Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Rei das Sombras
Origem
Lorde Raveno

Resumo:
Passando por um passado obscuro, Lorde Raveno (Landerson Henrique) transita por uma história por qual tem que superar seus medos, depressão e lidar com preconceitos, e redescobrindo-se.

A vez que a Diane recebeu agressões de seu companheiro, até mesmo na barriga, mostrava seu passado injusto e assombroso. Ela estava gravida á uns meses. Como tinha vicio em cigarro e bebia, aos 5 meses e meio de gestação - numa noite gélida em um hospital particular e com velho cheiro de medicamentos, química de limpeza mesclada a fedores - nasceu um ser minúsculo que cabia na palma da mão, em 14 de Setembro de 1997. Pelo que os médicos achavam, este bebê não sobreviveria apesar de suas relutâncias. No entanto, o pequenino que transparecia até os órgãos aguentou, e os responsáveis ali acharam o caso um milagre.

Landerson Henrique, este pequenino não teve uma vida muito agradável. Estranhavam gestos e comportamentos antissociais dele. Com 2 anos de idade constatou-se que era do TEA (Os transtornos do espectro autista/ desordens do espectro autista (DEA) ou condições do espectro autista (CEA) variedade de transtornos mentais do tipo neuro-desenvolvimento que afetam muito a parte sensorial do cérebro), com autismo nos 75%, e teve ajuda de uma psicóloga. Ainda criança viu seu pai de sangue, Ismael, agredir sua mãe até sangrar feio, o que o daria medo de sangue.

Logo após um tempo, Diane fugiu de seu companheiro traficante e designer de armas do estado o qual estão, em Teresina - Piauí (PI). Saiu com roupa do corpo e seus filhos que estavam sendo praticamente escondidos dela por sua própria mãe que a humilhava e achavam que seu companheiro não a estuprou e que ela mesma dizia mentiras e era puta, mas alguns conhecidos e outros parentes não acreditavam e seu primo, Diogo a ajudou nessa aventura dando roupas, dinheiro e coisas. E assim foi-se com apenas dois filhos - a primogênita e o Henrique. A casula responsabilizaram a outros. Ismael sequer aceitava Henrique como seu legitimo filho, mas como pai não era terrível. Mas com sua companheira dava até tiros e ameaças a modo de a subordinar e a sujeitar a sua predominância abusiva e feminicida. Como se já não bastasse o passado assombroso dessa mulher com entidades e molestamentos.

Algumas noites, Henrique tinha pesadelos, e tanto dentro e fora dos sonhos - de dia ou noite - via seres obscuros. E pelo que não consta, SOREM não o acometia, pois tais coisas boas ou ruins tinham haver com seu mistério com o sobrenatural.

As outras crianças zombavam dele ou o ignoravam, e apenas algumas brincavam com ele e poucas viravam seus colegas e raramente um amigo. Certo dia o deixaram preso em um buraco durante um sereno, e nunca mais quis ficar perto demais de qualquer um, a não ser de quem confiasse. Na escola e lugares subia muros e nunca gostava de ficar se sentindo preso. Havia um motivo..

Com 4 anos de idade atravessou a avenida a noite brincando com colegas e sua outra irmã, e ali mesmo foi barroado de leve, mas o suficiente para quebrar uma clavícula e o desmaiar, e depois merecer uma surra, no entanto, todavia a vizinha interveu e exclamou que mesmo pelo que não parecia no gesso, era claro para ela o perigo de agressão com o braço do garoto nessas condições. Eram casas pobres e um cenário seco, com lago podre e recheado de jacarés, e ali sem asfalto corria livre, leve e solto. Crianças eram salientes, e sua curiosidade ardente, porém teve relações com outra criança, porém o de menos se comparado ao pesadelo que viveu...

Tinha um coleguinha em outra vizinhança onde morava em condições melhores. Seu amiguinho era ao lado de sua casa. De vez em quando o pai e mãe do colega cuidavam dele, pois Diane costumava "se matar" de trabalho pro sustento de seus filhos e dela mesma, isso significava dias a fins exaustivos. Porém, o pai dessa outra criança abusava de seu próprio filho e depois de Henrique. Lá ele tinha até maltratos e grosserias que com seu autismo só o deixavam mais ansioso e aflito. A casa era murada, e ver aquele portão do carro e entrada o davam ainda mais angústia por querer sair dali mas sempre ficar preso, e só sair quando permitissem.

Certa noite, o pai da outra criança o levou de carro até uma rua distante e escura. Henrique pedia sua mãe e começou a chorar, e aquele mesmo cara chorou levemente com suas mãos no rolante, e decidiu que deixaria o menino sozinho naquele lugar.

Henrique andou e andou procurando coisas familiares e atalhos que já conhecia por explorar as redondezas, até então conseguir voltar pra casa. Depois de tudo sua mãe partiu pra agressão e ferrou com o homem, suscintamente falando. E Henrique passou a se consultar outras vezes com aquela psicóloga.

Em um shopping da época ainda em Teresina, já tinha tido contato com Nintendo, mas seu amor por jogos eletrônicos veio mesmo com um Fliperama de Street Fighter. Uns dos seus momentos mais felizes da vida.

