Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Um Rio que Habita meu Coração
johnmaker



Se não fosse o oceano condescendente com sua doçura,
Nem mesmo em sua mesura tu saberias o que és,
Pois não significas o amargor, nem o sal de seu paladar.
Que é a parte intima da lágrima desse rio que habita o meu coração,
Poderias então repensar a essa altura, sem engano, que não é mar,
Refazendo-se como o fogo sobre a água despeja seu grito, sua dor,
Na fumaça ruidosa do fulgor que se consome e se transforma.
Mas tu sabes, em meu corpo existe apenas fome,
Mágoa nenhuma que colecione a vida, nada que venha com rancor.
Apenas a sede crescente de gritar seu nome...

Posso clamar ao vento para que perca o rumo,
Sua prodigiosa estrutura de desarrumo lhe provê o silêncio,
Ou a fonte pecaminosa,
Como o medo da tempestade me faz chorar, prisioneiro de sua ilusão,
Pelas rudes paisagens que trazem apenas tristeza,
Sem que tenha, porém, a certeza,
De que essa é a dor de entregar-lhe meu coração.
Juro(!), nem Gaudi pode expressar as deformidades góticas
e funcionais de sua estrutura,
Que é tão sensata quanto os arcos parabólicos sob o terraço da Casa Milà
No quarto permanente de minha câmara escura,
Feita com os seixos do muro entrelaçado com frutos doces de maracujá.

Roto, vou girando em espirais suicidas
por onde houver uma réstia de luz.
Flutuo hipnotizado sobre o voejo fino e reluzente do sonho dessa vida,
Absorvendo a ferida que causa nos olhos as lâmpadas intermitentes dos jardins,
Repleto das flores de espírito miscigenado por pétalas de entretons azuis,
Supostamente letradas de versos simples e sem fim,
Que ocultavam as pedras de puro brilhantismo que me indicavam a saída.
Não como os pássaros demonstravam animosidade
em acrobacias nas tardes gloriosas,
-Aqueles que trazem a alegria jocosa do destino,
Pousam nos fios e tem asas poderosas-
Mas, como frágeis borboletas levadas ao vento,

Sem oportunidades, como as pás de um moinho ao relento,
Ou mesmo um instrumento sem cordas, sem alento,
Que não pode saudar cada mudança de sua alma com uma canção.
Saiba que este é o lugar para ser bebido,
Onde meu íntimo, que se transforma em alimento, vem para ser comido;
Seu coração!
Saído daquele poço que um dia abri para sorver a paciência,
Que continha ramos incrustados em suas paredes de fascinação.
Sabia haver ali ínfima parte desse gosto que senti,
De amar a liberdade, quando provei-a fresca, de nua decência...
Indiferente aos elos da longa corrente desta existência,
Que a encontrou naquele quarto, naquela noite, sem a sua ira.

Verás que não sou outro alguém aprisionado
pelas coisas passageiras de uma vivência sem tê-la, de algum modo, sentido.
Porém, trago a consciência marcada pelos grilhões
Ainda sangrando no tornozelo ferido,
Sobre os mesmos pés lavados pelas águas desse rio
Sem lhe dizer palavra alguma por algo que sofro.
E assim tendo amado, mergulharei novamente no frio poço
coberto pelas nossas histórias,
Rodeado pela aparição maquiada de raras orquídeas,
Que, por ora, me remetem as tuas memórias...

https://www.youtube.com/watch?v=Fe0rKO9Of6s

https://www.youtube.com/watch?v=qAYzSHOzRHQ


Biografia:
Número de vezes que este texto foi lido: 28530


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Acorda Amor johnmaker
Poesias Arrastando uma asa... johnmaker
Poesias Serifa das fontes johnmaker
Poesias Uivos do vento johnmaker
Poesias Sem Ilusão... johnmaker
Poesias Derretido feito manteiga johnmaker
Poesias Um Rio que Habita meu Coração johnmaker
Poesias Quis o destino ... johnmaker
Poesias Poesia Para Um Coração de Aço johnmaker
Poesias Tecendo O Seu Perfume... johnmaker

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 25.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 55665 Visitas
A Arte De Se Apaixonar - André Henrique Silva 52864 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 39217 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 34166 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 33357 Visitas
Amores! - 32937 Visitas
Desabafo - 32530 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 31630 Visitas
Faça alguém feliz - 31383 Visitas
Minha namorada - Jose Andrade de Souza 31063 Visitas

Páginas: Próxima Última