Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
De volta ao piano
Carlos Correa

Aqui estou então
Onde pediu que estivesse
Você sabe que não me sinto bem aqui, não sabe?
Ao menos não como antes
E qual o motivo dessas flores sobre ele?

Não eu não preciso estar aqui por que deveria?
As teclas não são mais sensíveis aos meus dedos
E nem eles à elas sem sentido
Não há mais espaço para canções de amor

Precisa ativar suas memórias
Relembrar que foi exatamente aí
O local onde atendeu ao chamado do vento
Foi exatamente aí que prometeu aprender a voar

Não compreendo ainda essas palavras soltas no ar
Acredito que outros também não
Assim como aconteceu com as flores
O piano secou parece você não entender

As flores secam em três situações
Quando da terra são retiradas à força
Quando não são regadas
Ao chegar seu tempo de voltar a ser terra

Em qual delas se encaixa?

Mas aprendi que para minhas flores não secarem
Teria de regar o jardim do vizinho
E aprendeu bem
Mas como regará as dele se as suas secarem?

Seu canteiro sua responsabilidade
Terá de molhar o deles sem esquecer do seu
Ainda que seja com suas lágrimas

E qual a relação disso com o piano à minha frente?
Porque traz de volta as teclas até mim?

Sua inocência me faz sorrir
Mas também traz-me impaciência
Também tenho que aprender parece
Te agradeço por essa oportunidade

Seu canteiro é o piano
O regador as teclas
As flores suas canções de amor

Mas eu não lembro mais como fazê-lo
Isso que faço não é uma canção!
Como não?
A voz do Homem ao levar palavras de força
De esperança de conforto e Fé
Essa voz sempre será uma canção de amor

Preste atenção tape os ouvidos e ouça
Cada um deverá amar o jardim dos vizinhos
Isso é básico um papel semelhante para todos
Cada um tem esse dever apesar de não o saber

Agora para regar o próprio terreno
Fazer com que cresçam suas próprias flores
E que as novas sementes sigam ao critério do vento
Cada um se utiliza de instrumentos diferentes
Ainda que temporariamente adormecidos

Levo você de volta ao piano
Quem sabe para entender que sofrer por sofrer
Não cria música não há vocal não há melodia
Transformar sofrimento em algo útil
Está aí a canção consegue ouvir?

Perdoar meus queridos é perceber onde falhamos
Em permitir que alguém tenha nos ferido
Nossa dor só irá aumentar
Enquanto aos outros continuarmos a culpar

Agora comece a teclar
Atendeu ao chamado do vento
Então comece de uma vez a canção
Aprenda logo a voar

Fiquem com Deus
Nos vemos em breve

Carlos Correa

Número de vezes que este texto foi lido: 212


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Recomeçar Carlos Correa
Poesias Cálice do teu Porto Carlos Correa
Poesias Assim disseram as estrelas Carlos Correa
Poesias Visível presença Carlos Correa
Poesias Até a última lágrima Carlos Correa
Poesias Ousadia Carlos Correa
Poesias Renovação das Estrelas Carlos Correa
Poesias Alcatraz Carlos Correa
Poesias No rodapé dos sonhos Carlos Correa
Poesias ...de um doce sopro Carlos Correa

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 11 até 20 de um total de 25.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
Piscianas, as mulheres mais próximas dos sentimentos. - Nandoww 51367 Visitas
CULTURA AFRICANA E SUAS INFLUÊNCIAS NA CULTURA BRASILEIRA - Ismael Monteiro 50779 Visitas
CÉREBRO HUMANO - Tércio Sthal 47772 Visitas
The crow - The Wiki World - The Crow 46448 Visitas
Banco de Questões - China - Agrário Conrado 44622 Visitas
Banco de Questões - Japão - Agrário Conrado 42503 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 38617 Visitas
Minha namorada - Jose Andrade de Souza 38205 Visitas
PSICOLOGIA E DIREITO - Francisco carlos de aguiar neto 35640 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 35564 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última