Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Um quase amor
Flora Fernweh

Poderíamos ter sido incríveis juntos
Eu era radiante em minha solitude, você era completo sem ninguém ao seu lado
Por pouco não fomos duas peças encaixadas
Éramos tão bons que até contrariamos a sina
E contraímos uma paixão mútua em segredo
Feita de sonhos, interrogações, receio e conversas despretensiosas
Não aceitaríamos os fatos nem carregaríamos os fardos do amor
Nosso intelecto já estava ocupado demais
Resolvemos desobedecer e pregar uma peça na vida
Fugimos do nó que se formou para nunca mais ser desfeito
Fingimos que nossos caminhos não se cruzaram
Já esquecemos que o acaso nos apresentou antes do cumprimento formal
e da amizade que poderia ter nascido
se não fosse pela possibilidade de se transformar em paixão fulminante
Sua singularidade me comove, sua cognição me espanta e causa curiosidade
É pela sua essência que fico maravilhada, pelo seu engajamento e planos de vida
Enquanto contemplavas minha mão, somente a paisagem na janela tinha meu interesse
Enquanto a segurava em uma chance única, eu disfarçava o meu querer
A verdade é que eu sempre quis te encantar e provocar um êxtase de admiração
Seu olhar já me revelou muito mais do que podes imaginar
E tanto descobri ao observar suas atitudes e pequenos atos de coragem ao se dirigir a mim
Três vezes te abracei, assim como foram três os anos de nossa convivência
No primeiro abraço, senti uma alegria em tom de triunfo e parceria
No segundo, senti um anúncio da saudade, mas se dissiparia com um reencontro
No terceiro, senti o peso do não-dito, o abatimento do inexprimível
a certeza de que compartilhávamos um silêncio, e que assim seria para sempre
Suavizado apenas pela distância e pela esperança do esquecimento
Em todo caso, nos livramos de um fim trágico
Porque embora não parecesse, éramos tão intensos em nossas profundezas
Tendo na música uma afinidade comum, um portal de união
E na busca pelo conhecimento e pela altivez do espírito, um amor recíproco
Refletido no mundo de nossas ideias e longe da sensibilidade que buscávamos calados
Leia as últimas palavras enternecidas que te escrevi
Como uma tentativa de transparecer a verdade como uma fagulha em seu coração
Espero que estejas feliz no Rio de Janeiro, sei que é apenas seu primeiro passo no mundo
Eu ainda mergulho nos mares de dezembro, logo também trilharei meu rumo tão querido
Esteja certo de minha alegria pelas impressões inapagáveis que deixaste em minha jornada
Mas
Se for para ser, não adianta fugirmos
Talvez apenas adiamos
O destino não nos poupará
Se for para ser, ainda será
Essa é a certeza e é o mistério

Para: PASVK


Biografia:
Sobre minha pessoa, pouco sei, mas posso dizer que sou aquela que na vida anda só, que faz da escrita sua amante, que desvenda as veredas mais profundas do deserto que nela existe, que transborda suas paixões do modo mais feroz, que nunca está em lugar algum, mas que jamais deixará de ser um mistério a ser desvendado pelas ventanias. 
Número de vezes que este texto foi lido: 53064


Outros títulos do mesmo autor

Sonetos Lágrimas em minha janela Flora Fernweh
Contos Homens da Noite Flora Fernweh
Poesias Rio de Janeiro Flora Fernweh
Poesias Me procuro Flora Fernweh
Poesias Definição de amor Flora Fernweh
Resenhas O barco das crianças - impressões pessoais Flora Fernweh
Resenhas Arte como terapia - impressões pessoais Flora Fernweh
Resenhas O profeta, de Khalil Gibran - impressões pessoais Flora Fernweh
Resenhas As coisas que você só vê quando desacelera- impressões Flora Fernweh
Resenhas O império e os novos bárbaros - impressões pessoais Flora Fernweh

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 11 até 20 de um total de 383.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
1 centavo - Roni Fernandes 54795 Visitas
O TEMPO QUE MOVE A ALMA - Leonardo de Souza Dutra 54791 Visitas
frase 935 - Anderson C. D. de Oliveira 54651 Visitas
Ano Novo com energias renovadas - Isnar Amaral 54550 Visitas
Amores! - 54513 Visitas
NÃO FIQUE - Gabriel Groke 54502 Visitas
Na caminhada do amor e da caridade - Rosângela Barbosa de Souza 54495 Visitas
saudades de chorar - Rônaldy Lemos 54451 Visitas
Jazz (ou Música e Tomates) - Sérgio Vale 54402 Visitas
PARA ONDE FORAM OS ESPÍRITOS DOS DINOSSAUROS? - Henrique Pompilio de Araujo 54381 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última