Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
a historia de que me lembro
continuação
cristina

Simplesmente não sei onde parei a narrativa tentei ler mas achei tudo muito confuso. Assim narrarei fatos aleatórios conforme surgirem em minhas lembranças. Certa vez estava eu em uma aldeia no baixo xingú. Havia um clima muito pesado de uma guerra que se aproximava. Fiquei na minha seuindo com a vida mas percebia as reuniões, entendia parte do que falavam exaltados e nervosos. Havi uma rixa com um fazendeiro que fazia divisa com a aldeia, e essa fazenda ficava dentro de uma terra sagrada para os indios. Cansados de pedir a reitegração das terras, resolveram invadir a fazenda. Concordo, foi um massacre. Os indigenas chegaram na fazenda de madrugada e mataram aluns trabalhadores, inclusive um rapaz. Estavam nervosos corriam pela aldeia gritando e entoando canticos de guerra. E la estava eu com meu filho de 3 ou 4 anos. Fiquei tranquila, talvez com um pouco de medo. Mas eles eram minha familia e eu meio que sabia que não me fariam nada
Foi quando começou a chegar vaios aviões da Funai com servidores para tentar o diálogo. Eu achei um pouco engraçado pois áquela altura a única negociaçã que eles queriam e depois conseguiram era as terras sagradas. Bem a negociação começou tensa e logo um deles me chamou no canto e disse que eu seria presa junto com os outros servidore, mas que nada fariam comigo. Fomos colocados numa casa e retidos ali. Meu filho ficou solto e as mulheres ficaram com ele. Logo chegaram aeronaves com os repórteres. Para mostrar força e intimidar os indios todos armados com bordunas, arcos e flexas partiram para cima dos jornalistas aos gritos nisso meu filho vem na casinha e pela fresta fala comigo: Mamãe vou matr jornalista. ele estava pintado de jenipapo com um arquinho e flexa nas mãos. Não sei se ria ou chorava. E la se foi ele junto com as outras crianças. Foi uma situação muito tensa. Mas depois de horas com a promessa das terras tudo se acalmou. Um dos funcionários da Funai apanhou e isso foi duro de ver. Hoje em dia essas terras da fazenda são deles e ali se formou uma das mais fortes aldeia Caiapó.


Biografia:
a historia que me lembro
Número de vezes que este texto foi lido: 53129


Outros títulos do mesmo autor

Monografias a historia de que me lembro cristina
Monografias a historia de que me lembro cristina
Monografias a historia de que me lembro cristina
Monografias a historia de que me lembro cristina
Monografias a historia de que me lembro cristina
Monografias a historia de que me lembro cristina
Poesias a historia de que me lembro cristina
Poesias a historia de que me lembro cristina
Monografias a historia de que me lembro cristina
Monografias a historia de que me lembro cristina

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 11 até 20 de um total de 20.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
Coisas - Rogério Freitas 54631 Visitas
1 centavo - Roni Fernandes 54569 Visitas
frase 935 - Anderson C. D. de Oliveira 54557 Visitas
Ano Novo com energias renovadas - Isnar Amaral 54354 Visitas
NÃO FIQUE - Gabriel Groke 54308 Visitas
Na caminhada do amor e da caridade - Rosângela Barbosa de Souza 54289 Visitas
saudades de chorar - Rônaldy Lemos 54258 Visitas
PARA ONDE FORAM OS ESPÍRITOS DOS DINOSSAUROS? - Henrique Pompilio de Araujo 54184 Visitas
Jazz (ou Música e Tomates) - Sérgio Vale 54048 Visitas
Depressivo - PauloRockCesar 54008 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última