Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Grifo-de-ruppel
Matilde Diesel Borille

Menino,
astuto e livre dentro,
como lhe contou o vento, viu,
em plena noite um homem ir
buscar coragem pra salvar
a totalidade de seu eu.
Os sapatos, ainda não nos pés;
nas mãos, nenhuma luva a limitar,
tentou com o dedo indicador, colocar
no chão um avião.
Um Grifo-de-ruppell se elevou no céu.
Que espetáculo! Ave voadora, plumagem completa, não fica em Acácia não.
E se foi, o meu amigo mais íntimo,
no lombo do Mimo alazão,
pulando o risco de giz,
rompendo a dura corrente do destino. Sonhar é preciso, e é o que se quer.
E nascia o sol, e punha-se o sol,
e voltava ao seu esconderijo,
de onde surgia.
E o vento ia para o sul
e fazia o seu giro para o norte, perenemente ia circulando o vento,
e retornava fazendo os seus intentos.
E a capa espanhola do garoto
que podia voar fluia ao vento mar.
No sol, no céu, no ar,
não tinha onde agarrar-se,
não tinha onde firmar-se. Coragem!
E a face da liberdade a cada novo amanhecer refletia um brilho diferente: transparente abaixo do sol,
transparente na claridade da lua.
Daria meus olhos para ver,
a mirar-se no espelho d'água, o belo ser.
O que foi, coração, o que foi?
Uma lágrima?
Nada não.
Do pensamento são fluiu uma ternura, clamando por introspecção e partilha.
Sim! A verdadeira liberdade é sentir-se por inteiro.
Consciente de si mesmo em sua inteireza, voltou a ser de repente, no lombo do alazão a encarnação de todas as coisas puras.
Que momento mais singular!
Sê corajoso, menino querubim: porta-te como um homem diante do Deus que quis ser menino.


Biografia:
Número de vezes que este texto foi lido: 1386


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Notas de coração de flor Matilde Diesel Borille
Poesias Enigma transcendente Matilde Diesel Borille
Poesias Absolutamente em amor Matilde Diesel Borille
Poesias Mulher em flores azuis Matilde Diesel Borille
Infantil O que há lá fora vovô? Matilde Diesel Borille
Poesias Fios de sóis Matilde Diesel Borille
Infantil Sentimento de criança Matilde Diesel Borille
Poesias Além do verde dourado Matilde Diesel Borille

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 61 até 68 de um total de 68.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
Arqueologia Pop – Blood Crystals - Caliel Alves dos Santos 4 Visitas
EX-ESCRAVO DA SOLIDÃO - Alexsandre Soares de Lima 4 Visitas
A Felicidade - Igor Pereira De Paula Costa 4 Visitas
Oponente - Hélder dos Santos da Glória Duarte 3 Visitas
Conectado - Derlânio Alves de Sousa 3 Visitas
Leblon e Vila Madalena - Rafael da Silva Claro 3 Visitas
A POESIA QUE FALA DA RECONSTRUÇÃO - Alexsandre Soares de Lima 2 Visitas
O GRANDE SONHO - Alexsandre Soares de Lima 2 Visitas
Nosso Legado - Derlânio Alves de Sousa 2 Visitas
A SOMBRA DE CADA UM - SUELI COUTO ROSA 0 Visitas

Páginas: Primeira Anterior