Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Crônicas celestiais I
A guerra nas sombras
Francisco Canindé Sousa Soares

Resumo:
Existe amor errado? É melhor você se preparar para o futuro que ira surgir. Nós somos caçadores! Ferozes como fogo Nós somos caçadores! Frios como o gelo Nós somos caçadores! Ponha seu corpo e sua vida em sua espada Nós somos caçadores! Continuem com coragem e destruam todos eles

Crônicas celestiais I
A guerra nas sombras


Existe amor errado?
É melhor você se preparar para o futuro que ira surgir.
Nós somos caçadores! Ferozes como fogo
Nós somos caçadores! Frios como o gelo
Nós somos caçadores! Ponha seu corpo e sua vida em sua espada
Nós somos caçadores! Continuem com coragem e destruam todos eles


Por Francisco Canindé Sousa Soares



2016

A GUERRA NAS SOMBRAS

Durante eras a paz reinou no mundo celestial, onde todos viviam em harmonia e desfrutavam da mais perfeita organização que já existiu no universo e onde sempre havia reuniões para estipular, privilégios e leis. Todos os seres celestes eram dotados de grande sabedoria. Não se sabia o que era a morte e nem o erro, afinal ninguém jamais havia errado. E tudo era orquestrado por um único ser, um ser supremo e maestro das sinfonias celestiais, um Deus a quem todos os seres obedeciam. Hierarquias foram formadas para organizar o comando e obrigações das legiões celestes.
Mais no dado momento em que o ser supremo resolveu criar algo diferente de tudo que já havia feito (Os humanos) a paz universal desmoronou. O criador deu aos humanos todas as criações físicas que havia feito, inúmeros prazeres na vida e uma eternidade para conhecer e usufruir tudo aquilo. Disse aos humanos que deviam servir somente a ele e seguir suas leis para continuarem vivendo eternamente. Vendo isso varias perguntas passaram a martelar a mente de alguns servos celestiais como Muriel o Serafim que se questionou: Se todos nós temos grande sabedoria, porque só ele governa tudo? Se ele nos deu o livre arbítrio, porque temos que seguir leis ao invés de sermos livres para escolher o que fazer? Mas um anjo se destacou em meio aos outros e depois de observar tudo aquilo, concluiu que havia chegado a hora de todos os seres comandarem suas próprias vidas e causou uma grande revolução tanto na terra como céu. Seu nome era Jorel e por sua traição ao governo celestial ele ficou conhecido como Belial (sem valor).
- Por bilhões de anos estive observando... Só observando o universo em expansão. La está o mundo terreno perfeito, belo e iluminado por seu guardião. Tudo na mais sublime humildade e sujeição. Numa profunda escuridão eu dei início a uma revolução.
Não existe amor errado! Então é melhor se preparar para o futuro que irá surgir. A liberdade foi feita para ser usada. Tentaram interferir com as mudanças que irão chegar. Mas se estivermos unidos, por um mundo livre iremos lutar. Em um futuro que eu vislumbrei aqui mesmo nesse lugar... Não haverá mais ninguém para nos humilhar. Mas existem aqueles que prometem pras trevas não ceder jamais. Para eles, idéias e sonhos são reais e eu nem sei por quê? Você diz que um anjo mal eu serei, mas no final a liberdade eu te trarei.
Até mesmo entre o amor o mal às vezes surge para destruir. Então é melhor se preparar para o futuro que irá surgir. A tese do anjo mal vai cair. E ninguém irá interferir com as mudanças que virão e um dia eu poderei então mostrar a vocês o meu mundo ideal de viver. Um mundo de esplendor e prazer.

