Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Resenha educacional do filme “Fora de Controle”
Resenha educacional do filme “Fora de Controle”
Bianca de Moura Wild

Resumo:
A avaliação inicial que podemos desenvolver como educadores a partir deste filme, refere-se ao conceito de Ética,procurar num dicionário, pesquisar em livros de filosofia,perguntar sobre ética no exercício profissional, são direcionamentos básicos para a compreensão do educando sobre ética, talvez possa ser encontrada na medida em que conseguirmos relacionar o conceito abstrato de ética ao plano real e prático de nossas vidas, a verdadeira importância da mesma. A importância de tentarmos a todo custo resolver nossos problemas, não importando se iremos utilizar meios lícitos ou ilícitos o que sugere, inclusive, a possibilidade de provocarmos perdas e prejuízos a outras pessoas deve ser analisada. Atitudes como essa ferem as leis que regem, organizam e sustentam as sociedades democráticas, contudo, no filme e na vida real vemos pessoas que se utilizam de meios reprováveis para obter lucros, sucesso e projeção pessoal ou profissional. Independentemente das leis, há também a questão da consciência que também deve ser abordada.O alcoolismo e as outras causas de desestruturação familiar também devem ser ressaltadas e ponderadas.

Resenha educacional do filme “Fora de Controle”


INDICAÇÃO – Aulas de filosofia e de sociologia direcionadas para temas como ética e moral.


