Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
🔵 Noite sem fim
Rafael da Silva Claro


Aquilo era diferente. Eu estava acostumado a sair de ônibus, metrô e sola e lutar pela sobrevivência. Agora, eu estava ali num condomínio em Arujá, tentando decifrar mímicas em jogos de adivinhação. Uma noite de sábado que começa com uma casa livre porque os pais foram para a Europa ou os Estados Unidos não pode acabar bem. Isso é o prenúncio de dormir debruçado num jogo de tabuleiro, com um pedaço de pizza fria do lado. Era assim na ‘Sessão da Tarde’.

Aquilo não estava com cara de sábado à noite. Quando tudo parecia uma turma de amigos numa cabana de estação de esqui, vi que tudo estava perdido e esperei que alguém entrasse na sala com uma panela de “fondue”, vestindo pulôver e cachecol.

Bastava segurar um copo, para sacar que eu vinha da periferia. Fiquei habituado a caminhar por viadutos imundos, pútridos e fétidos; percorrendo ruas mal iluminadas e vazias da Barra Funda, tendo por testemunhas apenas pragas urbanas. A amplitude entre o “dogão” e o “fondue”, a cerveja barata e o vinho e o bilhar e os jogos de adivinhação era abissal.

Como naqueles filmes que aparece um assassino em série, vingativo, onipresente e imortal, tudo parecia perfeito demais. Eu já estava prevendo a carnificina e o banho de sangue, portanto, só me restava fazer parte do casal bonzinho que permanece vivo no final.

Eu achava tudo salubre demais. Talvez, uma meia hora num divã constatasse que eu não me achava merecedor daquilo; submetido à regressão espiritual, quem sabe, eu descobriria a origem arcaica do trauma, tipo alguém que rompeu com a sociedade. Entretanto, nesta encarnação, tudo pode ser explicado com o hábito sobrevivencialista de atravessar o hostil Centro de São Paulo.

Impossibilitado de descobrir a origem da ojeriza de frequentar um “mundinho” tão “perfeitinho” e “asseado”, pelo menos àquela hora, resolvi aderir àquele final de semana atípico. Acostumado e até me divertindo, me empenhei em interpretar e resolver mímicas.

O Sol surgindo no Leste lembrou que não houve um massacre cinematográfico, por isso, o sábado não lembrou ‘Sexta-feira 13’, muito menos ‘Warriors — os selvagens da noite’.






Biografia:
Ensino secundário completo. Trabalhei em várias empresas, fora da literatura. Tenho um blog, onde publico meus textos: “Gazeta Explosiva” Blogger
Número de vezes que este texto foi lido: 54998


Outros títulos do mesmo autor

Ensaios 🔴 Sim, e daí! Rafael da Silva Claro
Ensaios 🔴 Decadence avec elegance Rafael da Silva Claro
Ensaios 🔴 O atirador da Pensilvânia Rafael da Silva Claro
Ensaios 🔴 O lobo solitário e seus amigos Rafael da Silva Claro
Ensaios 🔴 O ocultismo da Globo Rafael da Silva Claro
Ensaios 🔴 Intolerância Rafael da Silva Claro
Ensaios 🔴 Evidências Rafael da Silva Claro
Ensaios 🔴 Vamo falá de coisa boa Rafael da Silva Claro
Ensaios 🔴 Bye, Biden Rafael da Silva Claro
Ensaios 🔴 O Efeito Cobra Rafael da Silva Claro

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 443.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
Minicurso sobre a redação no ENEM - Isadora Welzel 79731 Visitas
URBE - Darwin Ferraretto 59549 Visitas
Salvando computador muito ruim - Vander Roberto 55635 Visitas
81 anos da prisão e morte dos Rosas Brancas - Vander Roberto 55456 Visitas
Delícias da festa junina - Ivone Boechat 55378 Visitas
QUE SE... - orivaldo grandizoli 55371 Visitas
Lançamento do livro - Alberto Kopittke 55352 Visitas
Nua, totalmente indefesa - rodrigo ribeiro 55309 Visitas
A FARSA DA USURA - fabio espirito santo 55293 Visitas
O estranho morador da casa 7 - Condorcet Aranha 55275 Visitas

Páginas: Próxima Última