Um terço das miríades celestiais se juntou ao rebelde Jorel e formou-se um exercito do mal. Toda a paz e a amizade que havia no Céu e na Terra foram ameaçadas, assim começou a guerra nas sombras.
Mas ainda era apenas uma guerra política, com isso os rebeldes estavam sempre presentes nas reuniões celestiais, questionando o próprio Criador, questionando a lealdade de suas criações e se os homens serviam a Deus por interesse ou por amor. É claro que os rebeldes jamais questionariam o poder divino, todos sabiam quem era o mais poderoso, eles foram muito espertos nesse ponto e questionaram apenas se o Criador tinha realmente o direito de dizer o que era melhor para cada um. Afinal todos tinham grande conhecimento e experiência para governar a si mesmos.
As coisas já estavam encaminhadas para serem resolvidas novamente e a paz voltaria a reinar no universo.
Pelos menos era o que estava sendo dito aos seres celestes e terrenos. Não há necessidade de uma guerra só por que alguns discordam das leis estabelecidas, pois logo todos iram ver quem está errado e quem está certo nessa história e então tudo estará claro novamente.
Mas os rebeldes sabiam que a punição por traição é uma só, a morte e eles não estavam preparados para morrer. Decidiram então que se suas idéias estiverem erradas não iriam morrer sozinhos, levariam o máximo que pudessem com eles.
Para esses insurgentes, perder significa não só estar errado, mas, também perder a vida. Jorel procurou logo uma forma de manter os aliados que havia conseguido e fez uma promessa a todos eles:
- Eu prometo a todos vocês que eu lhes darei um reino! Um lugar onde todos vocês serão deuses. Ah! Se ao menos o amor que encobre o presente pudesse permanecer vividamente em meu coração.
Enterre a lâmina trêmula de sua espada em seus inimigos
Mesmo se o destino trouxer lágrimas para o fundo dos meus olhos
Os que sobreviverem irão eternamente se lembrar dos seus sacrifícios
Em um abismo escuro, espero pelo fim da luz
Me apoio nesse meu desejo que me pisoteia e o protejo com minhas mãos
Gentil como a água e eficaz como o fogo, lutaremos nas sombras
Não posso mais parar o fluxo do desejo que corre em mim
Prometo a vocês, mesmo quando estiverem caindo ao solo
Levando embora minha abatida fantasia
Mesmo se o destino nos trouxer uma escuridão
Irei vagar por dentro dela, junto a vocês, em um mundo onde todos seremos deuses.

Jorel está disposto a tudo para conseguir o que deseja, mesmo que isso signifique lançar todo o universo nas trevas. Ele é sem duvida um ser maligno. Mas há aqueles que desejam que a paz e a ordem voltem de imediato e isso ficou claro em uma das reuniões celestiais.


Durante uma das reuniões, Apolion um dos mais poderosos seres do universo (também conhecido como Abaddon o destruidor) tomou a frente em falar. Com calma ele se aproximou do grande trono e se curvou com o rosto para o chão e disse: Criador já chega de ouvir esses rebeldes insultar o senhor, permita-me executá-los agora mesmo e eu farei isso com prazer.
Ao ouvir isso todos começaram a perguntar uns aos outros: Isso é possível? Mesmo sendo um dos mais poderosos, será que ele consegue sozinho matar um terço dos Anjos do Céu? Ouviu-se um grande alvoroço em meio à reunião. Os rebeldes começaram a rir e disseram que Apolion estava apenas tentando ser o primeiro ser celestial a deixar de existir.
Mas o criador o advertiu que tudo deve ser feito no devido tempo, pois todos possuem livre arbítrio para falar durante a reunião e que além de rebeldes eles são seres dotados de grande inteligência tentando provar que suas idéias são melhores. E antes de receberem seu castigo, todos precisam ver que eles estão errados e que sem as leis e a ordem Divina o céu e a terra seriam uma anarquia.
Todos se acalmaram e a reunião prosseguiu normalmente.
E quando o Arcanjo Miguel desceu a terra para viver com os homens, e tentar convencê-los a apoiar o lado do Criador na grande questão universal, Jorel que sempre estava por ali viu uma ótima oportunidade de trazê-lo para o seu lado o desafiou: Quanto tempo irmãozinho, o que está fazendo aqui na terra, tão longe do seu protetor?

- Vivendo em outro mundo, e você sabe bem o que estou fazendo aqui e espero que não tenha se esquecido de que ainda tenho meu poder de Arcanjo, então não me provoque.

