Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Um dia serei algo
serei eu um consunto?
José Rony de Andrade Alves

Resumo:
Poesia sobre o destino. O que serei um dia? Uma memória, uma história ou um defunto. Talvez um sonhador ou quem sabe um ditador. Um dia serei algo.

Nem que seja um derrotado
Um homem sozinho, isolado
Astuto, instável, inconsolado
Fora de si, louco, transtornado
Um verdadeiro desgraçado
Um dia serei algo

Nem que seja um defunto
Ou ainda um conjunto:
terra, lama, pó, rejunto.
As vezes eu até pergunto:
serei eu um consunto?
Um dia serei algo

Há quem diga um mineral
Absorvido por um animal
Internamente, parte visceral
Terei um destino cru e fecal
Serei um efeito colateral
Um dia serei algo

Nem que seja uma memória
Talvez eu entre para história
Triunfarei com a minha glória
Ou apenas, terei uma vida ilusória
Um fracasso, azarado, sem vitória
Um dia serei algo

Nem que seja um sonhador
Um memorável doutor,
Um senhor sem pudor
Ou apenas um desfavor
Para uma vida sem amor
Um dia serei algo

Nem que seja um destroçado
Há quem diga um milionário
Um grandioso empresário
Ou apenas um esfomeado
Em uma rua, desolado
Um dia serei algo

Nem que seja amigaço
Um super-man, homem de aço
Um beberrão, um bagaço.
Ou quem sabe Pablo Picasso
Ou apenas um palhaço
Um dia serei algo

Nem que seja um velho instável
Há quem diga um ditador inigualável
Populista, com caráter formidável
Ou apenas, um pobre velho deserdado
Sem afeto, simplesmente, abandonado.
Um dia serei algo

E assim, com caráter ferrenho
Com esforço, confiança e empenho
Digo a única certeza que tenho:
É que um dia serei algo.


Biografia:
Número de vezes que este texto foi lido: 28623


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Um dia serei algo José Rony de Andrade Alves
Crônicas O celeiro de José José Rony de Andrade Alves
Contos Ceifador de momentos José Rony de Andrade Alves
Crônicas testamento de um suicida José Rony de Andrade Alves
Poesias semente infeliz José Rony de Andrade Alves
Poesias ciclo da vida José Rony de Andrade Alves
Crônicas O mar do esquecimento José Rony de Andrade Alves
Poesias Amor sem arrimo José Rony de Andrade Alves
Crônicas A imobilidade da luz José Rony de Andrade Alves

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 11 até 19 de um total de 19.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
haicai - rodrigo ribeiro 30169 Visitas
O Senhor dos Sonhos - Sérgio Vale 30162 Visitas
DO ARCO-DA-VELHA - Tércio Sthal 30053 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 30043 Visitas
O Cônego ou Metafísica do Estilo - Machado de Assis 30041 Visitas
Jazz (ou Música e Tomates) - Sérgio Vale 30027 Visitas
Como comecei a escrever? - Parte 2 - Caliel Alves dos Santos 30026 Visitas
Jornada pela falha - José Raphael Daher 29961 Visitas
PROJETO DE PESQUISA: HIPERATIVIDADE - Ismael Monteiro 29939 Visitas
christine - alfredo jose dias 29924 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última