Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Monólogo
Valdir Rodrigues

Resumo:
Livro "Lágrimas Que Sorri"

Nos horizontes europeus,
entre palácios, castelos e museus,
a mórbida noite extrema,
nascia a vida humana e serena,
e a massa da populaça,
fazia-se nascer a força – uma ameaça?

Os giros sobre o sol foram-se repetidos,
até então, desconhecidos,
a espiritualidade nascia,
e tomando forma aos poucos crescia...

O mistério das mãos rápidas e ligeiras,
entre um empréstimo ou não!
de uma sombra passageira,
como o vôo rápido – sem preocupação!

Nunca foi devolvido,
ao povo sempre dividido...

Pagavam os impostos com este dote,
livrando-se das dividas o seu dote...

Eram coroas, correntes,
anéis de ouro – de dentes contentes,
do rico ao pobre ele deu,
vingando assim, tudo se deu!

Cedido por gentileza,
através da voz com certeza,
ao acenar das mãos – caído!
e ao sair sempre esquecido!

O poder entre os dedos lhe era dado,
não por herança, e sim, conquistado...

Também não queria só para sí,
aquecendo ao povo que sorri...

No cume, rodeado da nata francesa,
e mesmo assim, gostava da pobreza,
não a pobreza que se define,
e sim do povo humilde.

Sondava a inteligência consciente,
e guardava em seu subconsciente,
usava sempre que precisava,
era só querer que ela se ativava.

Não muito tempo depois,
era sempre, (sempre) dois...

Imperava o poder em suas mãos,
E aos povos era dado de compaixão...

Já se acumulava às famas,
escondido entre duques e damas,
o astro não era percebido,
guarda-se sempre escondido.

Que estrela brilha tanto, quando é notada?
se ofusca a fantasiada,   
mais brilha a estrela humilde,
do que a estrela fantasiada e biltre.
Enfim, deu-se os términos,
e restou de todos os préstimos...

Para alguns, ao invés do fim o começo,
dizia alguns; esta força nova desconheço...

A sombra se oculta entre a noite,
quando viam – cadê? Já foi-se!
e vem em canto os gatos,
refiro-me a música aos meados...

Caminha com seu casaco e cartola,
esta aqui e não foi embora,
veja só é este cavalheiro,
entre ruas e becos alheio,
e quando falo estufo o peito,
o felino – o rei gato preto.

                                                               Londrina 2001


Biografia:
Valdir Rodrigues da Silva, nascido em Cambé -PR no ano de 1978. Autor do livro "Lágrimas Que Sorri" e "Brilho". Atualmente trabalha como dramaturgo e diretor, e é responsável pela "Escola de Dramatização Espontanea e Dirigida. Mora na cidade de Londrina, é casado e tem uma filha de dois anos e três meses.
Número de vezes que este texto foi lido: 54820


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Onde Mora...S...? Valdir Rodrigues
Poesias Amanhã Valdir Rodrigues
Poesias Espumas Verdejantes Valdir Rodrigues
Poesias A arte de Morrer Valdir Rodrigues
Poesias Raio X Valdir Rodrigues
Poesias Monólogo Valdir Rodrigues
Poesias Corpo Valdir Rodrigues
Poesias Sombra Valdir Rodrigues
Poesias Lágrimas Que Sorri Valdir Rodrigues

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 11 até 19 de um total de 19.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
QUANDO CHEGO EM CASA - orivaldo grandizoli 54815 Visitas
SOCIEDADE E POLÍTICA - Alex de Imaruí 54815 Visitas
Já Dizia Um Conhecido - Berke Oliver 54815 Visitas
Eu - PauloRockCesar 54815 Visitas
O Sonhador Pregado ao Chão - Dimitri Wittkopf 54815 Visitas
Basta olhar ... e vai sorrir ... - Maisnatureza 54815 Visitas
Estou tentando te dizer algo desde o início - Berke Oliver 54815 Visitas

Páginas: Primeira Anterior