- O que vejo é um peixe fora d'água, ou melhor um puro sangue, puxando carroça por amor às causas perdidas. Posso até sentir seu coração perfeito batendo em vão, como isso dói em mim. Um sacrifício cada vez mais raro, vaidade que a terra um dia há de comer.

- Tudo bem se você pensa assim, eu vim consertar o problema que você causou. E você não pode me atrapalhar, para longe de mim, a nossa luta ainda não será agora. Sua hora está chegando Belial e eu serei o seu executor. Seja por amor às causas perdidas ou não, eu vou terminar o que vim fazer.
Assim cumprir o meu dever leal ao Criador Supremo.

Percebendo que não iria conseguir nada contra o poderoso Arcanjo, Belial se retirou, até que surgisse outra oportunidade.
Todos querem ser felizes agora e não depois.

Enquanto isso no mundo celestial...
Com o termino do sexto ano, iniciasse o ano sabático e no sábado à noite, na madrugada do primeiro domingo anual que é quando ocorrem às reuniões celestiais, Abdiel o Serafim, um dos principais generais das legiões do céu percebeu alguém se aproximando. Os Serafins são uma classe elevada e possuem seis grandes asas onde duas protegem sua face, duas protegem seu corpo e com duas eles voam velozmente como um raio.

O Serafim Abdiel disse: Eu tenho uma visita e parece que é algo de fora deste mundo e não tenho certeza se é um menino ou uma menina.
- Possui asas e traz algo que nem mesmo eu posso ver. Nunca se viu no mundo celestial uma criatura assim.
Antes que ele pudesse bater na porta do grande salão eu disse: Oi, seja lá o que você for... Entre.
Antes de entrar, tal abaixou a cabeça e sorriu, depois entrou.
- Confesso nunca ter visto uma criatura celeste tão pequena e frágil. Se vier em busca de redenção, não sou capaz de perdoar suas falhas.

A pequena criatura esboçou um sorriso estranho e me olhando friamente sem ao menos pestanejar disse: Mas eu perdoarei seus pecados Abdiel.
Estão todos em sua mente, mas são bem reais.
Aspergiu o Serafim com um liquido azul e disse “você está perdoado”.

- Uma voz suave como a brisa da manhã, a criatura fala como criança, mas eu sinto um grande poder nesse pequeno ser. Eu ia ser testado contra a minha vontade. Mas porque fazer o teste dessa forma?

A criaturinha andou vagarosamente até a porta e olhando de um lado para outro, como se estivesse vendo se havia alguém por perto, blasfemou algo nunca ouvido no mundo celestial: O mal vai deleitar-se sobre uma presa fácil hoje.
Para vocês, os bons não morrem, mas a verdade é que só os fortes sobrevivem.

- Han... Como eu não pude perceber... É Asrael sob falsas cores.
Você não pode me enganar, mesmo assumindo outra forma ou identidade falsa
Você pode esconder seu verdadeiro propósito e seja lá o que está trazendo consigo, mas mesmo fazendo densa sua mente, eu posso ver através de você.

Tomando novamente sua forma de Anjo, e surpreso por ter sido desmascarado Asrael disse: Você é mesmo poderoso Abdiel, mas na vida todos nós fazemos algo podre e hoje é a minha vez.
- Do lado de fora olhando para dentro descobriu quem sou, mas você não pode ver o que sinto.
Você acha que é imortal? Deve achar afinal nenhum anjo nunca morreu. Mas eu vou provar que tudo que veio a existir pode voltar à inexistência.

Abdiel puxou sua espada reluzente como cristal, se colocou em posição de combate e retrucou: O que você quer de mim? E como pretende me matar Asrael?

O Anjo cruel nem sequer encarou Abdiel quando disse: Acredito que eu possa absorver sua força, mas pra isso tenho que matá-lo.

- Mas eu não sou uma refeição e você não pode tirar-me a vida. Você conhece bem a hierarquia: Criador, Arcanjo, Serafins, Querubins e Anjos. E sendo um anjo você não tem autoridade e nem poder algum sobre mim, a não ser sobre o da sua própria classe.
O Serafim estava confiante de que não poderia ser jamais atingido fatalmente por um Anjo como aquele, e depois de ouvir tudo aquilo Havia chegado à conclusão de que devia aniquilá-lo.

