profundidade.
Número de vezes que este texto foi lido: 334


Outros títulos do mesmo autor

Artigos Como Ser Bênção para o Mundo Silvio Dutra
Artigos O Melhor e Maior Argumento para a Santificação Silvio Dutra
Artigos Unidade Vital Silvio Dutra
Artigos O Juízo que é para o Bem Silvio Dutra
Artigos Avaliando Conforme Deus Avalia Silvio Dutra
Artigos Nem um Til ou Jota Silvio Dutra
Artigos O Uso Permanente do Capacete da Salvação Silvio Dutra
Artigos O Significado de o Justo Viver pela Fé Silvio Dutra
Artigos Um Simples Palco de Aperfeiçoamento para um Mundo Melhor Silvio Dutra
Artigos Espírito Santo Silvio Dutra

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 2058.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2017
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 182798 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 148880 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 148307 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 128322 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 67380 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 64760 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 58822 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 58642 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 57537 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 53548 Visitas

Páginas: Próxima Última