Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Manifesto contra a virtualização da humanidade
João Carvalho

Resumo:
Trata da perda da relação humana física em detrimento ao apego às relações virtuais e aos aparelhos eletrônicos.

Quantos olhos encararam hoje? Quantas palavras ouviram e quantas disseram? Quantos bom dia foram desejados e quantos boa noite ainda serão? Façam suas contas. Façam uma retrospectiva do seu dia. Esqueçam as fotos de perfis e propagandas de maquiagem, quantos olhares encararam? Esqueçam a televisão, o rádio e os áudios no whatsapp, quantos palavras foram ouvidas e ditas? Esqueçam os grupos da família, do trabalho ou da turma do colégio, quantos bom dia foram desejados?

Substituímos nossas relações exclusivamente humanas, o olho no olho, a impossibilidade de apagar o que foi dito, de mascarar como nós somos e o quão difícil ou radiante está aquele dia. Criamos uma figura perfeita, que todos os dias tem e terá o cabelo impecável, olhos marcantes e passando a mensagem permanente do que “somos” ou o que deveriam pensar sobre nós. Elegemos um objeto para fazer a ponte entre nós e o outro, o smartphone. Mas quão forte e prazerosa ela pode ser?

A instantaneidade, a possibilidade de falar com várias pessoas amadas, ou não, ao mesmo tempo é incrível. Mas a quem estamos dando atenção ao pegarmos nossos celulares? A mãe que pergunta como foi o dia? Ao amigo com quem planeja viajar no carnaval? A moça que encontrou no Tinder, e pretende leva-la ao cinema para assistir a qualquer filme numa sala praticamente vazia?

Isso é a evolução, dizem os entusiastas, as aplicações são enormes, podemos matar a saudade daqueles que estão distantes, ou de quem nem sequer lembrávamos, até ver uma sugestão de amizade no facebook. De fato, é louvável as possibilidades, mas o celular ou computador não podem ser os únicos meios de comunicação entre nós. Devemos usar nosso olhar, nossa fala, o nosso corpo, não podemos perder a nossa humanidade.

Por isso, amanhã olhe nos olhos das pessoas por quem passa ou com quem conversa, esquece um pouco esse facebook e instagram. Ouça as pessoas e dê atenção a elas, converse usando seu melhor sorriso, dá uma folga para esses dedos que tanto digitam. Dê bom dia a quem o cerca, com o fervor das fotos do grupo de família e com a verdade de um olhar sincero. Mantenha viva sua humanidade, ela que nos diferencia dos aparelhos que tanto idolatramos.


Número de vezes que este texto foi lido: 48


Outros títulos do mesmo autor

Crônicas Mais um dia João Carvalho
Discursos Manifesto contra a virtualização da humanidade João Carvalho
Romance Haroldo Capítulo I João Carvalho
Crônicas Fragmentos João Carvalho


Publicações de número 1 até 4 de um total de 4.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 183200 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 152331 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 151740 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 128646 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 67660 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 66393 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 59825 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 59729 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 57851 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 53809 Visitas

Páginas: Próxima Última