Mas antes que pudesse fazer qualquer coisa o Anjo cruel lhe deu as costas em sinal de desprezo e disse: A alegria de viver despreocupado e ser um dos mais poderosos seres do universo vai lhe custar caro Abdiel, sua sabedoria que tudo pode ver não lhe disse o que eu trago aqui comigo não é mesmo?
Vigie suas costas em caso de um ataque de anjo
Prepare-se para descobrir o que é aflição
Você não pôde ver o que tenho aqui, por que está acima do seu poder. Enquanto todos se preparavam para a reunião celestial eu roubei uma das sete tigelas divinas cujo liquido eu aspergi em você quando entrei aqui.
Você conhece bem a ordem divina.
Evite os rebeldes.
Evite o príncipe das trevas, mas você me deixou entrar.
Você sabe muito bem que já perdeu essa luta, pois o liquido das tigelas foi feito para cumprir a vontade do seu portador e minha vontade é que você morra Abdiel.

Abdiel ficou estarrecido com tamanha crueldade. Jamais um anjo havia sido tão determinado a tirar a vida de um ser vivente.
O Serafim tentou lutar, mas não pôde se mover parecia que seu corpo estava congelado, o inimigo está ali, é só lhe executar, pois ele não tem poder o suficiente para uma luta, é só eu o executar, mas não posso me mover. Então pela primeira vez em toda a história dos anjos ele sentiu medo, frustração e aflição.

O sorridente Asrael vagarosamente puxou sua espada e traspassou o Serafim, levando-o a morte.
Com um sorriso estampado no rosto o anjo cruel se aproximou de Abdiel e indagou: Como é?
Nunca antes um anjo havia morrido, e o anjo cruel estava curioso a respeito do assunto. Como é o sentimento de estar deixando de existir aos poucos? Você pode sentir a morte pondo a mão sobre seus olhos? Vamos me diga velho irmão.
Mas Abdiel preferiu morrer em silencio. E quando Asrael estava pronto para tentar absorver o poder de sua vitima, sentiu outra presença na sala, virou-se rapidamente e para sua surpresa outro anjo estava em pé na porta o observando espantado com a cena que presenciou. Agora não havia outra saída a não ser lutar por sua própria vida.

- Eu escolhi o dia perfeito e a melhor hora para por meu plano em ação, e do nada aparece um maldito anjo para me atrapalhar. Eu vou ensiná-lo a se meter onde não devia. Ele será minha segunda vitima e também vou absorver a força de vida dele e ficar ainda mais forte.

- Se esse anjo contar o que viu aqui aos outro eu serei severamente castigado e morto.
Gabriel... Estou surpreso em vê-lo aqui, você deveria estar se preparando para a reunião celestial.

- Sim era o que eu estava fazendo até o Criador me pedir para vir aqui. Ele disse que uma grande força de vida retornou a ele e que esse poder era o que dava vida a Abdiel, me pediu para ver o que fora a causa e que...

Antes que Gabriel pudesse terminar o que estava falando, Asrael retirou a espada do ventre de Abdiel e o atacou ferozmente. Naquele momento, Gabriel pode ver nos olhos do anjo cruel o ódio e a frustração que o tinham dominado ao descobrir que todo o poder de vida da sua vitima havia voltado ao Criador e não poderia ser absorvido por nenhum outro ser.

Gabriel apanhou sua espada e rapidamente se defendeu. O encontro das laminas reluziu pelas paredes do grande salão e um estrondoso agudo soou como um eco em meio ao silencio do lugar onde as legiões de anjos comandadas por Abdiel se reuniam.
A luta entre os dois anjos tende a ser moral. Asrael não pode deixar que Gabriel conte aos outros que ele matou um Serafim e do outro lado Gabriel não pode deixar um assassino sair sem a devida punição.

