Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Uma nova forma de cutucar, incomodar, agregar
(Um passeio pela Mostra Bug)
Roberto Queiroz

Um vídeo não é mais apenas um vídeo. Ele é um pontapé inicial rumo a novas ideias, informações, até mesmo novos vídeos. Em outras palavras: um vídeo - segundo a proposta da Mostra Bug, encerrada no último dia 9 no Oi Futuro do Flamengo - é um comichão digital, capaz de fazer seus interlocutores desenvolverem novas estéticas e intenções.

E isso, muito mais do que a necessidade de usar óculos especiais em alguns momentos, é o grande barato da exposição. Digo mais: talvez exposição não seja a palavra exata para explicar o que foi a mostra. Pois ela pede, a todo momento, interação, envolvimento, ação, da parte do público.

Ou seja: não há mais espaço - assim como também não há nas escolas públicas e privadas - para meros ouvintes e espectadores. A todo momento em que estive dentro do centro cultural me senti invadido em minha privacidade, sendo quase coagido a falar, manifestar-me, propor uma resposta, um debate.

Vivemos numa era tecnológica acirrada e infelizmente não faço parte da geração que já nasceu carregando a tiracolo um iphone (na verdade, minha relação com celulares é péssima desde que eles começaram a ganhar espaço na mídia e na vida da humanidade). Por isso, um aviso aos marinheiros de primeira viagem que adentrarem andar a andar a Mostra Bug: quanto menos informação tecnológica você tiver, mais se sentirá pressionado, meio peixe fora d'água, meio aluno que entra na metade do curso tentando correr atrás do prejuízo o mais rápido possível.

Uma coisa que mexeu com minha cabeça a todo momento é o quanto o fato do espaço Oi Futuro brincar com o conceito de escuridão caiu aqui como uma luva. O negro, muitas vezes rotineiro nas exposições do espaço, funciona aqui como um hiato, uma série de reticências, um momento de reflexão. Temos a sensação de estarmos imersos numa realidade alternativa, fora da ordem dos fatos.

E apesar dos inúmeros projetos inovadores, propondo denúncias, teses, defendendo causas ambientais e culturais, fiquei com a sensação de que ainda poderia ter sido maior, devido ao fato de estarmos tão plugados, conectados, nos últimos anos. Ou será que eu estou mais internético e digital do que a média no país? Provavelmente. Ainda mais se tratando o Brasil de um país de analfabetos funcionais em demasia.

Saio da porta perguntando aos realizadores quando será a próxima edição. Isso mesmo! E eles adoraram saber do meu interesse pela continuidade do projeto. Quando moleque assisti na tv Tron: uma odisseia eletrônica, de Steven Lisberger, e me peguei perguntando se tudo aquilo seria um dia, de fato, realidade ou nunca passaria de mera ficção cinematográfica. Não, meus caros amigos e leitores, o até então sonho, delírio, virou realidade sim.

E está bem aqui, diante de nossos olhos, da maneira mais portátil e simples que vocês puderem imaginar.

Estão esperando o quê para ficarem por dentro do assunto?


Biografia:
Crítico cultural, morador da Leopoldina, amante do cinema, da literatura, do teatro e da música e sempre cheio de novas ideias.
Número de vezes que este texto foi lido: 102


Outros títulos do mesmo autor

Artigos O triunfo da mentira Roberto Queiroz
Artigos O ator mais icônico da minha geração Roberto Queiroz
Artigos Clássico revisitado Roberto Queiroz
Artigos 50 anos de uma história bem contada Roberto Queiroz
Artigos Defina relevância Roberto Queiroz
Artigos A invenção do século que passou Roberto Queiroz
Artigos Um banquinho, um violão, um adeus Roberto Queiroz
Artigos Quem detém o conhecimento? Roberto Queiroz
Artigos Cada um no seu quintal Roberto Queiroz
Artigos Vendendo a alma Roberto Queiroz

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 11 até 20 de um total de 188.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
Vivo com.. - 34540 Visitas
eu sei quem sou - 33413 Visitas
camaro amarelo - 33362 Visitas
sei quem sou? - 33228 Visitas
MENINA - 33178 Visitas
CÉREBRO HUMANO - Tércio Sthal 33177 Visitas
A menina e o desenho - 33091 Visitas
O que e um poema Sinetrico? - 33079 Visitas
viramundo vai a frança - 33033 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 32942 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última