Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Escondidinho de camarão
Cláudio Thomás Bornstein


Estava eu em Ipanema quando a fome apertou. Escolhi um restaurante natureba, não que eu seja fanático, mas lá costuma-se encontrar comida leve e saudável e o dia estava quente e abafado. Um cartaz na entrada dizia que a casa não servia carne vermelha.

Entrei, escolhi a mesa e sentei. Olhei em volta. Menininhos e menininhas, cabelos arranjados com uma displicência estudada, óculos escuros, pele morena, bem tratada e perfumada. Todo mundo parecia recém saído do banho. No pé, sandália havaiana, atestando informalidade. “Ih, entrei numa furada” foi o que eu pensei, mas olhei a coluna da direita do cardápio, e como o preço era razoável, resolvi ficar.

Pedi um escondidinho de camarão que não demorou a vir. Só que de camarão não havia nem o cheiro. Cavouquei no meio, procurei no fundo e nada do herói aparecer. No meio do molho havia uns pedaços de cor amarelada que mais pareciam abóbora. Chamei a garçonete: “Pedi escondidinho de camarão. Onde é que estão os camarões?”

Com ar muito entendido e procurando ressaltar a minha ignorância, ela respondeu: “É abóbora-camarão”.

“Ah, bem”, foi o que eu respondi. Não vou brigar, foi o que eu pensei. Faz mal à saúde, e não resolve nada. Terminei o escondidinho de abóbora na calma e na tranquilidade, pedi a sobremesa, mais um suco de laranja, o café e me levantei. Na saída cumprimentei gentilmente a garçonete e à guisa de despedida, botando a mão no chapéu, disse: “Meu nome é José. E já paguei, viu?” E saí sem pagar.


Biografia:
Para mais informações visite o blog CAUSOS em www.ctbornst.blogspot.com.br. Querendo fazer comentários, mande e-mail para ctbornst@cos.ufrj.br
Número de vezes que este texto foi lido: 54735


Outros títulos do mesmo autor

Crônicas Ele não era grande coisa... Cláudio Thomás Bornstein
Artigos Apesar de... Cláudio Thomás Bornstein
Crônicas Simpatia e amor Cláudio Thomás Bornstein
Crônicas Casamento moderno Cláudio Thomás Bornstein
Artigos Milho e soja transgênicos: envenene-se o planeta! Cláudio Thomás Bornstein
Poesias Pôr do sol ou morte, dor e amor Cláudio Thomás Bornstein
Poesias Reflexões na praia de Ipanema Cláudio Thomás Bornstein
Crônicas Problemas de Comunicação Cláudio Thomás Bornstein
Poesias Poesia: garimpo e lapidação Cláudio Thomás Bornstein
Crônicas Faca, fio e genitália perdida Cláudio Thomás Bornstein

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 61 até 70 de um total de 80.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
SENHOR DA VIDA 1 - paulo ricardo azmbuja fogaça 54766 Visitas
🔴 Os políticos fazendo a festa - Rafael da Silva Claro 54766 Visitas
SENHOR DA VIDA 3 TERROR - paulo ricardo azmbuja fogaça 54766 Visitas
O barco das crianças - impressões pessoais - Flora Fernweh 54765 Visitas
Ganhei Na Loteria! - J. Miguel 54765 Visitas
Árvore - valmir viana 54765 Visitas
O MACACO ZÉ BEDEU - Carlos de Almeida 54765 Visitas
O vovô e a vovó - Helena Regina Santarelli M. de Campos 54764 Visitas
AME VOCÊ - Ivone Boechat 54764 Visitas
Jornada pela falha - José Raphael Daher 54764 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última