Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Referência
Antagônico
Gabriel Augusto de Azevêdo

Nem mesmo os maiores épicos da literatura poderiam conter um olhar como o teu, senão não saberiam classificar o texto.
Tenho a impressão que, qualquer coisa que eu disser aqui, não será suficiente para me expressar.
Espero pelo teu abraço pela manhã que, do meu ponto de vista, tarda a chegar.

Minha ansiedade não me permite esquecer teu cabelo cacheado, parcialmente pintado e desbotado.
Tenho-te como sonho de consumo, destinatária de minha Tolice.
Se eu demorar demais para falar durante uma conversa nossa,
Entenda que é porque estou tentando entender como alguém consegue me atrair a atenção.
Feito notável este, que nem os livros de Sir Arthur Conan Doyle conseguiram realizar.

Cala-te, Mario Quintana.
Com licença, Vinicius de Morais.
Perdão, Pablo Neruda.
Mas nenhum de vossos escritos se compara à arte que é o sorriso de minha amada.

Se paixão matasse, eu quereria ser sentenciado à pena de morte.
Mas infelizmente não me dou ao luxo, pois nem sei diferenciar a paixão do amor.

Queria que a chuva chegasse, pois é nela que vejo minha inspiração.
Porém, tenho em mente, não a chuva convencional, e sim a tempestade que és tu.
Cada gota de água é um motivo para eu não me deixar levar pelo sentimento,
E cada sopro do vento está ligado com a fraqueza emocional humana.
Para ser sincero, o que me chama atenção na chuva é o vento.

Dama que, em minha mente, brilha como prata,
Nota que, se sem ti eu estiver, continuarei vivendo normalmente.
Talvez se chegar a conquistá-la, nossas vidas começassem a descarrilar.

E, honestamente, a ideia de sair dos trilhos é muito atraente.


Biografia:
Facebook: facebook.com/GabGusto

Este texto é administrado por: Gabriel Augusto Azevêdo da Silva
Número de vezes que este texto foi lido: 28613


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Ao Leitor Gabriel Augusto de Azevêdo
Poesias Referência Gabriel Augusto de Azevêdo
Poesias Soneto a Respeito da Lógica Humana Gabriel Augusto de Azevêdo
Poesias Tolice Gabriel Augusto de Azevêdo
Poesias Desânimo Gabriel Augusto de Azevêdo
Poesias Espelho de meus medos Gabriel Augusto de Azevêdo
Poesias Aos que vieram antes de nós Gabriel Augusto de Azevêdo
Poesias Querida Lua Gabriel Augusto de Azevêdo
Poesias Dramático Gabriel Augusto de Azevêdo


Publicações de número 1 até 9 de um total de 9.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 48609 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 39017 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 33071 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 32035 Visitas
Amores! - 32018 Visitas
Desabafo - 31639 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 31401 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 30773 Visitas
Faça alguém feliz - 30762 Visitas
Vivo com.. - 30414 Visitas

Páginas: Próxima Última