Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
OS OUTROS
Crônicas d'Anteontem
Ricardo Cunha Costa

OS OUTROS

Sim, agora que estamos apenas nós aqui, podemos falar d'eles: Coitados, tão estúpidos... tão simplórios... tão idiotas... Nós, que não somos como eles, é que sabemos a verdade! Como eles não sabem? Quando vão se calar e fingir que concordam conosco? Afinal, temos méritos intelectuais inquestionáveis e sistemas filosóficos inteiros! E eles, oras!...

Quem eles pensam que são? Eles pensam? Doutrinados que foram para repetir frases feitas e acreditar em historinhas infundadas!... Ao contrário de nós, que temos verdades sólidas e perfeitas, mas, justamente por isso, universais: Servem para tudo e todos! Ai d'aqueles que não entendem!... Como podem se cegar diante dos factos que elencamos e, sobretudo, da força de nossas convicções?! Até quando serão escravos de ideias alheias? Até quando se submeterão às ideologias apressadas ou aos maniqueísmos primários que seus líderes vociferam continuamente?! A propósito, seus líderes: Que ridículos! Matéria para caricaturas! Contradições ambulantes, tangem feito gado a massa buliçosa...

Que espetáculo patético! Quanta manipulação interessante-interesseira! Quantos pseudo-pensadores!!!

Os outros estão lá e nós aqui. Entre iguais, falamos e somos compreendidos: Todos como um! Democracia?! O exaustivo debate com quem só escuta a si mesmo e contra-argumenta lugares comuns me esgota: Falar, discutir, parlamentar... É inútil! Muito mais produtivo impor nosso ponto de vista e eliminar as contradições; internas ou externas.

O curioso é que, saindo d'aqui, nos misturamos... Na multidão da metrópole, parecemos todos iguais: As cores simbólicas dão lugar às roupas do dia a dia. Difícil dizer quem é isto ou aquilo: Coexistimos.

E, embora não concordemos em quase nada, nossa humanidade nos exige ao menos a consciência de nosso destino comum, isto é, a morte. Ah, que excepcional a condição humana... Não basta aos homens morrer: É preciso viver tendo consciência de quão breve pode ser a vida!...

Talvez não sejamos, nós e os outros, tão diferentes assim.

Mas, o que estou dizendo? Onde estão os nossos princípios? Onde estão os nossos hinos e bandeiras? Onde as nossas palavras de ordem! Não devemos baixar a guarda jamais!

Pelas palavras ou pela força, venceremos!

(Mesmo que vitória provisória à espera da próximo entrevero...).

Betim - 15 04 2018


Biografia:
Escrevo. Gosto de escrever. Se sou escritor ou poeta, eu deixo para o leitor ponderar.
Número de vezes que este texto foi lido: 28480


Outros títulos do mesmo autor

Poesias LUAR DAS VALQUÍRIAS Ricardo Cunha Costa
Poesias CORDEL DA LUA DE SANGUE E DO SOL ENCARNADO Ricardo Cunha Costa
Poesias VÊNUS VETUSTA Ricardo Cunha Costa
Poesias EU SOU O UNIVERSAL - Crônicas d'Anteontem Ricardo Cunha Costa
Sonetos SÍRIO-LIBANÊS Ricardo Cunha Costa
Sonetos LUSO-BRASILEIRO Ricardo Cunha Costa
Sonetos JUDAICO-CRISTÃO Ricardo Cunha Costa
Sonetos ANGLO-SAXÃO Ricardo Cunha Costa
Crônicas OS OUTROS Ricardo Cunha Costa
Poesias AUTÓFAGA Ricardo Cunha Costa

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 41.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 38226 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 38211 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 30421 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 29846 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 29731 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 29727 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 29702 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 29520 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 29469 Visitas
Amores! - 29438 Visitas

Páginas: Próxima Última