Enquanto isso...
Longe dali, em um dos corredores que levam para a grande sala do trono, Muriel o poderoso Serafim caminha cabisbaixo, seus olhos vidram o reluzente piso azul celeste enquanto sua mente fervilha de perguntas cujas respostas ele só terá quando estiver de frente ao trono real. Mas logo teve seus pensamentos voltados a outra coisa, havia alguém voando em sua direção. E não se tratava de alguém que ele gostasse, era Belial o sem valor, anteriormente conhecido como Jorel.

- Muriel meu querido irmão, por favor, permita-me falar por um minuto apenas. Eu sei que não sou nada perto de você, mas, ouça-me, por favor. O Criador não está mais disposto a ouvir aqueles que procuram respostas, ele apenas escuta os que o querem bajular e servi-lo, por isso meu irmão peço que não o questione como da ultima vez, para que ele não se ire com você e o abomine como fez comigo.

- Você está louco Jorel, as perguntas não podem ficar sem respostas e o Criador não pode simplesmente deixar de nos ouvir, ele precisa nos dar uma chance de mostrar que também somos sábios e poderosos.

- Tudo bem meu irmão, mas tome cuidado, pois ouvi falar que nem mesmo os Serafins estão sendo tratados com respeito pelo Criador ultimamente. Lembre-se que quem está do seu lado e o apoiando em todos os momentos meu irmão.

Belial sabia que a grande maioria não estava disposta a ouvi-lo depois de tudo que ele havia feito e por isso precisava da oportunidade certa para falar. Mas primeiro deveria ser precedido por alguém de grande importância a quem todos ouviriam e esse alguém seria Muriel. Ele sabia que de um jeito ou de outro Muriel iria falar diante do grande trono, mas precisava mostrar que o apoiava e que não estava sozinho.

Longe dali a luta entre os dois Anjos é intensa, e a falta deles na grande reunião já começa a ser percebida, Gabriel sabe que se aguentar firme por mais algum tempo logo viram outros Anjos a procura dele e por outro lado Asrael tem pressa em matá-lo para que outros não descubram sua trama e mais tarde consiga uma fuga para a terra onde poderá se esconder entre os humanos.

E na grande sala do trono, todos se reúnem para tratar das leis e da ordem do mundo celestial.
Muriel se coloca em posição diante do trono real e volta a questionar: Criador porque o senhor insiste em achar que é o único ser no universo capaz de governar? Dê a nós uma chance e lhe mostraremos que somos capazes de governar sem tantas leis que às vezes atrapalham nossa liberdade.

Mas o criador apenas esboça um pequeno sorriso e permanece em silencio.

Vendo isso Azarel se recorda do que Belial havia lhe dito sobre o Criador não respeitar nem mesmo os Serafins e fica indignado, se levanta e caminha na direção do trono. Você nem sequer está disposto a me responder? Que tipo de pai, que se diz amoroso, deixa de dar atenção ás palavras do filho?

E como num piscar de olhos o Serafim se vê diante da lamina flamejante de Misael o Querubim. Os Querubins são criaturas angélicas de quatro faces e quatro asas. Cada face representa um animal e respectivamente uma qualidade: A face de homem representa seu amor, a face de touro representa sua força, a de leão representa coragem e a de águia representa a visão. Suas quatro asas estão cheias de olhos mostrando assim que não há nada que não possam ver. Eles têm o propósito de louvar o Criador e defender a soberania universal. Quatro Querubins guardam o trono real o tempo todo.
E com grande indignação o Querubim apresenta sua face de Leão e sua voz pôde ser ouvida em todo o salão real como um estrondoso rugido: É melhor você parar ai mesmo Azarel, ninguém se aproxima do trono sem ser convidado. O Querubim prosseguiu dizendo o Criador permaneceu calado por que a resposta é obvia, todos já estão tendo uma chance de criar suas próprias leis, do contrario vocês já estariam todos mortos. Agora se afaste ou terei que executá-lo.

Muriel é mais poderoso que Misael, mas uma luta diante do trono real não seria tolerada pelo Criador. Muriel se afasta e a reunião prossegue.

