Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
São Paulo 467 - “Non ducor, duco” *
Rafael da Silva Claro


Sampa e Pauliceia Desvairada. A cidade já foi cantada por Caetano Veloso, Premeditando o Breque, Tom Zé, Beto Guedes, Ira!, Inocentes etc. É difícil dizer alguma coisa (bem ou mal) quando tantos já disseram, cantaram e filmaram. Quando chega o aniversário da cidade, proliferam elogios.

Números:
▪️São Paulo, com mais de 12 milhões de habitantes, é a cidade mais populosa do Brasil;
▪️a 8ª mais populosa do planeta;
▪️10º PIB do mundo;
▪️11ª cidade mais globalizada do planeta;
▪️a região metropolitana de São Paulo, com aproximadamente 21 milhões de habitantes, é a 10ª maior aglomeração urbana do mundo.

São Paulo é uma cidade onde o Bob Esponja, sempre sorrindo, pode pegar o Metrô sem ser incomodado, sem ninguém achar estranha a bizarra presença. Muito pelo contrário, os passageiros não darão a menor bola à inusitada frequência. Provavelmente, continuarão absortos, preocupados com o retorno do trabalho, ou a ida, ou nada disso, ou apenas, “paulistanamente”, continuarão mal-humorados. Eu mesmo, numa cena absolutamente nonsense, tive o prazer de flagrar a Galinha Pintadinha, sempre feliz, sendo amparada por uma acompanhante, descendo as escadas do teatro Ruth Escobar. Como aquele acontecimento pitoresco não é algo que se vê todo dia, abri um sorriso.

O que se repete todos os anos, é alguém fazer alguma declaração de amor à cidade que não dorme, para, logo em seguida, lançar mão de uma conjunção adversativa (geralmente “mas”), sapecando algum xingamento camuflado em eufemismos, ou mesmo algum impropério mais incisivo. Psicologicamente, é um sentimento de culpa intrínseca, um pedido de desculpas por gostar de um ajuntamento tão artificial, cinza, de concreto, devorador de almas, impessoal.

Uma peculiaridade boa e ruim, são os shows. Bom, lógico, é assisti-los. Não diria ruim, mas interessante, porque ativa a memória afetiva, foi passar ao lado do Estádio do Pacaembu, ouvindo um pouquinho do Iron Maiden. A consolação foi, logo depois, num bar de rock, cantar Fear of the Dark, lamentando por estar tão perto, mas fora do show.

Banzo era o nome africano da melancolia que os escravos sentiam em relação à terra natal, à aldeia. Hà quase sete anos afastado de São Paulo (cidade), tirando os trabalhos forçados, é isso o que sinto: banzo. Saudades da minha aldeia...


Biografia:
Ensino secundário completo. Trabalhei em várias empresas, fora da literatura. Tenho um blog, onde publico meus textos: “Gazeta Explosiva” Blogger
Número de vezes que este texto foi lido: 419


Outros títulos do mesmo autor

Crônicas É só dobrar o pescoço Rafael da Silva Claro
Releases Brasil Paralelo Rafael da Silva Claro
Crônicas A bela e a fera Rafael da Silva Claro
Crônicas A placa avisou Rafael da Silva Claro
Crônicas Até tu! Rafael da Silva Claro
Crônicas Fogo no Parquinho Rafael da Silva Claro
Crônicas O Último Carnaval Rafael da Silva Claro
Ensaios Sai, coisa Rafael da Silva Claro
Ensaios Leite condensado de direita Rafael da Silva Claro
Crônicas Crônica de Gelo e Fogo * Rafael da Silva Claro

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 96.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2021
 
  Textos mais lidos
viramundo vai a frança - 76106 Visitas
Sem - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 62050 Visitas
NÃO ERA NADA - Alexsandre Soares de Lima 50298 Visitas
O Trenzinho - Carlos Vagner de Camargo 50062 Visitas
Os Morcegos - Nato Matos 49619 Visitas
Pensamento 21 - Luca Schneersohn 49285 Visitas
A TRISTEZA E O SIM DA VIDA - Alexsandre Soares de Lima 48994 Visitas
MILA, A MENINA QUE MORAVA DENTRO DE UM COGUMELO - Saulo Piva Romero 48819 Visitas
Solidão que nada - Morgana Bellazzi de Oliveira Carvalho 48795 Visitas
Um dia - Luca Schneersohn 48242 Visitas

Páginas: Próxima Última