           Um acidente de trânsito o atrasa para um importante compromisso que pode garantir para sua empresa o controle sobre uma quantia de aproximadamente 100 milhões de dólares, como você se sentiria?
Devido a um acidente de trânsito, você se atrasa para uma audiência com o juiz e com sua ex-esposa onde se definirão os direitos de guarda legal de seus dois filhos, como você se comportaria?
Considere estas situações apresentadas anteriormente e decida qual das duas lhe parece mais prioritária de uma solução imediata.É dessa forma que se inicia o filme do diretor Roger Michell, colocando o espectador diante de uma encruzilhada através de seus dois personagens principais, vividos pelos atores Samuel L. Jackson e Ben Affleck, uma trama excitante e envolvente
Independentemente do desfecho da trama, vale perceber que o filme abre uma série de discussões acerca de prioridades e de valores e que nos levam, fundamentalmente, a reflexões. Nos faz refletir, na ambição e em seus limites. Nos permite ponderar o valor da família e, principalmente, a proximidade entre pais e filhos. Nos atenta a repensar a sociedade capitalista e seus mecanismos de ascensão econômica e social.
Não devemos determinar papéis característicos de mocinho e bandido a partir do filme. Não se trata de uma questão tão simples quanto essa, isso reduziria as discussões e afastaria o olhar do espectador do que realmente movimenta o desenvolvimento da trama, um simples questionamento: enfim, em que acreditamos? Quem somos? O que somos capazes de fazer?
Não devemos pensar nas pessoas que trabalham incessantemente e que visam atingir os maiores lucros possíveis como os grandes vilões da história. Também não podemos crer que todo e qualquer pai de família aparentemente dedicado merece uma estátua erguida em sua homenagem. Não cabe a nós crucificar ou julgar injustamente pessoas que viveram a frustrante situação da separação ou, de condenar a crucificação os que padecem do alcoolismo.
Este filme nos coloca diante de situações tão diversificadas quanto essas, no entanto, no fundo, pretende nos fazer encarar nossos posicionamentos éticos, nos perguntar se não abdicaríamos diante da possibilidade de abocanhar   milhões de dólares e poder, por conseguinte, comprar a casa de nossos sonhos, o carro que todos querem possuir, as férias na Europa ou no Caribe que sempre desejamos.
Em uma determinada parte do filme, há um diálogo envolvendo um jovem casal, no qual se define, praticamente como uma regra do jogo, que para obter sucesso, deve-se jogar com todas as fichas disponíveis, com as cartas que temos na mão e, também, com aquelas que escondemos sobre as mangas. Por tudo isso, "Fora de Controle" é um filme excitante, envolvente, que nos intriga e nos estimula a reflexão. Estranho é o fato de que passou praticamente despercebido nos cinemas, chegou as locadoras de forma discreta e agora é exibido em horários de pouca audiência na televisão.
Agora vamos falar da história em si, vinte minutos é o tempo que Doyle Gipson (Samuel L. Jackson) tem para chegar ao fórum, onde irá encontrar-se com a ex-esposa e, em presença do juiz, irão decidir-se o futuro de seus dois filhos. Para decidir a disputa a seu favor, Doyle está negociando a compra de uma casa, na qual pretende instalar a mulher e os filhos (com os quais pretende voltar a morar assim que conseguir se reconciliar com a ex-mulher). Além disso, Doyle passou a freqüentar sessões dos Alcoólatras Anônimos para se livrar de seu vício, afim de reconquistar a confiança de sua ex-mulher e de reerguer-se.
Nesse curto intervalo de tempo, os vinte minutos, em que transita entre o escritório de advocacia no qual trabalha e o fórum, o jovem e bem sucedido advogado Gavin Banek (Ben Affleck) reflete a respeito do caso que terá pela frente, no qual sua empresa disputa o controle sobre uma soma de aproximadamente 100 milhões de dólares pertencentes a uma fundação beneficente criada por um milionário de Nova Iorque pouco tempo antes falecido. Se tudo correr como o planejado ele ganhará provavelmente uma recompensa satisfatória, além da confiança irrestrita de seu chefe, que por coincidência é também seu sogro; ao errar a saída para o fórum e se desviar para não perdê-la, Gavin colidi seu automóvel com o de Doyle. O carro de Doyle fica muito ais danificado e impossibilitado de ser retirado do local, enquanto Gavin tenta acertar rapidamente a situação, oferecendo um ressarcimento para compensar as perdas de Doyle. Nada é resolvido, os dois nem ao menos lembram-se dos nomes um do outro,não trocam número de seguro e nem tampouco telefones e, na pressa, um documento importante do processo de Gavin é deixado para trás e cai nas mãos de Doyle.
Não só o documento fica para trás, também Doyle é abandonado por Gavin que se recusa a dar-lhe uma carona até o fórum, e ele acaba perdendo o horário de sua audiência e a guarda de seus filhos, o que o deixa furioso.
Sem o documento, Gavin não consegue resolver definitivamente a pendência jurídica em que está envolvido. Ameaçado pelo patrão e sogro, vê a possibilidade de sua vida desmoronar.
Irado com a perda da guarda dos filhos, Doyle não se mostra disposto a colaborar com Gavin. Precisando desesperadamente do documento, Gavin tentará de tudo para consegui-lo de volta, nem que para isso tenha que arruinar a vida de seu oponente.E para isso ele é capaz de tudo até mesmo de pagar a uma terceira pessoa para entrar no sistema de cadastro de dívidas e declarar a falência de Doyle, o impossibilitando de definir a compra da casa eu desejava para seus filhos pois para isso ele dependia de um empréstimo, e a trama segue-se neste ritmo de insegurança e indefinição.
A avaliação inicial que podemos desenvolver como educadores a partir deste filme, refere-se ao conceito de Ética,procurar num dicionário, pesquisar em livros de filosofia,perguntar sobre ética no exercício profissional, são direcionamentos básicos para a compreensão do educando sobre ética, talvez possa ser encontrada na medida em que conseguirmos relacionar o conceito abstrato de ética ao plano real e prático de nossas vidas, a verdadeira importância da mesma. A importância de tentarmos a todo custo resolver nossos problemas, não importando se iremos utilizar meios lícitos ou ilícitos o que sugere, inclusive, a possibilidade de provocarmos perdas e prejuízos a outras pessoas deve ser analisada. Atitudes como essa ferem as leis que regem, organizam e sustentam as sociedades democráticas, contudo, no filme e na vida real vemos pessoas que se utilizam de meios reprováveis para obter lucros, sucesso e projeção pessoal ou profissional. Independentemente das leis, há também a questão da consciência que também deve ser abordada.O alcoolismo e as outras causas de desestruturação familiar também devem ser ressaltadas e ponderadas.




Biografia:
Possui graduação em Ciências Sociais pela Fundação Educacional Unificada Campograndense (2007). Atualmente é bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia, atuando principalmente nos seguintes temas: antropologia, diversidade sexual, orientação sexual, televisão brasileira e tvs privadas. Tem experiência em projetos de desenvolvimento local e nos seguintes temas: Modo de produção escravista ou escravocrata, Etnicidade, sexualidade, orientação sexual, diversidade sexual, identidade(s), conflito identitário.
Número de vezes que este texto foi lido: 28551


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Akenaton 1367-1350 a.C) Bianca de Moura Wild
Poesias Poema Egípcio (extraído de um papiro de 3000 anos) Bianca de Moura Wild
Resenhas Resenha educacional do filme “Fora de Controle” Bianca de Moura Wild
Resenhas Raízes do Brasil Bianca de Moura Wild

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 11 até 14 de um total de 14.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
ESTRADA DE AÇO 18 NOVEL LIVRE 12 ANOS - paulo azambuja 0 Visitas
O mundo - Francisco Canindé Sousa Soares 0 Visitas
Ambíguo - Francisco Canindé Sousa Soares 0 Visitas

Páginas: Primeira Anterior