Dava pra ver o sorriso no rosto de Belial de longe. A rebelião que ele causou havia chegado a um nível que nem ele acreditou. A essa altura ele já havia mudado seus planos, não queria somente estar livre das leis Divinas, ele queria o trono real e para isso precisava trazer mais anjos para o seu lado.

Enquanto isso, em uma sala longe dali, Gabriel luta ferozmente contra Asrael. Ambos já estão esgotados e feridos, a luta parece interminável até que outro anjo aparece. Joel fica por alguns segundos apenas observando e ainda sem entender o que está acontecendo. Gabriel se vê aliviado por ter chegado ajuda e Asrael pensativo quanto ao que fazer. Joel diz: Gabriel, o Criador me pediu para vir ver por que você demora tanto em voltar. Mas diante do que vejo acho que é melhor apanhar minha espada antes de perguntar qualquer coisa.
Asrael rapidamente grita: Cuidado Joel, eu também vim aqui para ver o que ele estava fazendo e o vi tirando a vida de Abdiel, olhe ali e verá uma das sete tigelas divinas que ele usou para matá-lo.

Gabriel retruca: É mentira, foi ele que matou o Serafim e está tentando me matar também.

- Calma meus irmãos, só tem um jeito de resolvermos isso, vamos todos para a sala do trono.
Não havia alternativa para Asrael ele estava exausto demais para lutar contra dois Anjos, então resolveu tentar a sorte e culpar Gabriel pelo assassinato do Serafim.
E na sala do trono em meio aos olhares de indignação de todos os seres celestiais, os dois apresentaram suas versões do que havia acontecido. O Criador apenas perguntou: Porque você fez isso Asrael?
Por essa ele não esperava, não há nenhuma mentira que possa enganar o criador.

Antes que ele pudesse responder, Belial tomou a frente e defendeu o anjo cruel: Ele apenas queria viver, assim como todos nós. Qual de vocês sabendo que irá morrer ficaria de braços cruzados? Todos sabem que Abdiel assim como Apolion, queria matar os anjos que estão lutando pela liberdade e Asrael apenas se defendeu da ameaça a sua vida. Querer continuar vivo não é um crime é um desejo de todos nós.

Eu quero ver a lealdade de vocês quando seus irmãos começarem a cair e nosso fim chegar mais cedo e vocês verem nosso corpo em chamas, e sentirem pena de nós, vocês também serão penalizados por isso, me digam pra onde vão fugir.

Se quiser ser livre for crueldade. Como um anjo cruel, eu me tornarei uma lenda eterna!
Mesmo se o vento azul bater na porta de seu coração espero que vocês sorrindo apenas me sigam, e no momento em que seus olhos doloridos verem algo que desejem, vocês terão.

Mas algum dia eu sei que vão perceber como será o futuro distante, e que nas suas costas há asas. Essas asas são mais do que instrumentos de vôo, elas são a sua liberdade.
A tese de um anjo cruel logo irá cair.

Queimando com emoções quentes sem trair suas memórias
Abrace o céu brilhante, irmãos tornem-se uma lenda
Enquanto estão dormindo no berço do seu amor
O mensageiro dos sonhos chama por vocês e quando a manhã chegar
O sol vai refletir sua dependência eterna
Pare todo o tempo do mundo! Quero manter esse momento
Se o nosso encontro tem um significado.

Devo seguir meu coração para entender a liberdade
Com a tese de um anjo cruel a dor começa, mas quando você acorda do sonho, venha abraçar a vida. Não importa quem libera a luz.

Enquanto as pessoas querem amor, elas fazem a história que nunca vai mudar
Com a bondade que nunca muda, mas se querem mudar, vivam como um anjo cruel queimando com emoções quentes.

Depois do longo discurso Belial se retirou da sala de reunião, Asrael aliviado por ainda estar vivo o segue rapidamente e aos poucos todos os anjos que tinham dúvidas sobre a legitimidade do governo celestial foram se retirando para seguir o anjo cruel. Agora Belial havia conseguido um numero de aliados o suficiente para uma batalha sem precedentes.
Mas ter deixado o lado do bem é uma coisa e tentar tomar o trono seria outra coisa. Será que todos aceitariam o desafio mortal de lutar contra os seres mais poderosos do universo?

