Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Retalhos do amor
Dylla Vicente

“só eu, só eu amei o amor de meus enganos.”
(Edgar Allan Poe)


Foi sob uma noite sem estrelas d'uma escuridão... que me prostrei aos teus clarões.
Destinei todo o meu destino, todo o meu vício... Era uma noite embriagada pelos castos amores de verão. Fora ali; naquela infinda noite, que um dia me prometera amor eterno...
O céu estava banhado pelos sentimentos entusiasmados de tê-lo para sempre junto de mim. Por ti suspirei todos os mais puros amores - Estava morrendo daquela deplorável loucura... Os segundos se bordavam tremulamente por cada batida de meu coração; os minutos estavam lá, assegurando-me contra o chão. As horas pulsavam freneticamente pela tua ausência dentro de mim, pelo medo de não voltar, pelo medo de permanecer ali; inerte, sob o negro lençol d´uma escuridão sem luar...
Doía-me a cada batida, amava-te tanto... Soluçava, desfalecia-me por cada sussurro cálido do coração. Fora naquela noite, donde perdidamente adormeci sob a plumagem da solidão...
Por ama-te silenciosamente, um dia deixei morrer todas as esperanças de viver junto a ti; amava-te pelos vagos dias, amava-te pelo medo de não amar-me como deveria.
Talvez fosse preciso odiar para somente entender o que era amar-te vagarosamente... Era preciso contar ao amor que ele não passava de uma singela mentira?!

Tornava-se dia, o sol brilhava com toda a sua glória, com todo o seu engabelamento!

Estava morrendo daquela loucura doentia. Suplicava a imperfeita audácia d’alegria, quando somente de languidez meu coração bebia.
Amanhecia... Escurecia. Domada por aquela dor superna, tão só morria...

Adormeci findando-o dentro de mim.
Fora nessa manhã fria, que, rente ao mar, tua voz ressoava perdidamente aos meus ouvidos, estava meu corpo vaga lume a luzir por entre tuas asas pálidas. E, todavia, não fora o amor a pousar pelas minhas frágeis lágrimas.

Tu... cerravas os lábios para me dizer:

Oi.

Sinto muito.

Eu não amo você.



12. 11. 2011


Biografia:
Dylla Vicente, 26 anos, amante de poesia e literatura brasileira. Estudante de letras, escreve poesia, prosa poética e crônicas.
Número de vezes que este texto foi lido: 28486


Outros títulos do mesmo autor

Poesias NOTAS DO CORAÇÃO Dylla Vicente
Contos Retalhos do amor Dylla Vicente
Poesias Noite Dylla Vicente


Publicações de número 1 até 3 de um total de 3.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 30189 Visitas
eu sei quem sou - 30102 Visitas
sei quem sou? - 30087 Visitas
viramundo vai a frança - 30069 Visitas
PSICOLOGIA E DIREITO - Francisco carlos de aguiar neto 30036 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 30034 Visitas
MENINA - 30019 Visitas
camaro amarelo - 30014 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 29982 Visitas
O que e um poema Sinetrico? - 29973 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última