Em 200 viajou para Raposa, cidade da Ilha de São Luís, Maranhão. Por bom tempo cresceu, e por várias fases sofreu bullying comumente, aprendeu coisas novas e demonstrou talento para a arte. Eletrocutou-se por um tempinho atrás de um gato debaixo de uma geladeira velha na residência de sua bisavó, quase morreu no tempo da fita casete. Por ali sua seu lar ainda foi alvo de arromabamente e roubo, sortudamente estava longe pouco depois ue fugissem dali, daquela casa de barro e palha rodeado de matos e árvores. Em 2010 começou com computador Desktop. em 2012 se apegou a sua primeira melhor banda fanboy, Linkin Park. Passou do écletico para o rock e metal. Viveu sobre a sombra da vergonha por sentimentos gays enquanto crescia em uma família cristã, que já tinha outro pai que de fato valorizava tudo à um bom tempo.

Com o tempo superou suas experiências com o sobrenatural e experiências testemunhas de possessões hardcore, pois temia mais a relação com seus sonhos: aparentes povo das sombras que o arrastavam sempre pra um buraco negro ou escuridão, além de bichos contorcidos de alguma vez que disseram coisas estranhas até um outro Eu que se tornou seu demônio abissal dos estilhaços de um espelho a luz do dia e ser iluminado que o puxou com o outro feito cabo de guerra, posteriormente á planos e sinais, senão qualquer coisa que preferia jurar que não era real. Isso o fez perder seu medo tremendo, e com o tempo aprendeu a gostar de coisas que pra ele, isso era mais algumas de suas histórias de terror.

Soube com o tempo manter-se a seus caprichos de esconder muita coisa que sabia. Sempre achou religiões e igrejas que frequentava duvidosas. Com todo ódio e indignações algumas vezes sucumbiu ao satanismo dualista.

Com o passar do tempo seu apetite por conhecimentos diversos o levou a também querer procurar coisas sobre o ocultismo, magismo e bruxaria. Por outro lado tinha tantos outros hobbies e inclinações. Era ligado a arte, tecnologia e ciência. Começou desde jovem a mexer com hacking, depois programação, e começou a explorar suas habilidades corporais e intelectuais como pintura, esculturas, escrita, musica, e a aprimorar seu alento para desenho, entre mais.

2017 foi o ano que se assumiu gay, posterior 2014 que fugiu de casa se assumindo "Bissexual" e com direito a despedida por cata dramática para por fim decidir se queria ou não cometer suicídio.

Por X motivos, o jovem sofria de depressões e maiorias das vezes preferia se isolar. Nada o impediu de arrumar amizades e entrar em grupos e ter por parte sua vida comum, e nada o impediu de inimigos também tal como passar por preconceitos e até apedrejamento por crianças que só o julgavam esquisito por ser duro e na dele, e que costumava ser o de cabelo grande, que poucos entediam um terço ao menos do que dizia e gaguejava. Após seus 18 anos de idade que caiu a fixa que era autista. Após anos hipocritamente cristão e afastado da religiosidade cristã, admitiu seus outros ideias e crenças gradativamente. Toda sua timidez, todos os seus medos e incertezas até seus pesares e foram sumindo, e filosofando não houve mais espaço pra um vazio.

Apesar de uma menina tê-lo roubado um beijo no colegial, nem garotos e nem meninas tinha relações até 2017 quando flertou, se "prostitui" e virou galinha com homens.

Trabalhou com suor e mais vezes com serviços ligados a gastronomia e culinária. Ganhou com arte alguma boa dignidade. Suas oportunidades de crescer e se formar em algo estavam negadas por seu receio de não se considerar bom o suficiente, pronto com sua polimatia e confuso com tantas coisas ainda. Foi negligente com os estudos e responsável por escutar sermões e serem mais bravos com ele, contudo ainda mais submerso em suas agonias e crises, que sem se saber o davam choros no silêncio, e olhar nas estrelas e coisas que só o deixavam mais paranoico. Contou com modéstia e em estar aqui ou ali pra conseguir alguma coisa e ajudar quanto a qualquer de suas responsabilidades coletivas.

Por muitos pseudônimos passou. Henrique por fim se auto declarou o Lorde Raveno - tanto seu nick Gamer, Traceur e como de Mago. E por muitas ideias transitou até em fim chegar ao que seria o Ravenismo. Teve seus amores. Mergulhou em rolês e diversões do mundo roqueiro e headbanger. Gostou mais de bebidas e experimentou varias drogas, e com seu autocontrole ficou bem, pois seu tio de mente débil e criançona era viciado e disso só vê fraqueza muito mais mental do que química, e sua maior força vem da mente. Por si próprio melhorou seu autismo e sua inteligência emocional. Com o tempo se tornou o primeiro raveniano e facinado pela morte, corvos, e o que chama de essência cinza, desde sempre um exímio goticista.

O que é dele desde então em meados de 2020 é ir rumo a todo e qualquer conhecimento e suas próprias verdades e vontades sendo o Demônio Da Luz, entregando-se ao destino. Aquele que é o seu próprio deus, Lorde Raveno, o Rei das Sombras.

Fim.


Biografia:
Venho do Piaui Teresina. Crescido em Raposa. Formado no ensino médio, sem graduações posteriores. Amante da arte, cultura, tecnologia, ciências, e esportes. Escritor amador há 4 anos.
Número de vezes que este texto foi lido: 388


Outros títulos do mesmo autor

Artigos Ravenismo Lorde Raveno
Biografias Rei das Sombras Lorde Raveno


Publicações de número 1 até 2 de um total de 2.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
O fim da dor de uma dor sem fim - Flora Fernweh 0 Visitas
MINHA MULHER DO AMOR - Alexsandre Soares de Lima 0 Visitas
DE TANTO AMOR PELA VIDA - Alexsandre Soares de Lima 0 Visitas

Páginas: Primeira Anterior