Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Pandemia Eleitoral
Rafael da Silva Claro



Este ano, definitivamente, não deu certo, sobretudo, eleitoralmente. Os Estados Unidos da América (EUA), com um sistema confuso (mas justo), fez uma lambança digna de republiqueta de bananas; o Brasil, apesar do enrosco na apuração, usa o que há de melhor no mercado tecnológico, quando o objetivo é prejudicar o cidadão comum. Exemplos não faltam: Imposto de Renda, impostos em geral, multas, taxas bancárias etc.

As eleições nos EUA foram um portfólio de fraudes e, acredito, ainda estão apurando; no Brasil, já que o assalto é garantido, que seja rápido como sugere o nome da modalidade “sequestro relâmpago”. Aqui, como diziam os Novos Baianos: “tudo é tão rápido como se furta”.

Essa nossa parada na apuração, providencial, como aquela dos norte-americanos, me fez crer no que viria depois: apareceriam pilhas de cédulas favorecendo Joe Biden, até Ulisses Guimarães votaria nele. Quando, milagrosamente, o “sistema” (a culpa é sempre dele) voltasse, o candidato democrata já estaria vencendo em Santa Catarina, em Minas Gerais, no Espírito Santo, na Bahia e, para disfarçar, no Rio Grande do Norte. Detalhe: nenhum Estado declarou o vencedor americano.

Antigamente, a fraude era analógica. Alguns exemplos:

▪️voto de cabresto: é quando o eleitor é coagido a votar em um candidato que não é o de sua preferência (Coronelismo);
▪️Voto censitário: é o direito ao voto a cidadãos que preencham pré-requisitos econômicos;
▪️Homens bons: candidatos á Câmara Municipal que deveriam corresponder a certos pré-requisitos praticamente proibitivos.

No Brasil, ocorreram as três práticas: homens bons, voto censitário e voto de cabresto; Período Colonial, Primeiro Reinado e República Velha, respectivamente. Hoje, de certa forma, principalmente nos rincões, existe o voto de cabresto, sobretudo, econômico.

Em São Paulo, o Guilherme Boulos está no segundo turno. Segundo o ele, o PSOL irá “tomar” São Paulo. Linguagem mais que apropriada para um invasor de propriedades. Eu, no meu iminente niilismo político, quero que o candidato incendiário vença, para ver o circo pegar fogo. Que comecem os jogos!


Biografia:
Ensino secundário completo. Trabalhei em várias empresas, fora da literatura. Tenho um blog, onde publico meus textos: “Gazeta Explosiva” Blogger
Número de vezes que este texto foi lido: 33863


Outros títulos do mesmo autor

Ensaios Guia Politicamente Incorreto da Pandemia Rafael da Silva Claro
Ensaios Na pressão Rafael da Silva Claro
Ensaios Nadando de braçada Rafael da Silva Claro
Ensaios Dois Papas Rafael da Silva Claro
Ensaios O Clarividente Rafael da Silva Claro
Ensaios Polícia e ladrão Rafael da Silva Claro
Crônicas Retrospectiva 2020 Rafael da Silva Claro
Ensaios Espiral do silêncio Rafael da Silva Claro
Ensaios Rodrigo Maia nunca mais Rafael da Silva Claro
Crônicas Ócio criativo Rafael da Silva Claro

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 83.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2021
 
  Textos mais lidos
viramundo vai a frança - 48362 Visitas
IHVH (IAHUAH) e ISV (IASHUA) - Gileno Correia dos Santos 42610 Visitas
Sem - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 41839 Visitas
NÃO ERA NADA - Alexsandre Soares de Lima 40771 Visitas
Pensamento 21 - Luca Schneersohn 40416 Visitas
Os Morcegos - Nato Matos 40117 Visitas
Guerra suja - Roberto Queiroz 39988 Visitas
O Trenzinho - Carlos Vagner de Camargo 39948 Visitas
A PRAIA DO PROGRESSO - Rosângela Barbosa de Souza 39759 Visitas
MILA, A MENINA QUE MORAVA DENTRO DE UM COGUMELO - Saulo Piva Romero 39721 Visitas

Páginas: Próxima Última