Belial tratou rapidamente de fazer uma reunião com os seus, e o lugar para a reunião foi a terra. O lugar perfeito para que os anjos pudessem observar de perto a miséria e fome e com isso culpar o Criador por tudo que viam. Belial realmente é um mestre na arte de manipular.
Enquanto observavam os humanos e decidiam o rumo que iriam tomar uma decisão final foi aceita com aplausos e toque de trombetas. GUERRA.

Enquanto afiavam suas espadas e preparavam seus arcos e flechas, todos juntos entoavam um canto terrível de guerra. Em toda a terra os humanos ficaram aterrorizados com o terrível canto que os quatro ventos traziam:

Eles são a caça e nós os caçadores!
Só há pobreza! Pobreza, mas nós somos os caçadores!
Só há pânico! Pânico, não se esqueça que somos os caçadores!

Ninguém se lembra dos nomes das flores esmagadas
Pássaros caídos esperam o próximo vento para tentar novamente
Achou que tinha rezado, mas isso não irá adiantar
Apenas aqueles que podem lutar podem mudar nosso mundo

Andando em meio a cadáveres, nós marchamos em frente, porcos rindo da nossa vontade de liberdade
Vivendo com uma prosperidade falsa como gado, nós deveríamos agarrar nossa liberdade como lobos famintos!

Responda a humilhação com flechas de retaliação
No lado distante da proteção, a presa é morta pelo caçador
Como nossos corpos queimando de um transbordante desejo
Uma espada reluzente. Uma flecha flamejante
Voa vindo do escarlate crepúsculo!

Pego meu arco, sigo minha presa, não vou deixá-la fugir
Armo meu arco, chego mais perto, não vou deixá-la fugir
Estendo o arco até seu limite, o fio quase arrebentando
E o solto, de novo e de novo, até que a presa dê o último suspiro

O que mata o alvo não são suas armas
Nem suas habilidades com elas
Mas sua própria vontade incessante de matar

Aqueles que tem esperança de mudar tudo
São aqueles que são capazes de sacrificar qualquer coisa
Se você foge de todos os riscos, como você espera atingir alguma coisa?

Suposições tolas... Elas não passam de fantasias... Podemos agir agora, mesmo sem coragem
Os soldados da liberdade avançam... Apostando na ofensiva
Vitória aos escravos humilhados!
 
Toda essa força absurda dentro de nós é nossa vontade de vencer
Privado de seu horizonte, um mundo anseia pela liberdade
Com grande instinto assassino percorrendo seu corpo, não pode haver luz sem escuridão
Com sua flecha do submundo que voa no escarlate crepúsculo!


Biografia:
Finjo tão bem sentir uma dor que chego a sentir a dor que deveras finjo.
Número de vezes que este texto foi lido: 167


Outros títulos do mesmo autor

Poesias EU Francisco Canindé Sousa Soares
Poesias Pensamentos Perfeitos Francisco Canindé Sousa Soares
Poesias O mundo Francisco Canindé Sousa Soares
Crônicas Ambíguo Francisco Canindé Sousa Soares
Poesias A Tempestade Francisco Canindé Sousa Soares
Poesias O sonho da borboleta Francisco Canindé Sousa Soares
Crônicas Súplica dos derrotados Francisco Canindé Sousa Soares
Crônicas Crônicas celestiais I Francisco Canindé Sousa Soares
Artigos A CIÊNCIA POR TRÁS DO GÊNESIS Francisco Canindé Sousa Soares
Contos O jardineiro das flores mortas Francisco Canindé Sousa Soares


Publicações de número 1 até 10 de um total de 10.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 55563 Visitas
A Arte De Se Apaixonar - André Henrique Silva 52848 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 39198 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 34066 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 33286 Visitas
Amores! - 32781 Visitas
Desabafo - 32381 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 31608 Visitas
Faça alguém feliz - 31260 Visitas
Minha namorada - Jose Andrade de Souza 31043 Visitas

Páginas: Próxima Última