Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Cantos do Pássaro Encantado - impressões pessoais
Flora Fernweh

O livro é apaixonante de uma forma que faz jus à temática principal: o amor em todas as suas fases e estações, desde o deleite primeiro da paixão até o término sofrido ou até o simples fim que se esvai, quando o sentimento não se eterniza. É interessante o quanto a morte se faz presente quando se fala em amor, sendo ela o combustível da paixão. A escrita simples de Rubem Alves, mas que mergulha na profundidade da palavra, ecoa uma prosa poética que prende o leitor do início ao fim, como um convite ao amor que alude a grandes histórias de amor da literatura mundial, como Abelardo e Heloísa, e a exímios pensadores que se debruçaram sobre o nobre sentimento de amar. Diversas referências literárias mencionadas pelo autor são apresentadas, como meio de comparação entre as épocas no ofício da contemplação amorosa. Por exemplo, a alusão ao Amor nos Tempos do Cólera, de García Márquez, meu amado escritor. Como se não bastasse, o autor deixa claro sua admiração pela tecitura das relações românticas tão bem exploradas na obra A Insustentável Leveza do Ser, que aliás, é um dos meus livros estrangeiros favoritos. Fiquei impressionada ao descobrir essas surpresas que tanto agregaram a esse singelo livro e que contribuíram para a construção dos contos e para a própria concepção de amor, que de certa forma, guiou o olhar do escritor. Recomendo a leitura fortemente, principalmente àqueles que são propensos ao amor, aos que têm um coração poeta, aos que leem pelas sensações que um livro provoca, e claro, aos eternos apaixonados que sempre mantêm a chama acesa em seus corações.


Biografia:
Sobre minha pessoa, pouco sei, mas posso dizer que sou aquela que na vida anda só, que faz da escrita sua amante, que desvenda as veredas mais profundas do deserto que nela existe, que transborda suas paixões do modo mais feroz, que nunca está em lugar algum, mas que jamais deixará de ser um mistério a ser desvendado pelas ventanias. 
Número de vezes que este texto foi lido: 52893


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Literatura feminina Flora Fernweh
Sonetos Ah mar (ço) Flora Fernweh
Crônicas Temor à técnica Flora Fernweh
Crônicas Bissextagem Flora Fernweh
Crônicas Textos ruins Flora Fernweh
Contos Um gato na campina Flora Fernweh
Crônicas Crônicas de Moacyr Scliar - impressões pessoais Flora Fernweh
Artigos Exílio, de Lya Luft - impressões pessoais Flora Fernweh
Poesias Confins de janeiro Flora Fernweh
Crônicas Crítica ao fluxo de consciência Flora Fernweh

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 383.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
JASMIM - evandro baptista de araujo 69081 Visitas
ANOITECIMENTOS - Edmir Carvalho 57979 Visitas
Contraportada de la novela Obscuro sueño de Jesús - udonge 57635 Visitas
Camden: O Avivamento Que Mudou O Movimento Evangélico - Eliel dos santos silva 55908 Visitas
URBE - Darwin Ferraretto 55226 Visitas
Entrevista com Larissa Gomes – autora de Cidadolls - Caliel Alves dos Santos 55209 Visitas
Caçando demónios por aí - Caliel Alves dos Santos 55088 Visitas
Sobrenatural: A Vida de William Branham - Owen Jorgensen 54963 Visitas
ENCONTRO DE ALMAS GENTIS - Eliana da Silva 54957 Visitas
Coisas - Rogério Freitas 54947 Visitas

Páginas: Próxima Última